Home Top Ad

Animal Planet estreia a série inédita Perdido na África

Share:

Série inédita segue os passos de pesquisador lendário na busca por mamíferos africanos.
Série inédita segue os passos de pesquisador lendário na busca por mamíferos africanos. (Imagem/Divulgação Animal Planet)
Frank Cuesta já foi tenista, mas deixou as quadras e hoje se dedica a outro tipo de ranking: na nova série PERDIDO NA ÁFRICA (Wild Frank in Africa), ele viaja pela savana em busca de cinco animais que são símbolos do continente africano, na intenção de registrá-los em seu habitat natural.

Com estreia na segunda-feira, 13 de agosto, às 22h20, a produção visita o coração da África selvagem enquanto Frank refaz os passos do pesquisador David Livingstone, à procura por encontros impressionantes com mamíferos emblemáticos, conhecidos como os grandes representantes da fauna local: leão, leopardo, elefante, rinoceronte e búfalo

Predadores majestosos ou herbívoros gigantes e temperamentais, estes animais são normalmente filmados com ajuda de lentes especiais de longo alcance, equipamentos que mantêm seus operadores longe dos perigos que a savana selvagem representa.

Frank, no entanto, está obstinado a registrar uma aventura ao estilo do lendário Livingstone, que em suas expedições realizadas ainda no século XIX desbravou o interior do continente africano, mostrando pela primeira vez para a comunidade científica o deserto do Kalahari – um entre os inúmeros feitos que lhe renderam títulos e as experiências que relata no livro Missionary Travels and Researches in South Africa (1857).

Livingstone atravessou a África meridional com a ajuda de tribos locais e das escassas ferramentas tecnológicas disponíveis à época – recriando seus passos, Frank espera documentar de perto as belezas da natureza intocada e das culturas ancestrais que encontrará pelo caminho. Registrar a beleza arrebatadora da natureza selvagem africana tem seus preço e Frank será exposto a riscos cada vez maiores ao longo do caminho.

Namíbia, Zâmbia, Botswana e Zimbabwe estão no roteiro da viagem de 30 mil quilômetros. O ponto de partida é a Abadia de Westminster, em Londres, onde está o jazigo com os restos mortais de David Livingstone, de onde Frank parte rumo a Chitambo, Zâmbia, lar para o coração e alma do lendário pesquisador. Durante a jornada, Frank conhecerá as tribos por onde Livingstone passou, suas culturas e rituais que perduram diante dos séculos.

Mais de 50 espécies serão documentadas pelas câmaras de Frank, em uma aventura que faz reverência a Linvingstone, bem como a história, cultura e natureza africanas.




Nenhum comentário

Comentários Ofensivos ou Irrelevantes e os que conter publicidades serão todos excluídos.