Home Top Ad

Depois de um refresco em março, TV paga volta a cair em abril e perde mais de 8 mil assinantes

Share:

TV paga tem uma quede de 4,33% nos últimos 12 meses. (Imagem: Reprodução)
De acordo com dados divulgados pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) nesta segunda-feira, dia 28 de maio, o Brasil registrou 17,97 milhões de contratos de TV por Assinatura ativos em abril de 2018. Redução de 4,33% (-814,05 mil) nos últimos 12 meses e menos 0,05% (-8,83 mil) na comparação com março deste ano.

As grandes operadoras, que em março haviam tido um refresco, voltaram a ter quedas significativas em abril. A Claro TV (DTH) perdeu 26,5 mil assinantes,  ficando em 1,77 milhão de assinantes. Já a Net (cabo), cresceu 8,4 mil. Com isso, o grupo Claro Brasil, maior operador do país, acumulou queda de 18 mil assinantes, com uma base total de 8,955 milhões de assinantes. 

A Sky também perdeu base significativamente no mês. Foram cerca de 30 mil clientes a menos, fechando com uma base de 5,267 milhões de clientes. Já a Vivo TV acelerou, com 7,5 mil novos clientes, e uma base total de 1,594 milhão de usuários. A Oi TV também manteve o crescimento, com 3,2 mil novos assinantes e uma base total de 1,53 milhão.

No ano, no entanto, a Oi segue isolada como responsável por atrair a maior parte dos novos clientes de TV paga brasileiros. A operadora cresceu 11,4% em 12 meses, somando 156 mil novos acessos. Outra operadora que cresceu em um ano foi a Algar, que somou quase 22 mil assinaturas.

Ainda assim, pouco mudou em termos de market share desde abril de 2017. A Oi ganhou pouco mais de 1 p.p., ficando com 8,51% de participação, se aproximando da Telefônica Vivo, que terminou o mês com 8,87% de fatia de mercado.

Claro e Sky continuam a concentrar quase 80% do mercado. A Claro, porém, perdeu 1,48% de share desde então, ficando agora com 49,85%. E a Sky perdeu 0,2%, ficando com 29,35%. Os provedores regionais, apesar do crescimento deste mês de abril, no último ano perderam importância, passando a 1,52% de market share (tinham 1,65% um ano atrás).

Em uma análise comparativa das pequenas operadoras ficou impossível porque a Anatel fez um ajuste de vários meses na base da Algar, que agora aparece com 119 mil assinantes. Com isso, as demais operadoras 498 mil assinantes. Segundo os dados da Anatel, a queda de base anual do setor está em 814 mil clientes. Ou seja, os pequenos foram responsável por nada menos que 74,73% das adições.

Estados e Distrito Federal

São Paulo continua com o maior número contratos de TV por Assinatura em operação no país, 37,53% do total (6,74 milhões); seguido por Rio de Janeiro, com 13,52% (2,43 milhões); e Minas Gerais com 8,73% (1,57 milhões). Na Região Sul o estado com o maior número de contratos é o  Rio Grande do Sul com 7,03% (1,26 milhões); no Nordeste a Bahia com 3,13% (563,11 mil); no Centro-Oeste, o Distrito Federal com 2,64% (473,40 mil); e na Região Norte, o Pará com 1,70% (306,10 mil).

Nos últimos 12 meses, o Rio Grande do Norte apresentou crescimento de 18,33% (+44,00 mil) nos contratos em operação da TV por Assinatura; seguido do Ceará com mais 5,77% (+22,89 mil); do Piauí com mais 5,31% (+4,55 mil);do Maranhão com mais 2,68% (+4,69 mil); e do Tocantins com mais 0,98% (+0,42 mil). Todos os outros estados apresentaram redução.

Grupos

Em abril de 2018, o grupo Claro/Net detinha 49,85% do mercado de TV por assinatura ou  8,96 milhões do total de contratos; seguido pela SKY com 29,32% (5,27 milhões); a Vivo com 8,87% (1,59 milhão); Oi com 8,51% (1,53 milhão);Nossa TV com 0,69% (123,38 mil); Algar Telecom com 0,67% (119,64 mil); e Cabo 0,57% (102,55 mil).




Nenhum comentário

Comentários Ofensivos ou Irrelevantes e os que conter publicidades serão todos excluídos.