Home Top Ad

Inédito no Brasil, documentário sobre Ingmar Bergman estreia no Canal Curta!

Share:

Inédito no Brasil, documentário sobre Ingmar Bergman estreia no Curta! no dia em que o diretor completaria cem anos
Inédito no Brasil, documentário sobre Ingmar Bergman estreia no Curta!
no dia em que o diretor completaria cem anos.  (Imagem/Divulgação)
O documentário “Ingmar Bergman - Por Trás da Máscara” estreia com exclusividade no Curta!, sábado, 14, às 22h10, dia em que Bergman completaria cem anos. A produção enfoca um momento peculiar da vida do cineasta sueco: o ano em que, recuperando-se de uma profunda crise, ele rodou "Persona", tido como um dos melhores filmes de todos os tempos. Filmado na Ilha de Fårö durante um período conturbado para o realizador, “Persona” marcou a primeira aparição de Liv Ullmann em uma de suas obras. A atriz, que viria a ser considerada sua maior “musa”, teve com ele uma filha. Único diretor a ser premiado com a Palma das Palmas no Festival de Cannes, Bergman é visto como o mestre maior por cineastas como Quentin Tarantino, Woody Allen e Michael Haneke.  

Jorge Mautner, um dos grandes nomes da Tropicália, ganha releituras de suas composições em episódio inédito da série exclusiva “Os Ímpares”, na Segunda da Música, 9, às 20h. A banda Exército de Bebês faz sua versão bem-humorada da música “Encantador de Serpentes” e a banda Tono relê “Bomba de Estrelas”, faixa que dá nome ao álbum do compositor. Mautner relembra as músicas do disco, e o estúdio recebe a visita de Robertinho do Recife, compositor de “Encantador de Serpentes”. “Os Ímpares” é uma série documental em dez episódios que convida nomes de peso da música brasileira a gravar releituras de faixas presentes em álbuns experimentais das décadas de 60 e 70, que não tiveram o devido reconhecimento na época do seu lançamento. Com direção de Henrique Alqualo e Isis Mello, direção musical de Berna Ceppas e realização da Lunar Multimídia e da Moa Filmes, “Os Ímpares” foi produzida através de financiamento pelo Fundo Setorial do Audiovisual da ANCINE. 

No final do século XIX, surgiu a fotomontagem, um método artístico que abriu caminho para uma nova forma de pensar juntando imagens, ideias, misturando contrastes e criando significados. Valério Vieira foi um dos primeiros a trabalhar com essa técnica no Brasil. No episódio inédito de “Instantes Cruzados”, que vai ao ar na Terça das Artes, 10, às 23h30, Helena de Barros debate com Milton Guran a evolução no processo de manipulação de imagens e cria a sua versão de “Os Trinta Valérios”, fotomontagem icônica do artista. 

Na Quarta de Cinema, 11, às 20h, a faixa “A Vida é Curta!” apresenta uma seleção de filmes sobre artistas da Bossa Nova, celebrando os 60 anos do movimento. Abrindo a faixa, “Vinicius de Moraes, Um Rapaz de Família”, traz o olhar afetivo da filha Susana Moraes, que dirige a produção. A obra mostra o artista na intimidade: o homem que colecionou títulos, de poeta até diplomata, e que vivia cercado de amigos como Oscar Niemeyer, Ferreira Gullar e Tom Jobim. Encerra a sessão o curta “Nelson Cavaquinho”, que mostra o cotidiano do sambista e é dirigido por Leon Hirszman. A produção ganhou o prêmio Destaque do Júri no Festival Brasileiro de Curta-Metragem, em 1971, e foi montada pelo amigo de Hirszman e também cineasta Eduardo Escorel.

Na Quinta do Pensamento, 12, às 23h30, o episódio inédito da série documental “Alegorias do Brasil” trata do jeitinho brasileiro. O Brasil não é o único país onde as pessoas dão seu jeitinho, mas provavelmente é o único que se reconhece e se identifica por esse procedimento. O jeitinho é um elemento ambivalente da cultura: de um lado, é desprezo às regras e às leis; mas, de outro lado, é a alternativa criativa para superar o desamparo institucional. No Brasil, o jeitinho parece ser ao mesmo tempo nossa danação e nossa salvação. 

“Alegorias do Brasil” é a primeira produção do cineasta Murilo Salles idealizada exclusivamente para a TV.  Ao longo de 13 episódios, as alegorias brasileiras - ou seja, as expressões culturais que afirmam a nossa identidade – serão colocadas em discussão e analisadas por nomes como Francisco Bosco, Silviano Santiago, Maria Rita Kehl e Nuno Ramos. A série é uma produção da Cinema Brasil Digital com financiamento do Fundo Setorial do Audiovisual da ANCINE. 




Nenhum comentário

Comentários Ofensivos ou Irrelevantes e os que conter publicidades serão todos excluídos.