Home Top Ad

Canal Brasil - Destaques da programação de 8 a 14 de julho

Share:

Divulgação Canal Brasil
Conheça os destaques da programação do Canal Brasil de 08 a 14 de julho.

SEGUNDA-FEIRA, 8 DE JULHO 

TRANSGENTE
INÉDITO 
Convidado: Johi
1º Horário: Segunda, dia 8/7, às 21h
Rebatidas: terça, dia 9/7, às 7h30; e quinta, dia 11/7, às 14h
Classificação: Livre

Sinopse: O Canal Brasil reforça sua posição na luta pelo respeito das individualidades a partir de uma programação diversificada e aberta. Em maio, a emissora convida os espectadores a passearem por seis incríveis histórias do universo transgênero, nesta produção com ares documentais de Adriana L. Dutra e Malu de Martino. Paula Beatriz, a primeira mulher trans a ocupar o cargo de diretora em uma escola de ensino público do Brasil, abre a temporada contando como exteriorizou sua identidade somente aos 37 anos. O músico Vitor Alexandre chega em seguida mostrando como superou o bullying escolar e o ódio ao seu corpo. Alexya, a primeira reverenda transgênero da América Latina, narra sua luta pelo direito de ser mãe. Johi revela como superou a depressão por não se reconhecer como feminina. João Henrique faz uma reflexão sobre as questões de gênero e sobre a falta de comoção pelo sangue LGBTQI. No último episódio, Lucas, representante Queer – não segue o modelo binário heteronormativo – manifesta sua carne como instrumento de resistência.

A série imerge no cotidiano dos personagens, visitando lugares e entrevistando pessoas marcantes em suas vidas. Além disso, todos os episódios contam com o depoimento de João W. Nery, primeiro homem trans do país – ele realizou a cirurgia de redesignação de sexo em 1977 –, trazendo comentários didáticos e uma rica contribuição para as narrativas através de sua experiência precursora. A atração apresenta uma reflexão necessária para a nação que mais assassina travestis e transexuais no mundo, segundo estudo publicado em 2016 pela ONG europeia Transgender Europe (TGEu), e reforça a coragem para transcender em uma sociedade que marca as pessoas pelo corpo.

Neste episódio: “Não é fácil ser trans no Brasil”. Johi denuncia a burocracia do processo de hormonização e revela as dificuldades enfrentadas na juventude por não se identificar com o próprio corpo.

ESPELHO 
INÉDITO 
Convidados: Bukassa Kabengele e Kabengele Munanga
1º Horário: Segunda, dia 8/7, às 21h30
Rebatidas: quarta, dia 10/7, às 13h30; e quinta 11/7, às 7h
Classificação: Livre

Sinopse: Idealizado e apresentado por Lázaro Ramos, o programa segue sua busca pela pluralidade e atualidade, e, este ano, 14º no ar no Canal Brasil, tem como mote central o acolhimento e traz uma novidade: uma série de quatro episódios sobre religião tendo Monja Coen, Padre Vilson Groh, o pastor evangélico Henrique Vieira e a mãe de santo Egbomi Cici como convidados. Quem abre a temporada é Baco Exu do Blues. Lázaro recebe ainda convidados como: Fátima Bernardes, Péricles, Sophie Charlotte, Maíra Azevedo e Yuri Marçal, Poliana Abritta, Alexandre Nero e Luedji Luna. O humor também está bastante presente este ano, não só pela presença de humoristas como Thalita Carauta e Marcos Veras, mas também com convidados como Edy Star e Duh Moraes, que usam essa ferramenta como complemento para suas produções artísticas. Outra novidade é o quadro “Poesia no Espelho”, em que o poeta e influenciador digital baiano Jordan Villas Boas recita versos enquanto correm os créditos do programa.

Neste episódio: O antropólogo Kabengele Munanga e seu filho, o ator e cantor Bukassa Kabengele, falam da consciência e do diálogo como ferramentas de luta contra a realidade cruel que massacra o povo negro no Brasil.

A ARTE DO ENCONTRO
REPRISE
Convidado: Maria Ribeiro
1º Horário: Segunda, dia 8/7, às 22h
Rebatidas: terça, dia 9/7, às 13h30; e quarta, 10/7, às 7h
Classificação: Livre

Sinopse: Após 13 episódios comandados por Tony Ramos, Bárbara Paz assume o lugar do ator no comando da quarta temporada de “A Arte do Encontro”, do Canal Brasil, na quarta-feira, dia 14. Nos próximos programas, a atriz vai receber Bia Lessa, Daniel Dantas, Elisa Lucinda, Luis Miranda, Maria Ribeiro, Paulinho Moska, Xico Sá e Zélia Duncan para conversas intimistas intercaladas por leituras de trechos de livros, poesias e peças de teatro.

Neste episódio: “A pior escravidão que existe é ter que ser algo”. A atriz Maria Ribeiro reflete sobre as imposições sociais, a valorização de coisas não fundamentais e as relações monetizadas.

SANGUE LATINO 
INÉDITO
Convidado: Litto Nebbia
Horário: Segunda, dia 8/7, às 22h30
Rebatidas: quinta, dia 11/7, às 13h30; e sexta, dia 12/7, às 7h
Classificação: Livre

Sinopse: Conhecido pela experiência em múltiplas vertentes – jornalista, escritor e tradutor –, Eric Nepomuceno comanda diálogos profundos com personalidades fundamentais da cultura latino-americana. Em seu oitavo ano, a atração traz artistas brasileiros e argentinos, entre cineastas, atores e escritores das mais diversas influências e estilos. A direção fica a cargo de Felipe Nepomuceno, filho do anfitrião, que mantém a estética tradicional do programa, com contrastadas imagens em preto e branco e belos planos de natureza poética.

Arnaldo Antunes é o convidado do primeiro episódio e discute seus medos, sonhos recorrentes e o valor do silêncio no seu trabalho. Imortal da Academia Brasileira de Letras, Nélida Piñon debate a distância entre a realidade e a ficção, sua descrença no destino e sua visão do Brasil. Gênio multi-instrumentista, Hermeto Paschoal fala como lida com seu dom para a música, a função da arte e sua relação com o amor. Na Argentina, o cineasta Santiago Mitre conta como se relaciona com o erro e avalia o legado deixado pela geração anterior de intelectuais e a escritora Romina Paula aborda a possibilidade do amor à primeira vista e o significado da amizade. A atração traz ainda conversas com Mercedes Morán, Eduardo Blanco, Lya Luft, Mariana Enriquez, Litto Nebbia, Rafael Spregelburd e Daniel Veronese.

Neste episódio: O músico Litto Nebbia descreve a responsabilidade por ter feito o primeiro rock argentino, repassa os mais de 50 anos de carreira e salienta a originalidade como a essência de suas composições.

O SOM DO VINIL
REPRISE
Episódio: Benito Di Paula, Um Novo Samba
1º Horário: Segunda, 8/7, às 23h
Rebatidas: sexta, dia 12/7, às 13h30; e sábado, dia 13/7, às 7h
Classificação: Livre 

Sinopse: Charles Gavin continua, no 12º ano da série, sua investigação sobre a história da música nacional. Sob direção de Gabriela Gastal e do próprio apresentador, o ex-titã, ávido colecionador de discos raros, entrevista algumas das mais importantes personalidades do ramo para lembrar curiosidades e bastidores de discos fundamentais para a história do cancioneiro brasileiro.

Os episódios contemplam variados gêneros e promovem um passeio por diversas gerações da música brasileira. Há espaço para o trash metal do Sepultura em seu mais recente trabalho, Machine Messiah; o soul e blues de Liniker e os Caramelows; a música clássica regida pelo maestro João Carlos Martins em Ginastera Concerto for Piano and Orchestra; a MPB de Lenine com Em Trânsito e de Ney Matogrosso em Seu Tipo; o rock de Descivilização do Biquíni Cavadão e o rap de MV Bill em Declaração de Guerra. O programa traz ainda vinis de Fagner, Paralamas do Sucesso, Wilson Moreira, Vanguart, Benito di Paula e Carlos Lyra.
Neste episódio: Charles Gavin resgata “Um Novo Samba”, álbum de Benito Di Paula. O cantor lembra a carreira, a inclusão de novos elementos no disco 100% autoral e os contratos mal elaborados pelas gravadoras.
 
O PAÍS DO CINEMA
REPRISE
Episódio: A Cidade Onde Envelheço
1º Horário: Segunda, dia 8/7, às 23h30
Rebatidas: terça, dia 9/7, às 7h; e segunda, dia 15/7, às 13h30
Classificação: 14 anos

Sinopse: Fabiula Nascimento comandou, durante dois anos, um mergulho na história do cinema brasileiro em O País do Cinema. No terceiro ano da atração, a atriz passa o bastão para a também intérprete Andreia Horta, que assume a posição de apresentadora para receber realizadores, diretores e intérpretes e colocar em pauta uma abordagem crítica e informativa da produção nacional recente. O programa dirigido por Marcello Ludwig Maia foca sua atenção em filmes da mais recente safra da sétima arte do país. Entre os escolhidos estão trabalhos de premiados artistas como Laís Bodanzky, Julio Bressane, Cláudio Assis, Ruy Guerra, Camila Pitanga, Fellipe Barbosa, Sérgio Rezende, Caroline Leone, Carolina Jabor, Jorge Durán e Hilton Lacerda, entre outros.

Neste episódio: Andréia Horta recebe Marília Rocha e Luana Melgaço, diretora e produtora de “A Cidade Onde Envelheço”. As convidadas falam sobre o surgimento do roteiro e lembram os bastidores da filmagem.

ELETROGORDO
INÉDITO
Convidado: André Abujamra
Horário: Segunda, dia 8/7, à 0h
Classificação: 14 anos

Sinopse: Personalidade irreverente da cultura pop brasileira, conhecido pelas letras anárquicas e apresentações explosivas nos palcos com os Ratos de Porão, João Gordo chega à quarta temporada de sua atração no Canal Brasil trazendo convidados ainda mais provocativos e questionadores. O cenário do programa dirigido por André Barcinski é o mesmo; o cantor continua comandando uma pequena oficina de eletrodomésticos cujos frequentadores trazem sempre um aparelho velho, mas o reparo pouco importa. Todos chegam ali para trocar dois dedos de prosa com o mecânico, em papos sobre a vida e a carreira, sempre com revelações bombásticas sobre suas histórias e comentários cômicos e curiosos.

João Gordo, que comanda a conversa praticamente sem cortes e sempre com um tom leve de amigos de longa data conversando, fez questão de escolher entrevistados – alguns indicados por sua filha, Victoria, de 14 anos – com um perfil confrontador. A lista inclui a ex-deputada e ex-candidata à presidência, Manuela D’Ávila; a jornalista, escritora e apresentadora de televisão Barbara Gancia; o poeta e romancista Ferréz; o compositor, ator e músico André Abujamra e uma seleta lista de personalidades do rap e hip-hop, como BNegão, Karol Conka, Preta-Rara e Rincon Sapiência – com destaque para o reencontro de Dexter e Afro-X, fundadores do icônico 509-E, que finalmente acertaram suas desavenças na oficina do apresentador. Adriane Galisteu, Danilo Beyruth, Dudu França, Edu Lane, Eliane Dias, Fernanda Lira e Gilliard, entre outros, também aparecem na loja com suas bugigangas.

Neste episódio: “A vida é sua, estrague-a como quiser”. André Abujamra discorre sobre o legado deixado pelo pai, Antônio Abujamra, e o trabalho com trilhas sonoras em sucessos do cinema brasileiro.

TERÇA-FEIRA, 9 DE JULHO

FAIXA MUSICAL – Vander Lee: 20 Anos 
1º Horário: Terça, dia 9/7, às 14h
Rebatidas: quarta, dia 10/7, às 8h45; e quinta, dia 11/07, às 11h30
Classificação: Livre

Sinopse: Diretamente do Espaço Tom Jobim, no Rio de Janeiro, o cantor Vander Lee realizou um show comemorativo pelos seus 20 anos de carreira. Participação especial de Mariene de Castro.

TRANSMISSÃO 
INÉDITO 
Convidado: Erica Malunguinho
1º Horário: Terça, dia 9/7, à 0h
Rebatida: quarta, 10/7, às 14h10
Classificação: 12 anos

Sinopse: Linn da Quebrada e Jup do Bairro são duas das mais revolucionárias personalidades da nova geração da cultura brasileira. Suas apresentações de rap nas periferias são incendiárias e críticas, com letras focadas nos dilemas do universo LGBTQI, na desigualdade social e questões raciais. Suas trajetórias encantaram os documentaristas Kiko Goifman e Claudia Priscila, diretores de Bixa Travesti (2018), no qual elas expõem suas rotinas e mostram como suas posturas nos palcos visam desconstruir estereótipos de gênero, raça e classe. Novamente juntos, cineastas e cantoras estrelam o novo programa da faixa da meia-noite no Canal Brasil, dando sequência ao bastão passado por Laerte Coutinho em Transando com Laerte, que se despede da grade depois de quatro temporadas.

O talk show comandado pelas plurais artistas traz convidados para um bate-papo irreverente, no qual questões de gênero, sexo e raça são frequentemente abordadas, mas não limitadoras a conversa. O papo com Laerte Coutinho fala sobre transexualidade, mas também aborda relacionamentos amorosos e religião. Com a funkeira MC Carol, elas discutem a influência do rap na periferia e a descoberta da veia artística. A deputada Erica Malunguinho fala sobre a dificuldade de pessoas trans em ocupar espaços de poder, tanto na política quanto na academia, e a atriz Glamour Garcia fala sobre aceitação da personalidade. Há espaço ainda para os músicos Jards Macalé, Tom Zé e Letrux, o ex-prefeito Fernando Haddad, a cineasta Anna Muylaert, o ex-jogador de futebol Vampeta e a chef de cozinha Paola Carosella, entre outros.

Neste episódio: “Existe resistência pois combatem nossa existência”. Erica Malunguinho, primeira deputada trans eleita em São Paulo, critica o processo de inferiorização do negro imposto pela sociedade.

QUARTA-FEIRA, 10 DE JULHO

PORNOLÂNDIA
INÉDITO
Episódio: Será Que Freud Explica?
Horário: Quarta, dia 10/7, à 0h
Classificação: 16 anos 

Sinopse: A musa da pornochanchada Nicole Puzzi retorna à tela do Canal Brasil em entrevistas picantes, com membros do universo da pornografia e do erotismo no país. Sempre em tom irreverente, a apresentadora discute abertamente temas como fetiche, sensualidade, nudez artística e o mercado brasileiro de filmes adultos. A anfitriã está ainda mais curiosa e provocativa no quinto ano do programa, seja investigando as práticas sexuais menos comuns, revendo os velhos amigos ou conversando com figuras da indústria pornô. 

Neste episódio: “A relação humana é mais do que apenas métricas”. O psicanalista Sergio Savian critica a robotização dos relacionamentos e a cultura narcísica que desencoraja laços afetivos.

QUINTA-FEIRA, 11 DE JULHO

302 
INÉDITO
Convidado: Caroline
1º Horário: Quinta, dia 11/7, à 0h
Rebatida: Segunda, dia 15/7, às 2h50
Classificação: 14 anos

Sinopse: Fotógrafo consagrado pelo olhar perspicaz e retratos impactantes em preto e branco, Jorge Bispo traz novamente para o Canal Brasil, em sua quinta temporada, um de seus projetos mais ousados. Em 302, o artista recebe em seu próprio apartamento 13 mulheres comuns que toparam tirar a roupa à frente de sua câmera. Longe dos rígidos padrões de beleza estabelecidos pelas celebridades por ele já clicadas, cujas fotos estamparam capas das principais publicações do país, Bispo traz à tela uma iniciativa artística e minimalista.

Neste episódio: “Por ser mulher negra, eu era vista como vagabunda”. Caroline revela que nunca recebeu apoio do pai de seu filho, mas passou a ser julgada quando lutou por autonomia para sua vida.

SEXTA-FEIRA, 12 DE JULHO

ELIS – VIVER É MELHOR QUE SONHAR 
INÉDITO
Episódio 01
1º Horário: sexta, dia 12/7, às 22h30
Rebatidas: sábado, dia 13/07, às 13h30; domingo, 14/07, às 2h e às 9h; e terça, dia 16/07, à 0h15 
Classificação: 14 anos

Sinopse: Em 2016, o diretor Hugo Prata levou aos cinemas a biografia da artista gaúcha Elis Regina em uma grande produção estrelada por elenco formado por Andréia Horta, Lucio Mauro Filho, Caco Ciocler, Zécarlos Machado, Rodrigo Pandolfo, Julio Andrade, Isabel Wilker e Thelmo Fernandes, entre outros. Três anos depois, o longa-metragem recebeu adaptação para uma minissérie, trazendo cenas adicionais escritas exclusivamente para o novo formato. 

A série passeia pela história de Elis Regina (Andréia Horta) desde sua saída de Porto Alegre para tentar a vida no Rio de Janeiro. Uma entrevista fictícia gravada pela Pimentinha, na qual a própria lembra momentos importantes de sua carreira, é o fio condutor do roteiro. Além das montagens ficcionais de sua biografia, o guião inclui muitas imagens de arquivo da intérprete, de apresentações nos palcos Brasil afora a depoimentos gravados em reportagens. A cada capítulo, o espectador mergulha na trajetória da musicista. A atração retrata o primeiro teste para um musical de Vinicius de Moraes (Thelmo Fernandes) e Tom Jobim (Sergio Guizé), o encontro com Ronaldo Bôscoli (Gustavo Machado) e Miéle (Lucio Mauro Filho) nas boates cariocas, o entrosamento musical com Nelson Motta (Rodrigo Pandolfo) e o aprendizado com Lennie Dale (Julio Andrade).

Neste episódio: O episódio inicial dessa série adaptada do filme “Elis” acompanha os primeiros passos da Pimentinha na música, cantando na noite carioca, e a vitória no Festival da MPB com “Arrastão”.