Canal Brasil - Filmes em destaque na programação de 5 a 11 de fevereiro - O Universo da TV

Breaking

Home Top Ad

Post Top Ad

sábado, 3 de fevereiro de 2018

Canal Brasil - Filmes em destaque na programação de 5 a 11 de fevereiro


Filmes em Destaques da programação. (Imagem/Divulgação)
Conheça os filmes em destaques na programação do Canal Brasil de 05 a 11 de fevereiro.

É Tudo Verdade: Memória em Verde e Rosa
Apresentação: Amir Labaki
Horário: Segunda, dia 5, às 22h.
Classificação: Livre
Direção: Pedro Von Krüger

Sinopse: A Avenida Visconde de Niterói é o domicílio de um templo sagrado do samba carioca. Nesse endereço está hospedada a segunda maior vencedora do carnaval do Rio de Janeiro, berço de nascimento de bambas como Cartola e Nelson Sargento; cantada em versos de Chico Buarque e Beth Carvalho e baluarte das cores verde e rosa: a Estação Primeira de Mangueira. O documentarista Pedro Von Krüger sobe o morro para conhecer um pouco mais da história da agremiação a partir de depoimentos de alguns dos principais nomes responsáveis por transformar a escola em um verdadeiro patrimônio da cidade e do país.

O filme faz um passeio pela memória da comunidade antes mesmo da fundação da agremiação em abril de 1928. Imagens de acervo mostram a chegada dos primeiros moradores ao morro, muitos oriundos de estados do nordeste do país, e a construção das primeiras casas populares na região. Além dos sonhos por uma vida melhor, os emigrantes traziam consigo suas heranças históricas e culturais, e os terreiros de candomblé e umbanda abrem o caminho para as primeiras rodas de samba, ferozmente reprimidas pelo governo à época. Surgia, então, o embrião para o nascimento do Grêmio Recreativo Escola de Samba Estação Primeira de Mangueira, fundada por Carlos Cachaça, Zé Espinguela e Cartola.

Os muitos talentos nascidos sob o manto verde e rosa recordam as várias histórias vividas dentro do barracão. Nelson Sargento comenta a dificuldade para ganhar a vida com samba e conta como manteve o emprego diurno de pintor de paredes para manter sua renda. Carlinhos do Pandeiro revela o início da paixão pelo instrumento que herdou para o próprio sobrenome e Tantinho resgata a curiosa história de como foi recebido por Cartola ao apresentar seu primeiro samba, escrito quando tinha apenas 12 anos. Todos os registros são complementados com muitas rodas de samba de composições do início da agremiação e enredos que marcaram época no carnaval do Rio de Janeiro.

Seleção Brasileira: O Próximo Samba
INÉDITO E EXCLUSIVO
Horário: Terça, dia 6, às 22h
Classificação: 12 anos
Direção: Marcelo Lavandoski

Sinopse: A agremiação verde e rosa batizada a partir do morro da zona norte do Rio de Janeiro, é berço de ícones do samba como Cartola, Dona Zica, Carlos Cachaça, Zé Espinguela e Nelson Sargento. Não por acaso, ostenta 19 troféus após memoráveis desfiles na Marquês de Sapucaí. Em 2016, essa trajetória de sucesso vinha enfrentando uma lacuna de 14 anos sem títulos e os carnavalescos escolheram um enredo em homenagem à baiana Maria Bethânia para acabar com o indesejado jejum. O documentário de Marcelo Lavandoski acompanha a preparação da escola para entrar na passarela do samba.

O barracão de montagem é o ponto de partida e mostra a concepção do enredo “Maria Bethânia, a Menina dos Olhos de Oyá” desde o desenho inicial das fantasias, a concepção da sinopse do tema e a escolha final do samba. A homenageada conta como recebeu a notícia do tributo, a aprovação de seu orixá para o tema e a emoção de entrar na avenida como a grande atração do desfile. Com a triagem feita, é chegada a hora de colocar o bloco na rua e montar cada centímetro com o cuidado necessário para se sagrar a grande campeã.

As câmeras enquadram o grande trabalho de costureiras, ferreiros e marceneiros para construir os monumentais carros alegóricos. Os responsáveis pela festa verde e rosa tentam explicar, sem encontrar muitas palavras, a emoção de representar essas cores no carnaval. As cantoras Alcione e Beth Carvalho relatam a sensação de entrar na Marquês de Sapucaí ao som da icônica bateria da agremiação e o dançarino e coreógrafo Carlinhos de Jesus resgata o sentimento de olhar para o chão e encarar a avenida ainda vazia.

Ó Paí, Ó
Horário: Quarta, dia 7, às 21h
Classificação: 14 anos
Direção: Monique Gardenberg

Sinopse: Em um animado cortiço do centro histórico do Pelourinho, em Salvador, tudo é compartilhado pelos seus moradores, especialmente a paixão pelo Carnaval e a antipatia pela síndica do prédio, Dona Joana (Luciana Souza). Incomodada com a farra dos condôminos, Dona Joana decide puni-los, cortando o fornecimento de água do prédio. A falta d’água faz com que o aspirante a cantor Roque (Lázaro Ramos), o motorista de táxi Reginaldo (Érico Brás) e sua esposa Maria (Valdinéia Soriano), o travesti Yolanda (Lyu Arisson), amante de Reginaldo, a jogadora de búzios Raimunda (Cássia Vale), o homossexual dono de bar Neuzão (Tânia Tôko) e sua sensual sobrinha Rosa (Emanuelle Araújo), Carmen (Auristela Sá), que realiza abortos clandestinos e ao mesmo tempo mantém um pequeno orfanato em seu apartamento, Psilene (Dira Paes), irmã de Carmen que está fazendo uma visita após um período na Europa e a Baiana (Rejane Maia), de quem todos são fregueses; se confrontem e se solidarizem perante o problema.

Vai-Vai – 80 Anos nas Ruas
Horário: Quinta, dia 8, às 22h
Classificação: Livre
Direção: Fernando Capuano

Sinopse: Através de depoimentos de membros históricos e figuras da música brasileira, o documentário narra a história de uma das mais antigas e importantes escolas de samba pailistanas, fundada em 1930 no bairro do Bixiga, em São Paulo.

Cinemão: Orfeu
Horário: Sexta, dia 9, às 22h
Classificação: 18 anos
Direção: Cacá Diegues

Sinopse: Baseado na peça Orfeu da Conceição, de Vinicius de Moraes, o longa foi eleito o melhor filme de 1999 no Grande Prêmio Cinema Brasil. A produção conta com um elenco formado por Toni Garrido, Patrícia França, Murilo Benício e Zezé Motta, e tem a direção musical assinada por Caetano Veloso.

O filme é uma homenagem ao brilho das agremiações e traz cenas de todo o esplendor da Marquês de Sapucaí, no Rio de Janeiro. A obra conta a história de amor do compositor de sambas Orfeu (Toni Garrido), líder da comunidade no Morro da Carioca, e Eurídice (Patrícia França), uma jovem que acaba de chegar à cidade grande em pleno Carnaval. A paixão vivida pelos dois dá margem a ciúmes e violência de pessoas próximas, levando o casal à decisão de fugir logo após o desfile da Escola de Samba Unidos da Carioca. Uma fatalidade, no entanto, muda seus destinos.

Mostra Cine-Delas: Vida de Menina
Horário: Sábado, dia 10, às 22h
Classificação: Livre
Direção: Helena Solberg

Sinopse: Ludmila Dayer, Daniela Escobar, Dalton Vigh e Camilo Bevilacqua estão no elenco do primeiro longa-metragem de ficção de Helena Solberg. O filme é baseado no livro-diário “Minha Vida de Menina”, de Alice Dayrell, uma descendente de ingleses que viveu em Diamantina (MG) no final do século XIX. Sob o pseudônimo de Helena Morley, Alice escreveu, a partir dos 13 anos, relatos de sua infância que impressionam pelo estilo apurado e pela perspicácia.

Helena Morley (Ludmila Dayer) é uma menina magra, desengonçada e sardenta que se acha feia. Sua distração é escrever no diário os acontecimentos que se desdobram pela Diamantina do século XIX. Na época, o ouro já não é mais abundante e o Brasil acaba de se tornar uma república. Sua família leva uma vida difícil por conta do pai sonhador (Dalton Vigh), que ainda espera encontrar o valioso metal. Em suas anotações, Helena debocha e desmascara as pretensas virtudes alheias, conta seu dia-a-dia, as aulas na escola, as discussões entre os pais e seus problemas de menina. Busca, assim, a liberdade individual e sua identidade. A jovem encontra na avó (Maria de Sá) uma grande aliada. Esse laço de amizade torna-se a espinha dorsal do roteiro, dando espaço a diversos coadjuvantes que colorem as crônicas da vida da garota.

Cone Sul: Leonera
Horário: Domingo, dia 11, às 22h
Classificação: 14 anos
Direção: Pablo Trapero

Sinopse: Julia (Martina Gusman) está envolvida em um crime repleto de mistérios e não tem memória clara dos acontecimentos. Ela acorda e percebe estar rodeada pelos corpos ensanguentados de dois homens. Nahuel, seu marido, está morto, e Ramiro (Rodrigo Santoro) está gravemente ferido. O filme não explica os detalhes do crime e deixa o espectador em uma eterna dúvida sobre os reais acontecimentos dessa enigmática noite. Considerada a principal suspeita do assassinato, a mulher, passando pelo terceiro mês da gestação de seu primeiro filho, é enviada para uma penitenciária exclusiva para grávidas e mães de crianças pequenas. Assustada com o local, ela adota uma postura reclusa e de poucas amizades. Com o tempo, a necessidade de carinho e afeto dá abertura para uma amizade com Marta (Laura Garcia), companheira da cela adjacente.

Julia passa a conviver com assédios morais dos guardas e sexuais de outras internas, brigas constantes e dificuldades para cuidar da gravidez. Depois do parto, no entanto, seu comportamento começa a mudar. Em pouco tempo, ela descobre-se capaz de tudo para proteger a cria.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários Ofensivos ou Irrelevantes e os que conter publicidades serão todos excluídos.

Post Bottom Ad