Header Ads

Laís Souza fala sobre adaptação e acessibilidade no próximo ‘Superbonita’ no GNT


Laís Souza é a convidada semana do Superbonita. (Imagem/Reprodução)
Com histórias inspiradoras de superação e amor próprio, o próximo “Superbonita” fala sobre beleza além das dificuldades e limitações. No episódio, Karol Conka recebe no sofá do programa a palestrante e ex-ginasta Laís Souza para um bate-papo descontraído sobre adaptação e autoconhecimento. Fora do estúdio, a apresentadora encontra a nadadora paralímpica Camille Rodrigues e a atriz e bailarina Moira Braga, que dividem suas experiências e os desafios que encontram no dia a dia. A atração vai ao ar na segunda-feira (09), às 21h, no GNT.

“Tenho certeza que me mexo mais que muita gente”, diz Laís, que é exemplo de força e dedicação. Apesar da tetraplegia, ela mantém seu corpo sempre em movimento com a ajuda de fisioterapia e técnicas como a eletroestimulação, que simula a contração real do músculo. Mas a adaptação a essa nova fase é constante, tanto em relação às barreiras físicas, como a falta de estrutura acessível aos cadeirantes, quanto às emocionais. “Do meu jeitinho, eu tento ir lutando. A mudança radical de ser atleta para ser cadeirante foi de 100%, e eu continuo me adaptando. É um novo formato de vida, outra forma de ver as coisas”, conta ela.

Camille Rodrigues usa uma prótese na perna direita desde pequena, mas nunca se deixou limitar por ela. Muito vaidosa, a atleta adora um salto alto e não dispensa um short. “Gosto de mostrar a prótese. Fiz ela toda estilosa para isso, então sempre prefiro algo mais curto”, conta a atleta, que sempre entendeu que, por ser diferente, chamaria a atenção e causaria sentimentos de estranheza à curiosidade. “Meus pais sempre me ensinaram que pessoas vão perguntar, vão olhar e não vão ser discretas ao passar por mim. Aquilo que causava estranheza era o meu natural. Eu sabia que quando saísse de shorts enfrentaria olhares, então quando as pessoas tinham curiosidade e vinham perguntar, eu respondia tudo com toda a educação, porque isso faz parte”, diz.

A bailarina Moira Braga é deficiente visual, super independente e acredita que a beleza está nas pequenas conquistas. “Meu sonho de infância era ser bailarina, mas na aula de dança você aprende vendo e reproduzindo os passos do professor, o que, para mim, até então não era possível. Mas, quando conheci a escola do Angel Vianna, descobri que eu poderia sim dançar ao aprender a arte de dentro para fora, tendo consciência dos meus movimentos a partir das minhas possibilidades”.

Ainda no episódio, a psicóloga Mara Gabrilli fala sobre como a pessoa com deficiência percebe o mundo e como ele é visto pela sociedade, enquanto a fisioterapeuta Cristina Heydt explica o uso de próteses e os tratamentos fisioterápicos. Já influenciadora NiinaSecrets chega para dar sua dica de como cuidar de lábios ressecados.

Nenhum comentário

Comentários Ofensivos ou Irrelevantes e os que conter publicidades serão todos excluídos.

Tecnologia do Blogger.