Home Top Ad

Canal Brasil - Destaques da programação de 6 a 12 de maio

Share:

Divulgação Canal Brasil
Conheça os destaques da programação do Canal Brasil de 06 a 12 de maio.

SEGUNDA-FEIRA, 6 DE MAIO 

ESPELHO 
INÉDITO 
Convidado: Pastor Henrique Vieira
1º Horário: Segunda, dia 6/5, às 21h30
Rebatidas: quarta, dia 8/5, às 13h30; e quinta, dia 9/5, às 7h
Classificação: Livre

Sinopse: Idealizado e apresentado por Lázaro Ramos, o programa segue sua busca pela pluralidade e atualidade, e, este ano, 14º no ar no Canal Brasil, tem como mote central o acolhimento e traz uma novidade: uma série de quatro episódios sobre religião tendo Monja Coen, Padre Vilson Groh, o pastor evangélico Henrique Vieira e a mãe de santo Egbomi Cici como convidados. Quem abre a temporada é Baco Exu do Blues. Lázaro recebe ainda convidados como: Fátima Bernardes, Péricles, Sophie Charlotte, Maíra Azevedo e Yuri Marçal, Poliana Abritta, Alexandre Nero e Luedji Luna. O humor também está bastante presente este ano, não só pela presença de humoristas como Thalita Carauta e Marcos Veras, mas também com convidados como Edy Star e Duh Moraes, que usam essa ferramenta como complemento para suas produções artísticas. Outra novidade é o quadro “Poesia no Espelho”, em que o poeta e influenciador digital baiano Jordan Villas Boas recita versos enquanto correm os créditos do programa.

Neste episódio: “O Estado laico resguarda a manifestação das crenças”. O pastor Henrique Vieira critica os projetos de poder fundamentalistas e defende uma religião focada menos em conceitos e mais nas pessoas.

A ARTE DO ENCONTRO
REPRISE
Convidado: Herson Capri
1º Horário: Segunda, dia 6/5, às 22h
Rebatidas: terça, dia 7/5, às 13h30; e quarta, dia 8/5, às 7h 
Classificação: Livre

Sinopse: Tony Ramos encanta plateias brasileiras há mais de meio século, seja no cinema, teatro ou na televisão. Nos últimos anos, o intérprete adicionou mais uma habilidade ao seu já premiado currículo e assumiu a posição de apresentador de um programa de televisão. A bem-sucedida experiência traz o ator novamente à tela do Canal Brasil para retomar pelo terceiro ano, conversas com grandes nomes do cenário artístico brasileiro, entre companheiros de tantas décadas de profissão, como atores, cineastas e escritores.

A atração dirigida por Felipe Nepomuceno é um bate-papo informal entre o anfitrião e seu convidado, sem roteiro previamente estipulado. Em um cenário intimista, onde há apenas os envolvidos e uma pequena mesa, Tony abre uma conversa em torno de histórias de vida, infância e família, entremeadas por trajetórias profissionais. Entre as entrevistas, o apresentador faz leituras de trechos de livros relacionados à personalidade participante. A lista traz ícones da cultura nacional como Aguinaldo Silva, Aracy Balabanian, Arlete Salles, Denise Fraga, Drica Moraes, Eric Nepomuceno, Herson Capri, Jaqueline Laurence, Julio Bressane, Milton Gonçalves, Paulo Figueiredo, Teresa Cristina e Tizuka Yamazaki.

Neste episódio: “Tudo vai acabar e se transformar em outra coisa”, diz o ator Herson Capri, que reflete sobre a insignificância do ser humano diante o universo e a importância de aproveitar a vida o máximo que puder.

SANGUE LATINO 
INÉDITO
Convidado: Eduardo Blanco
Horário: Segunda, dia 6/5, às 22h30
Rebatidas: quinta, dia 9/5, às 13h30; e sexta, dia 10/5, às 7h
Classificação: Livre

Sinopse: Conhecido pela experiência em múltiplas vertentes – jornalista, escritor e tradutor –, Eric Nepomuceno comanda diálogos profundos com personalidades fundamentais da cultura latino-americana. Em seu oitavo ano, a atração traz artistas brasileiros e argentinos, entre cineastas, atores e escritores das mais diversas influências e estilos. A direção fica a cargo de Felipe Nepomuceno, filho do anfitrião, que mantém a estética tradicional do programa, com contrastadas imagens em preto e branco e belos planos de natureza poética.

Arnaldo Antunes é o convidado do primeiro episódio e discute seus medos, sonhos recorrentes e o valor do silêncio no seu trabalho. Imortal da Academia Brasileira de Letras, Nélida Piñon debate a distância entre a realidade e a ficção, sua descrença no destino e sua visão do Brasil. Gênio multi-instrumentista, Hermeto Paschoal fala como lida com seu dom para a música, a função da arte e sua relação com o amor. Na Argentina, o cineasta Santiago Mitre conta como se relaciona com o erro e avalia o legado deixado pela geração anterior de intelectuais e a escritora Romina Paula aborda a possibilidade do amor à primeira vista e o significado da amizade. A atração traz ainda conversas com Mercedes Morán, Eduardo Blanco, Lya Luft, Mariana Enriquez, Litto Nebbia, Rafael Spregelburd e Daniel Veronese.

Neste episódio: “A utopia serve para caminhar”, comenta o ator argentino Eduardo Blanco. Durante entrevista, ele disserta sobre a necessidade de viver com esperança e reflete a respeito do medo fantasioso em torno do desconhecido.

O SOM DO VINIL
REPRISE
Episódio: Azymuth, Fênix
1º Horário: Segunda, dia 6/5, às 23h
Rebatidas: sexta, dia 10/5, às 13h30; e sábado, 11/5, às 7h
Classificação: Livre 

Sinopse: Charles Gavin continua, no 12º ano da série, sua investigação sobre a história da música nacional. Sob direção de Gabriela Gastal e do próprio apresentador, o ex-titã, ávido colecionador de discos raros, entrevista algumas das mais importantes personalidades do ramo para lembrar curiosidades e bastidores de discos fundamentais para a história do cancioneiro brasileiro.

Os episódios contemplam variados gêneros e promovem um passeio por diversas gerações da música brasileira. Há espaço para o trash metal do Sepultura em seu mais recente trabalho, Machine Messiah; o soul e blues de Liniker e os Caramelows; a música clássica regida pelo maestro João Carlos Martins em Ginastera Concerto for Piano and Orchestra; a MPB de Lenine com Em Trânsito e de Ney Matogrosso em Seu Tipo; o rock de Descivilização do Biquíni Cavadão e o rap de MV Bill em Declaração de Guerra. O programa traz ainda vinis de Fagner, Paralamas do Sucesso, Wilson Moreira, Vanguart, Benito di Paula e Carlos Lyra.
Neste episódio: Charles Gavin apresenta “Fênix”, último álbum do “Azymuth”. O grupo conta como se reinventou após a morte de José Roberto Bertrami e explica o porquê do maior sucesso internacional.

O PAÍS DO CINEMA
REPRISE
Episódio: Albatroz
1º Horário: Segunda, dia 6/5, às 23h30
Rebatidas: terça, dia 7/5, às 7h; e segunda, dia 13/5, às 13h30
Classificação: 14 anos

Sinopse: Fabiula Nascimento comandou, durante dois anos, um mergulho na história do cinema brasileiro em O País do Cinema. No terceiro ano da atração, a atriz passa o bastão para a também intérprete Andreia Horta, que assume a posição de apresentadora para receber realizadores, diretores e intérpretes e colocar em pauta uma abordagem crítica e informativa da produção nacional recente. O programa dirigido por Marcello Ludwig Maia foca sua atenção em filmes da mais recente safra da sétima arte do país. Entre os escolhidos estão trabalhos de premiados artistas como Laís Bodanzky, Julio Bressane, Cláudio Assis, Ruy Guerra, Camila Pitanga, Fellipe Barbosa, Sérgio Rezende, Caroline Leone, Carolina Jabor, Jorge Durán e Hilton Lacerda, entre outros.

Neste episódio: Camila Morgado e Bráulio Mantovani, atriz e roteirista de “Albatroz”, comentam a influência de “A Estrada Perdida” para construir esta obra, em que o controle do processo narrativo é perdido.

ELETROGORDO
REPRISE
Convidado: Sula Miranda
1º Horário: Segunda, dia 6/5, à 0h 
Rebatidas: quarta, dia 8/5, às 7h30
Classificação: 14 anos

Sinopse: Sob direção de André Barcinski – também responsável por Nasi Noite Adentro –, João Gordo estreia a terceira temporada de sua atração no Canal Brasil, “Eletrogordo”, completando a faixa dos programas da meia-noite, que combinam humor, irreverência e sensualidade.

O cenário é uma oficina de eletrodomésticos e João passa os dias consertando liquidificadores, torradeiras, televisões de tubo, secadores de cabelo e vitrolas. De vez em quando, surge um cliente na loja e eles engatam um papo sobre televisão, música e cinema, suas grandes paixões. Os frequentadores desse estabelecimento são ecléticos e especiais. Nesta temporada, o apresentador conversa com os músicos Rafael Ilha, Leandro Lehart, Jimmy Luv, Simbas, Alex, Arrigo Barnabé, Sula Miranda e Sandra Coutinho; os apresentadores de televisão Marcelo Tas, Didi Wagner, Leão Lobo, Max Fivelinha e Leda Nagle; o ex-jogador de futebol Cesar Maluco; o cineasta Rodrigo Aragão e o comediante e vocalista Bruno Sutter, entre outros.

Vocalista da banda punk Ratos de Porão, o cantor fez história nos palcos com suas letras anárquicas e apresentações agressivas, e se aventurou no mundo da televisão, atuando como anfitrião em programas cômicos, como talk shows politicamente incorretos.

Neste episódio: A cantora Sula Miranda, eterna “rainha dos caminhoneiros”, relembra a trajetória de sucesso no grupo “As Melindrosas” e reivindica o seu papel como precursora do sertanejo universitário.

TERÇA-FEIRA, 7 DE MAIO

FAIXA MUSICAL – Silvia Machete – Dussek Veste Machete
INÉDITO
1º Horário: Terça, dia 7/5, às 14h
Rebatidas: quarta, dia 8/5, às 10h05; e quinta, dia 9/5, às 11h50
Classificação: Livre

Sinopse: A cantora Silvia Machete imprime um clima de cabaré circense para apresentar um passeio pela discografia do compositor Eduardo Dussek, além de interpretar sucessos internacionais.
 
TRANSANDO COM LAERTE
REPRISE 
Convidados: Renata Perón
1º Horário: Terça, dia 7/5, à 0h
Classificação: 12 anos

Sinopse: Laerte Coutinho é uma das mais irreverentes e provocantes figuras da cultura brasileira. A cartunista transgênero é referência artística quando o assunto é criar personagens politicamente incorretos e de humor ácido, desenvolvidos em pequenas frases. Saindo do mundo das tirinhas e embarcando ao universo da televisão, a chargista retorna ao Canal Brasil na quarta temporada do programa ao qual empresta seu nome para investigar temas contemporâneos a partir de entrevistas com os mais diversos convidados, entre artistas dos mais diversos campos.

A cantora transgênero Liniker abre a série de novos episódios dirigidos por Claudia Priscilla e Pedro Marques. A atriz Leona Johvs relaciona figuras importantes para sentir orgulho de sua transexualidade e comenta como descobriu a vocação artística. A musicista, diretora musical e pesquisadora Tunica Teixeira fala sobre sua relação com o amor e a religiosidade pujante de sua personalidade. O historiador, antropólogo e quadrinista André Toral analisa seu trabalho com comunidades indígenas e disserta como as histórias em quadrinhos se transformaram em vozes da periferia. O programa traz ainda entrevistas com Miriam Chnaiderman, Marcelino Freire e Renata Perón, entre outros.

Neste episódio: “Sou a mesma pessoa que era antes, mas com uma consciência de identidade que não tinha”. A cantora e ativista transgênero Renata Perón debate sobre o universo da transgeneralidade com Laerte.

QUARTA-FEIRA, 8 DE MAIO

PORNOLÂNDIA
REPRISE
Episódio: Alfredo Sternheim, Um dos Gênios da Boca do Lixo
1º Horário: Quarta, dia 8/5, à 0h
Classificação: 16 anos 

Sinopse: A musa da pornochanchada Nicole Puzzi retorna à tela do Canal Brasil em entrevistas picantes, com membros do universo da pornografia e do erotismo no país. Sempre em tom irreverente, a apresentadora discute abertamente temas como fetiche, sensualidade, nudez artística e o mercado brasileiro de filmes adultos. A anfitriã está ainda mais curiosa e provocativa no quinto ano do programa, seja investigando as práticas sexuais menos comuns, revendo os velhos amigos ou conversando com figuras da indústria pornô. 

Neste episódio: O cineasta Alfredo Sternheim relembra as filmagens na Boca do Lixo (SP), reduto do cinema independente brasileiro nos anos 1970, e comenta a parceria com o também diretor Walter Hugo Khouri.

QUINTA-FEIRA, 9 DE MAIO

NASI NOITE ADENTRO
REPRISE
Episódio: O Cartunista
Horário: Quinta, dia 9/5, à 0h 
Classificação: 14 anos

Sinopse: Os mistérios, segredos e personagens mais excêntricos da noite paulistana estão de volta ao Canal Brasil. Na nova temporada do programa comandado pelo vocalista do Ira!, o público acompanha as aventuras do anfitrião por lugares ainda mais inusitados da maior metrópole da América Latina.

Neste episódio: “O humor não pode ser instrumentalizado por nenhum lado”. O cartunista Ricardo Coimbra destaca a dubiedade da atual geração e cobra de si mesmo um espírito cômico que seja desagradável.

SEXTA-FEIRA, 10 DE MAIO

CHICO XAVIER – A SÉRIE
REPRISE
Episódio 02
1º Horário: sexta, dia 10/5, às 22h30
Rebatidas: domingo, dia 12/5, às 2h; e segunda, dia 13/5, às 11h55 e terça, dia 14/5, à 0h15
Classificação: 14 anos

Sinopse: Chico Xavier é uma personalidade inspiradora da história brasileira. Expoente do espiritismo no país, o mineiro psicografou mais de 450 livros e 10 mil cartas sem sequer cogitar lucrar com seu dom. Cativado pelo livro As Vidas de Chico Xavier, de Marcel Souto Maior, o diretor Daniel Filho reuniu grande elenco para narrar a biografia do médium, em obra estrelada por Nelson Xavier, Ângelo Antônio, Tony Ramos, Christiane Torloni, Giulia Gam, Letícia Sabatella, Giovanna Antonelli, Cássia Kis Magro, Pedro Paulo Rangel, entre outros.

A série caminha pela história do médium em todas as fases da vida. Na infância (vivido por Matheus Costa), seus relatos não são levados em consideração. Já adulto (interpretado por Ângelo Antônio), seu dom começa a aflorar e ele psicografa mensagens de espíritos desencarnados, em narrativas sobre as experiências deles nesse novo lugar onde habitam após a morte. O espírita desperta a ira do padre Julio Maria (Cássio Gabus Mendes), descrente de sua aptidão, e o religioso o acusa de ser uma fraude. Os anos se passam e, agora mais velho (na pele de Nelson Xavier), Chico ajuda a confortar a dor de Orlando (Tony Ramos), um ateu cujo filho com Glória (Christiane Torloni) faleceu em um acidente com uma arma.

Neste episódio: O episódio final dessa série adaptada do filme “Chico Xavier” acompanha o amadurecimento do médium e a carta que aliviou a dor de uma família e mudou um processo criminal.

FIM DO MUNDO
REPRISE
Episódio: O Cantor e sua Solidão
1º Horário: Sexta, dia 10/5, às 23h15
Rebatidas: sábado, dia 11/5, às 2h45; e segunda, dia 13/5, à 1h
Classificação: 18 anos

Sinopse: O estado de Pernambuco é um dos maiores redutos de talentos cinematográficos do Brasil. Assim como na música de Chico Science e nas artes de Brennand, a identidade do cinema da região é forte e marcante por onde passa, tornando-se um dos principais expoentes do país. Dois dos principais expoentes da cena cultural pernambucana, Hilton Lacerda e Lírio Ferreira, assinam “Fim do Mundo”, a produção é de João Vieira Jr. e Nara Aragão, da REC Produtores. 

Na adolescência, após adquirir uma má reputação na vizinhança onde morava, Vitória (Hermila Guedes) precisou deixar a cidade. Agora, se vê obrigada a voltar para Desterro, na tentativa de recomeçar a vida ao lado do filho Cristiano (Jesuíta Barbosa). O jovem acaba de sair da prisão e questiona a atual liberdade ao perceber que todos ao seu redor estão apegados a alguma amarra social. Ela, por sua vez, descreve a terra natal como o “fim do mundo”, onde pessoas estão fadadas à estagnação e conformadas a viver tradições com as quais não concordam. Quando chegam, são recebidos por Balbino (Alberto Pires), irmão de Vitória. Rude e intransigente, o homem defende seus hábitos como o ápice da moralidade social. Ele vive com a jovem Joaninha (Larissa Leão) e hospeda a sogra Mazé (Marcélia Cartaxo) como sua criada. 

Essa relação familiar dá a tônica dos capítulos, cada um inspirado em um conto de um autor nordestino, trazendo grandes referências de cinema e literatura para a obra televisiva. O primeiro é livremente baseado numa história de Ronaldo Correia de Brito, e os seguintes trazem conceitos de Hermilo Borba Filho, Antônio Carlos Viana e Sidney Rocha. Apesar de uma narrativa fechada, a trama principal percorre toda a série, dialogando com cada trabalho literário e figuras folclóricas da cultura local.

Neste episódio: Um concurso musical anima a noite de Desterro e faz trilha sonora para o desfecho da trajetória de Cristiano e Vitória. Desaparecido há dias, o jovem desiste de fugir e resolve enfrentar Balbino.

502 
REPRISE
Convidado: Hugo
1º Horário: Sexta, dia 10/5, à 0h 
Rebatidas: Segunda, dia 13/5, à 1h05; terça, dia 14/5, às 5h05 
Classificação: 14 anos

Sinopse: Fotógrafo consagrado pelo olhar perspicaz e retratos impactantes em preto e branco, Jorge Bispo traz novamente para o Canal Brasil, em sua quinta temporada, um de seus projetos mais ousados. Em 302, o artista recebe em seu próprio apartamento 13 mulheres comuns que toparam tirar a roupa à frente de sua câmera. Longe dos rígidos padrões de beleza estabelecidos pelas celebridades por ele já clicadas, cujas fotos estamparam capas das principais publicações do país, Bispo traz à tela uma iniciativa artística e minimalista. Pela primeira vez, no entanto, o projeto dá um passo adiante, extrapola as paredes do apartamento, sobe dois pavimentos e inaugura, no quinto andar, o 502, no qual os homens perdem as vestimentas e enfrentam os dilemas da nudez masculina. A temporada divide-se, então, em dois momentos distintos, fazendo um panorama mais amplo de como a questão é vista pela sociedade.

Neste episódio: “Todas as vezes que me deparei com uma doutrina, fiquei frustrado”. O paulista Hugo revela se dividir entre o artista e o ser humano inseguro e manifesta o desejo de ser respeitado por quem ele é.

SÁBADO, 11 DE MAIO

CANTORAS DO BRASIL 
INÉDITO
Convidada: Luana Carvalho
1º Horário: Sábado, dia 11/5, às 17h15 
Rebatidas: segunda, dia 13/5, às 14h10; terça, dia 14/5, às 15h10; quarta, dia 15/5, às 11h15 e 16/5,às 12h45
Classificação: Livre

Sinopse: Treze cantoras de destaque no atual cenário musical brasileiro revisitam as obras de grandes artistas do passado, conferindo um olhar feminino às canções, inicialmente interpretadas por homens. Em sua sexta temporada, o programa passeia por trilhas sonoras do cinema brasileiro. A seleção de conteúdo é feita por Mariana Rolim, Mercedes Tristão e Simone Esmanhotto, também idealizadoras do projeto.

Silvia Machete abre a nova temporada com “Bye Bye Brasil”, canção de Chico Buarque e Roberto Menescal homônima ao clássico dirigido por Carlos Diegues, e “Pierrô Apaixonado”, trilha sonora escrita por Noel Rosa e Heitor dos Prazeres para “Alô, Alô, Carnaval” (1936), de Adhemar Gonzaga. Maíra Baldai chega na sequência com “Abertura Perseguição – Sertão Vai Virar Mar”, de autoria de Sergio Ricardo e Glauber Rocha para “Deus e o Diabo na Terra do Sol” (1964), obra seminal do cineasta baiano, e “O Mana Deixa Eu Ir”, incluída em “Aruanda” (1959), de Linduarte Noronha. A lista de convidadas segue com outros destaques como Clarice Falcão, Juliana Amaral, Laura Wrona, Luiza Lian, Luana Carvalho e Maria Beraldo.

Neste episódio: A cantora Luana Carvalho valoriza o discurso de luta e oferece vida nova para trilhas sonoras marcantes dos clássicos do cinema brasileiro “Bicho de Sete Cabeças” e “Tenda dos Milagres”.