Canal Brasil exibe mostra sobre Cinema Marginal

''À Meia-Noite Levarei Sua Alma'', ''A Margem'', ''O Bandido da Luz Vermelha'' e ''Matou a Família e Foi ao Cinema'' são alguns dos filmes da programação do Canal Brasil. Fotos: Divulgação

Nos dias 15 e 16 de julho, a partir das 22h, o Canal Brasil exibe a Mostra Cinema Marginal, com seis produções icônicas do movimento que também ficou conhecido como Cinema de Invenção: ''O Bandido da Luz Vermelha'', de Rogério Sganzerla, ''A Margem'', de Ozualdo Candeias, ''Meteorango Kid'', de André Luiz Oliveira, ''Matou a Família e Foi ao Cinema'', de Júlio Bressane, ''Bang Bang'', de Andrea Tonacci e ''À Meia-Noite Levarei Sua Alma”, de José Mojica Marins.

Um dos marcos do movimento Cinema Marginal, o filme “Matou a Família e Foi ao Cinema”, dirigido por Júlio Bressane, abre a mostra. A trama relata o assassinato dos pais pelo seu filho que, depois, vai ao cinema assistir ao filme “Perdidos no Amor”. Em paralelo, surgem outras histórias de assassinatos no interior, entre elas a de um preso político torturado. Selecionado como o 38º na lista dos 100 melhores filmes brasileiros pela Abraccine (Associação Brasileira de Críticos de Cinema), o clássico foi refilmado em 1991, pelo diretor mineiro Neville D’Almeida.

Pioneiro do cinema marginal paulista da Boca do Lixo em 1967, “A Margem”, do diretor Ozualdo Candeias, também faz parte da programação. O filme é ambientado nas margens do rio Tietê e no centro de São Paulo, e retrata histórias de dois casais que se sustentam de diversas formas, como pela prostituição. Apesar do período de repressão às artes e da falta de recursos para os cineastas, esse foi um dos longas-metragens do Cinema Marginal que recebeu prêmios como a Menção Honrosa de Melhor Música e Melhor Atriz (Valéria Vidal) do Festival de Brasília (1967); e a Melhor Direção, Melhor Atriz Coadjuvante (Valéria Vidal) e Melhor Música do extinto Instituto Nacional de Cinema (1968) - responsável legislativamente pelo fomento, incentivo e fiscalização de filmes brasileiros até o decreto do Ato Institucional Número Cinco (AI-5). “A Margem” também integra o ranking de melhores filmes brasileiros da Associação Brasileira de Críticos de Cinema (Abraccine).

O Cinema Marginal, que se consolidou entre os anos de 1960 e 1970, tinha como principais características mostrar a realidade de grupos marginalizados e toda a violência e censura da ditadura militar, a partir de paródias, denúncias, sarcasmos, erotismos e violências. Além disso, o movimento tinha o intuito de modificar as estruturas do cinema brasileiro em relação ao modelo de produção, à construção narrativa, à linguagem visual, entre outros aspectos.

Cinema Marginal - Segunda e terça, 15/07 e 16/07, a partir das 22h

Segunda (15/07)

22h - ''O Bandido da Luz Vermelha'' (1968) (92’)
Classificação: 16 anos
Direção: Rogério Sganzerla

Sinopse: A saga do Bandido da Luz Vermelha, enigmático assaltante de residências de luxo em São Paulo. Apesar dos esforços da polícia, ele circula sem problemas, gastando os frutos dos roubos.

23h35 - ''A Margem'' (1967) (96’)
Classificação: 12 anos
Direção: Ozualdo Candeias

Sinopse: Trágicas histórias desenrolam-se entre dois casais, que perambulam entre as margens do rio Tietê e o centro de São Paulo. Eles vagam nos confins urbanos, entre a vida e a morte, sustentando-se por meio da mendicância e da prostituição.

1h05 - ''Meteorango Kid'' (1969) (85’)
Classificação: 14 anos
Direção: André Luiz Oliveira

Sinopse: Este filme irreverente conta as aventuras de um universitário de classe média chamado Lula no dia do seu aniversário, revelando o perfil de um jovem desesperado, um ativista devasso e dissimulado, diante da falta de ideais trazida pela ditadura militar da época.

Terça (16/07)

22h - ''Matou a Família e Foi ao Cinema'' (1969) (78’)
Classificação: 18 anos
Direção: Júlio Bressane

Sinopse: Um rapaz mata os pais a navalhadas e vai ao cinema. Márcia, uma jovem rica e insatisfeita, aproveita uma viagem do marido para ir até sua casa de Petrópolis, onde recebe a visita de uma velha amiga, Regina. Entre outras histórias.

23h05 - ''Bang Bang'' (1971) (85’)
Classificação: 12 anos
Direção: Andrea Tonacci

Sinopse: O ator de um filme em produção vive indistintamente sua realidade pessoal e a ficção de seu personagem. Como objeto involuntário do acaso e da circunstância, ele busca um sentido e uma saída, enquanto é perseguido por bandidos, um mágico, uma fantasia romântica, um bêbado e sua própria autoimagem. O humor, o motivo da perseguição, as situações, os personagens, a decoração do cenário, os diálogos e a trilha sonora (que utiliza temas de outros filmes) nos remetem a símbolos, metáforas e à recusa de uma possível narrativa lógica, de modo a permitir ao espectador experimentar uma sensação análoga à do personagem principal, induzindo-o à necessidade de pensar um sentido enquanto perdido e levado pela expectativa sustentada, e pelo anticlímax intencionalmente recorrente.

0h30 - ''À Meia-Noite Levarei Sua Alma'' (1964) (84’)
Classificação: 16 anos
Direção: José Mojica Marins
Sinopse: Um coveiro percorre a cidade em busca de uma mulher para ter um filho.

Anderson Ramos

O Universo da TV é o site perfeito para quem quer ficar por dentro das últimas novidades da TV. Aqui, você encontra notícias sobre TV paga, programação de TV, plataformas de streaming e muito mais. É o único site que oferece uma cobertura completa da TV, para que você nunca perca nada. facebook instagram twitter youtube

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do O Universo da TV.

Postagem Anterior Próxima Postagem

Formulário de contato