Home Top Ad

Recordar é TV da TV Brasil celebra o talento e a garra de Elza Soares e Alcione

Share:

(Imagem/Divulgação TV Brasil)
Para homenagear duas das maiores cantoras do país, Elza Soares e Alcione, o programa Recordar é TV resgata conteúdos de acervo da antiga TVE/RJ nesta terça (16), às 22h45 com entrevistas e canções que lembram as vozes inconfundíveis dessas pérolas negras em momentos raros.
 
A emissora pública exibe trechos dos programas "Água viva" (1979) e "Eu sou o show" (1986). Nas produções, as divas lembram acontecimentos marcantes das suas carreiras e apresentam interpretações vigorosas de sucessos dos seus repertórios.
 
No fim dos anos 1970, Elza Soares foi entrevista pelo produtor e compositor Hermínio Bello de Carvalho na atração "Água viva". O primeiro bloco do Recordar é TV lembra esse encontro e faz um perfil da artista por meio de músicas e depoimentos num tom intimista.
 
Já no segundo bloco, o destaque é a participação de Alcione no programa "Eu sou o show", conduzido pela jornalista Lúcia Abreu. A produção traz uma "Marrom" descontraída na segunda metade da década de 1980. Além de falar sobre a trajetória, a cantora também solta a voz.
 
Elza Soares abre o coração 
 
A entrevista de Elza Soares intercala interpretações de sucessos como "Devagar com a louça", "Se acaso você chegasse", "Vem morar comigo" e "Quero morrer no carnaval" com depoimentos da musa numa conversa franca com Hermínio Bello de Carvalho.
 
Durante o papo, ela conta casos curiosos de sua trajetória. Elza Soares mergulha em sua rica história de vida com delicadeza. A cantora fala de peito aberto sobre temas como a infância, a família e o início da carreira em Buenos Aires.
 
Espontânea, a artista faz declarações com a sinceridade que lhe é peculiar. Com um timbre inconfundível, Elza Soares fala sobre a rouquidão da sua voz e diz que certa vez teve de explicar sua aptidão para o samba.
 
Marrom entoa clássicos de sua obra
 
O Recordar é TV apresenta uma biografia audiovisual da Alcione em imagens antológicas e depoimentos de personalidades como o experiente jornalista Flávio Cavalcanti. A produção mostra como a Marrom passeia com suingue e carisma pela sua carreira.
 
Com a potencial vocal que caracteriza suas apresentações, Alcione conquistou um espaço importante na música popular brasileira. "Eu cantei muito na noite do Rio, de São Paulo e da Europa", conta a sambista no material de arquivo da emissora pública.
 
Nesse especial compilado pela TV Brasil para o Recordar é TV, a musa interpreta sucessos do seu vasto repertório como "Estranha loucura", "As rosas não falam" e o clássico "Não deixe o samba morrer".




Nenhum comentário

Comentários Ofensivos ou Irrelevantes e os que conter publicidades serão todos excluídos.