Home Top Ad

Casuarina faz a festa no programa Samba na Gamboa da TV Brasil

Share:

Divulgação TV Brasil
Referência da nova geração do samba, o grupo Casuarina marca presença no programa Samba na Gamboa apresentado pelo bamba Diogo Nogueira na TV Brasil neste sábado (30), às 18h30.

Na animada roda de samba, os músicos tocam o celebrado repertório da banda. O papo é embalado por canções como "Tempo bom", "Falangeiro de Ogum", "Embira", "Herança de partideiro" e clássicos como "Foi um rio que passou em minha vida".

Integrantes de um time de artistas que despontou na região boêmia da Lapa, no Rio de Janeiro, o Casuarina criou um irresistível estilo de flertar com o passado, dando nova roupagem a clássicos da MPB, enquanto aposta também em novos compositores e em obras inéditas. O trabalho que começou com uma aventura artística de alguns jovens se tornou uma realização coletiva.

Um dos assuntos do encontro na emissora pública é o novo disco "+100". Elogiado pela crítica por sua requintada pesquisa musical, o trabalho traz apuro na qualidade das composições e participações de convidados como Leci Brandão, Martinho da Vila, Geraldo Azevedo e Criolo. Eleito melhor conjunto de samba pelo Prêmio da Música Brasileira de 2017, o Casuarina está em turnê com o oitavo álbum da discografia.

Durante a conversa na TV Brasil, os sambistas relembram com saudade a época em que eram jovens de 20 anos, estudantes de música e se encontravam despretensiosamente para tocar, nos idos de 2001. Dali para os shows na Lapa, foi um passo. O que não esperavam era a repercussão no Brasil e exterior.

Atualmente, o quarteto é formado por formado por Gabriel Azevedo (pandeiro e voz), Daniel Montes (violão de sete cordas), João Fernando (bandolim e violão tenor) e Rafael Freire (cavaquinho e banjo). Todos compõem o coro vocal da trupe.

Samba do grupo inspira boêmia da Lapa

O Casuarina bebe no repertório de grandes nomes da música popular brasileira. Com apuro, os músicos recriam versões que caíram no gosto das novas gerações. O trabalho do grupo contribuiu para a revitalização da Lapa. Uma geração de músicos capaz de reverenciar o antigo sem deixar de apontar a bússola para os novos caminhos do samba.

No exterior, o trabalho surpreende. Após várias turnês, os integrantes da banda já se acostumaram à reação do público estrangeiro, acostumado a uma versão mais estereotipada do músico e a uma roupagem mais "carnavalizada" do samba.

Durante todos esses anos de jornada, os músicos se aperfeiçoaram e se tornaram expoentes da qualidade musical da nova safra do samba. Em 2013, lançaram o DVD de dez anos do grupo, gravado na Lapa.

Com naturalidade, ganharam respeito no cenário musical carioca e são capazes de reunir no mesmo palco, dos veteranos como Áurea Martins a jovens que viveram a revitalização do bairro boêmio, como Pedro Miranda.

Acostumados a promover grandes encontros, como os realizados na Fundição Progresso, em sua roda que durou três anos, o Casuarina é célebre pela mistura de canções autorais, garimpo de antigas canções e clássicos revisitados pelos músicos.

O trabalho "MTV apresenta: Casuarina", de 2009, ganhou DVD de ouro por mais de 25 mil cópias vendidas, e elegeu como melhor grupo de samba do Brasil. A produção teve a mesma mistura de gerações e estilos que encanta: de Roberto Silva a Wilson Moreira, Moska e Frejat.

No mais recente disco "+ 100", os sambistas tiveram a ousadia de mirar o futuro: atuam como intérpretes e foram peneirar os novos compositores do gênero sem abrir mão de veteranos que marcam a história do samba, como Roque Ferreira.

O álbum reúne 12 canções inéditas que constituem um panorama alentado da nova produção musical do gênero. A investida no projeto "+100" é a promessa dos músicos de longevidade e muita vitalidade para o samba.