Home Top Ad

Parques do Brasil visita a Chapada dos Guimarães, em Mato Grosso

Share:


No último episódio inédito do ano, a série Parques do Brasil visita o Parque Nacional da Chapada dos Guimarães, perto de Cuiabá, capital de Mato Grosso. O programa faz um mergulho em paisagens deslumbrantes, como a Cidade de Pedra, além de cachoeiras e quedas d’água impressionantes. Parques do Brasil vai ao ar na quarta-feira, dia 19, às 21h45, na TV Brasil

Composta por arenitos erodidos pelo vento, a Cidade de Pedra apresenta formações monumentais que lembram as ruínas de um castelo. Para chegar lá, a equipe de Parques do Brasil subiu até o alto do chapadão, e seguiu por dentro de um cerrado-anão. Depois desceu a serra e, na estrada, presenciou uma irara perseguindo um teiú. Nesta baixada, a equipe foi até o rio Claro para contar histórias de sucuris, cutias e onças. 

Ainda no primeiro bloco do programa, Parques do Brasil mostra belas quedas d’água, como a Cachoeirinha e a Cachoeira dos Namorados. Há também a famosa queda Véu de Noiva com 76 metros de altura. No entorno desta cachoeira existe um vale coberto pela maior área de floresta do Parque Nacional da Chapada dos Guimarães. Nos paredões deste vale podem ser observadas araras-vermelhas, gibãos-de-couro e uma inusitada família de macacos-prego.

No segundo bloco do programa, Parques do Brasil explora trilhas percorridas por viajantes-naturalistas e tropeiros no passado. Neste caminho estão as paisagens retratadas por pintores e desenhistas em 1827, durante a expedição do Barão de Langsdorff. É o caso da queda Véu de Noiva, antes conhecida como Cachoeira do inferno, e uma série de formações rochosas que lembram civilizações antigas. 

O programa mostra também o vale do córrego da Independência. Caminhando pelo cerrado, há frutos como a lobeira, o araticum, o abacaxi-do-cerrado, a mangaba, a marmelada, o murici e o cascudo ( endêmica da Chapada). Parques do Jardim revela ainda a vida noturna do chapadão com imagens de antas, cachorros-do-mato e lobos-guará; além de aves como o pitiguari, a ariramba-preta e o urubuzinho. A equipe do programa vai também ao Morro São Jerônimo – o ponto culminante da unidade -, para mostrar a existência de espécies como a raposinha-do-campo, a queixada e a jaguatirica.