Home Top Ad

Programa Especial apresenta décima quinta temporada a partir deste sábado na TV Brasil

Share:

Divulgação TV Brasil
No Dia Internacional da Síndrome de Down, celebrado neste sábado (21), o Programa Especial comemora a estreia de sua décima quinta temporada na emissora pública em novo horário, às 9h30, na telinha da TV Brasil.

Com 13 edições semanais de 26 minutos, a produção está há 16 anos no ar com reportagens dedicadas à inclusão de pessoas com deficiência. O Programa Especial é apresentado pela publicitária cadeirante Juliana Oliveira e traz matérias feitas por Fernanda Honorato, primeira repórter com Síndrome de Down do país. O conteúdo também pode ser acompanhado no aplicativo EBC Play.

O programa que abre a nova temporada destaca os benefícios da prática esportiva para crianças, jovens e adultos com esse distúrbio genético. Fernanda Honorato bate um papo com a princesa Maria Cristina de Orléans e Bragança que também tem Síndrome de Down e pratica natação e tênis.

A equipe da produção ainda entrevista o nadador Gustavo de Aratanha que é campeão o lutador Diogo Lavigne, atleta faixa preta de jiu-jitsu. Essa edição ainda traz o depoimento da cardiopediatra Tatila Nolasco sobre atividades físicas para pessoas com deficiência.

Na conversa com Fernanda Honorato, a princesa Maria Cristina revela sua paixão pelo esporte, conta um pouco de cada modalidade que pratica e dá uma dica valiosa. "Vou aconselhar as pessoas que querem uma vida saudável: fazer mais exercícios, comer menos e comida saudável. É para tomar bastante água, fazer umas boas caminhadas e muito esporte".

Gustavo de Aratanha explica que decidiu focar em um único esporte, a natação. Desde os primeiros meses de vida, ele nada por questões terapêuticas e acabou tomando gosto pela atividade, tornando-se um atleta medalhista de ouro. Além das conquistas, a natação permitiu a ele adquirisse independência.

"A relação dele com a natação é um negócio espetacular porque, em grande medida, a desenvoltura que o Gustavo tem vem de praticar um esporte. Ele vai para fonoaudióloga, pega o ônibus sozinho", comenta Rogério de Aratanha, pai do atleta.

O Programa Especial também apresenta a trajetória de Diogo Lavigne que tem grandes realizações nos tatames. "Peguei ouro, bronze, prata e até ouro. A medalha tá aqui, bem no coração", emociona-se o entrevistado.

A cardiopediatra Talita Nolasco ressalta a importância da prática de esportes desde cedo para crianças com síndrome de Down. "O exercício vai ajudar na hipotonia já que os músculos são mais flácidos. Vai aumentar o tônus e a resistência desse músculo. A outra característica é que essas pessoas têm os ligamentos, as articulações mais frouxas, e isso vai fortificá-las no pescoço e, sobretudo, no quadril".