Home Top Ad

Discovery estreia a série inédita "Em Busca dos Vikings"

Share:

Divulgação Discovery
O arqueólogo Blue Nelson trabalha na busca por evidências da presença de povos vikings na América e o Discovery acompanha de perto as expedições cheias de aventura que ele empreende pelo extremo norte do continente.

A partir de quinta-feira, 28 de novembro, às 22h, a série inédita EM BUSCA DOS VIKINGS (America's Lost Vikings) segue os passos de Nelson e de sua dupla, o também arqueólogo e cinegrafista Michael Arbuthnot – juntos, eles esperam fazer descobertas que podem mudar aquilo que entendemos sobre a história do continente. 

Os episódios documentam as incursões da dupla pelos ares, mares e territórios intocados, durante as quais a tecnologia do século XXI é utilizada para refazer a trilha de vikings que teriam estado na América 500 anos antes da chegada de Cristóvão Colombo.

A missão começa na ilha de Newfoundland, na costa leste do Canadá – lá, na década de 1960, o casal de pesquisadores Helge Ingstad e Anne Stine Ingstad encontrou evidências cruciais durante oito anos de explorações arqueológicas no sítio que recebeu o nome de L'Anse aux Meadows.

Testes posteriores mostraram que os materiais recolhidos nas ruínas do local datam de aproximadamente mil anos, ou seja, muito antes de Colombo. A ilha é a única evidência concreta da presença de vikings na América, mas Nelson e Michael estão decididos a mostrar que eles foram muito além de Newfoundland, adentrando o continente.

A dupla já realizou expedições por diversas partes dos Estados Unidos e agora está pronta para recolher evidências que confirmem sua principal hipótese: os vikings se estabeleceram na América muito antes da chegada de Colombo. Na série, eles seguem recolhendo materiais que serão comparados aos itens já catalogados, descobertos na Europa e em L'Anse aux Meadows, e que passarão por exame cuidadoso com auxilio das mais avançadas ferramentas e pesquisas.

No episódio que inicia a temporada, Blue e Mike percorrem o ponto de partida, L'Anse aux Meadows, para conhecer aquilo que já foi feito desde a descoberta do casal Ingstad. Os dois acreditam que, devido à natureza agressiva e conquistadora dos povos vikings, eles provavelmente viram na ilha um entreposto para a chegada a novas terras. 

Com a ajuda de drones e de tecnologias de mapeamento, eles procuram estabelecer por quanto tempo os vikings teriam permanecido na ilha e traçam aquela que seria a possível rota de saída rumo ao continente americano.

Os perfis das construções vikings na Europa que datam de diferentes momentos da era viking são confrontados com as implantações das ruínas descobertas em L'Anse aux Meadows – os resultados sugerem que eles ficaram na ilha entre os séculos X e XII, contrariando as versões que atribuem uma permanência de apenas dez anos.