Home Top Ad

Visceral Brasil revela o ritmo e a tradição do Jongo da Serrinha

Share:

Divulgação TV Brasil
O quinto episódio inédito da série Visceral Brasil - As Veias Abertas da Música reverencia a importância cultural do Jongo da Serrinha, grupo que há 50 anos difunde o canto e a dança de origem africana no bairro de Madureira, no Rio de Janeiro. O documentário “Coração da Serrinha” vai ao ar na TV Brasil à meia-noite desta sexta (06) para sábado (07).

Este episódio revela porque o Jongo da Serrinha é uma referência que resiste na raiz da formação da musicalidade no morro da Serrinha. O trabalho é liderado por mulheres que tomaram para si a luta pela revitalização desta cultura e pelo espaço da Casa do Jongo.

O Jongo da Serrinha é o grupo mais tradicional de dança de batuque da cidade do Rio, criado pelo Mestre Darcy Monteiro e sua mãe, a Vovó Maria Joana Rezadeira. Eles transformaram as rodas informais de jongo em ensaios artísticos para preservar a tradição.

O jongo, também conhecido como caxambu, influenciou a formação do samba carioca e da cultura popular brasileira. Com o fim da escravidão, muitos ex-escravos migraram das fazendas do Vale do Rio Paraíba para o Rio de Janeiro, transformando a cidade em uma das regiões do país com a maior concentração de jongueiros.