Home Top Ad

Por trás da selfie: adolescentes e cirurgia plástica em pauta no Caminhos da Reportagem da TV Brasil

Share:

Divulgação TV Brasil
O Caminhos da Reportagem que vai ao ar nesta terça-feira (06), às 22h30, na TV Brasil, conta a história de adolescentes que querem fazer cirurgia plástica e que já passaram por algum tipo de procedimento. Uma pesquisa da Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética (ISAPS) apontou que o Brasil é o país que mais faz cirurgia plástica em jovens.

Uma das personagens da matéria especial, também veiculada no aplicativo EBC Play, é a estudante Mylena Julie, que tem 15 anos e tenta convencer a mãe a pagar uma cirurgia para implante de silicone. Ela acredita que as imagens que vê nas redes sociais na internet influenciam o seu desejo.

Já a comissária de bordo Flávia Almeida conta que cresceu muito complexada com a orelha em abano. Ela fez a primeira cirurgia aos 15 anos, mas a orelha voltou ao normal. Passou por uma nova cirurgia já na fase adulta.

O cirurgião plástico e responsável técnico pela unidade de cirurgia plástica do Hospital Regional da Asa Norte (HRAN), em Brasília, Altino Rezende, também foi entrevistado pela equipe do Caminhos da Reportagem. Ele explica que há cirurgias que são estéticas, mas que há aquelas que são reparadoras e para corrigir malformações congênitas.

É o caso de Kelvin dos Santos, de 14 anos, que nasceu com uma malformação em uma das orelhas. Ele relata ter sofrido muito bullying na escola: os colegas o isolavam e o maltratavam. A mãe, Ana Lúcia dos Santos, diz que o filho sempre foi uma criança muito fechada e ela notava que era por conta desse problema. Kelvin já passou por duas cirurgias de reconstrução da orelha e ainda vai fazer mais uma. "Foi muito difícil passar por esse bullying na escola. Depois disso eu fiz a cirurgia e me senti outra pessoa", comenta Kelvin.

Para a nutricionista e professora da Universidade de Brasília Renata Monteiro, a insatisfação corporal está atrelada a um processo de sofrimento. “Se eu estou insatisfeita com algo que é tão próprio, tão meu, que é minha imagem, como me apresento no mundo, possivelmente vou buscar coisas que façam me sentir mais aceita”, afirma.

A psicanalista Márcia Maesso ressalta que é importante que os pais estejam atentos. Segundo ela, é preciso dar espaço de fala para o adolescente, para que possam perceber quando é algo que se torna muito insistente e muito importante na vida do filho.