Header Ads

Discovery estreia a segunda temporada de Killing Fields: Crimes em Evidência


Nova temporada de Killing Fields: Crimes em Evidência. (Imagem/Divulgação)
Rodie Sánchez e Aubrey St. Angelo trabalham em uma região do estado de Luisiana onde as propriedades rurais, as vastas lavouras e áreas alagadas escondem histórias de terror e violência. Corpos de vítimas de homicídio são constantemente abandonados naquelas terras, onde a rápida decomposição pode safar os culpados.

A partir de segunda-feira, 16 de outubro, às 22h20, o Discovery acompanha a dupla de detetives em investigações registradas em tempo real, com a estreia da segunda temporada de KILLING FIELDS: CRIMES EM EVIDÊNCIA.  Com oito episódios de uma hora, a atração tem o vencedor do Emmy, Tom Fontana (“St. Elsewhere”; “Homicide: Life On The Street”; “Oz” e “The Philanthropist”), e o vencedor do Oscar, Barry Levinson (“Rain Man”; “Diner”; “Bugsy"; "Wag the Dog" y "Good Morning, Vietnam”), como produtores executivos.

Depois de interromper a própria aposentadoria e voltar à ativa na primeira temporada, Rodie Sánchez continua na dupla com o detetive Aubrey St. Angelo. Os dois se tornaram companheiros de investigação no caso do homicídio de Eugenie Boisfontaine. Agora, eles seguem juntos enquanto o cerco ao principal suspeito pela morte de Eugenie se fecha e surge mais um assassinato que permanece misterioso há 25 anos.

Das salas de interrogatório e reuniões internas do departamento de polícia às diligências para recolhimento de evidências, noites de tocaia e entrevistas com testemunhas, as câmaras acompanham o trabalho da dupla em cada detalhe.

No episódio de estreia, surgem evidências contundentes que sugerem o motivo para que o ex-marido de Eugenie a tenha assassinado: sua segunda esposa, com quem se casou apenas um mês depois da morte de Eugenie, era sua amante e ficou grávida enquanto ele ainda era casado com a vítima.

Agora, os detetives precisam fechar o cerco em torno o ex-marido para sustentar uma denúncia por homicídio. Aubrey revisa exaustivamente a fita com o interrogatório do suspeito e a equipe faz uma nova varredura em todos os documentos relacionados à vítima e ao suspeito.

Pelo telefone, o major Ronnie Hebert é notificado sobre a existência de mais um corpo: a vítima foi encontrada dentro de um barril, em um riacho próximo de uma rodovia. O major associa o perfil da vítima a um desaparecimento ocorrido em 1991 – à época, testemunhas disseram ter visto o corpo de Curtis “Cochise” Smith ser colocado no barril. O jovem saíra de casa para comprar fraldas para o filho e nunca mais retornou. O exame dos ossos confirma que a vítima pode ser Cochise.  Rodie, que reconhece ser assombrado pelos crimes que não conseguiu solucionar, assume mais esse caso, enquanto ainda persegue a verdade sobre o assassinato de Eugenie.

Nenhum comentário

Comentários Ofensivos ou Irrelevantes e os que conter publicidades serão todos excluídos.

Tecnologia do Blogger.