Home Top Ad

Audiência da TV paga aumenta 20% na quarentena. Canais de notícias, filmes e infantis são destaque

Share:

Reprodução
As medidas de distanciamento social para evitar a propagação da nova Covid-19 tiveram grande impacto na audiência da TV por assinatura. Segundo dados da Kantar IBOPE Media, no período de 24 de março a 5 de abril, quando todas as capitais brasileiras já estavam adotando as medidas preventivas, os canais pagos registraram cerca de 20% de aumento de audiência, tanto em relação ao mesmo período do ano passado quanto em comparação com a média de 2020.

O crescimento de audiência da TV por assinatura durante o isolamento social tem sido maior entre mulheres, de 35 a 49 anos, das classes AB e adolescentes.

A audiência da TV paga cresceu em todos os horários durante a quarentena. Na faixa vespertina (12h às 18h), o aumento foi de 35% em relação ao mesmo período de 2019. São cerca de 14 milhões de pessoas ligadas em canais pagos durante a tarde - 700 mil a mais do que em 2019.

Os jovens adultos (25 a 34 anos), adultos (35 a 49) e os maduros (50+) são os que mais se mobilizam nesse horário, principalmente para assistir aos canais de notícias que transmitem, ao vivo, quase diariamente, pronunciamentos e entrevistas coletivas de autoridades de saúde.

O isolamento social também aumentou o tempo de consumo dos canais pagos para uma média de 3h40 por dia, um crescimento de 15% em relação ao mesmo período de 2019.

Todos os gêneros de canais ganharam audiência em pelo menos uma faixa diária, exceto os canais esportivos, que sofrem o impacto dos cancelamentos dos eventos ao vivo.

Os canais de notícias são o grande destaque. Na média do dia, mais que dobram de audiência, e, na faixa vespertina, quase triplicam o percentual de assinantes ligados minuto a minuto. Estes canais estão ganhando alcance e tempo de permanência – ou seja, atraindo novos públicos e aumentando engajamento por mais tempo.

A cobertura em tempo real dos acontecimentos em torno da pandemia e as entrevistas coletivas de autoridades trazem um fluxo novo de audiência para a TV por assinatura, principalmente no período vespertino.

Além disso, canais de nicho, como de documentários e de lifestyle, acabam se beneficiando desse movimento.

Os canais de filmes apresentam o segundo maior crescimento (cerca de 60%), principalmente como reflexo das aberturas de sinal de alguns canais premium. O público maior de 35 anos é o grupo que mostra os maiores índices de crescimento no consumo de filmes nesse período.

O crescimento do consumo de canais infantis no horário vespertino, não só entre crianças, mas principalmente entre adultos de 25 a 49 anos, também mostra como a TV está ajudando no entretenimento em família durante o isolamento social.

Adolescentes (de 12 a 17 anos) e os jovens (de 18 a 24) também estão dedicando mais tempo à programação de TV por assinatura. Nestes dois públicos, a faixa da madrugada (da meia-noite às 6h da manhã) tem o maior crescimento relativo, principalmente para os canais de variedades/entretenimento e filmes. A agenda diária mais livre, já que os estudantes não estão tendo aulas regulares, ajuda a explicar esse comportamento.

Merece destaque, ainda, o grande crescimento desses jovens nos canais de notícias. Uma novidade, já que as maiores parcelas de público destes canais concentram-se acima dos 25 anos. Porém, o contexto da pandemia é tão impactante que está sendo capaz de prender a atenção dos jovens, por mais de 1 hora diariamente, nos canais noticiosos, o dobro do que era observado em 2019.

“A TV por assinatura está sendo fundamental para manter os brasileiros bem informados sobre a pandemia, em tempo real e integral, além de se confirmar como um importante meio de entretenimento para toda a família neste momento de isolamento social”, afirma Oscar Simões, presidente da Associação Brasileira de Televisão por Assinatura (ABTA).