Home Top Ad

Evaristo de Macedo fala sobre carreira na série "Os Setentões" desta sexta na TV Brasil

Share:

Divulgação TV Brasil
Com uma trajetória de conquistas na Espanha e no Brasil como jogador e como técnico, o veterano Evaristo de Macedo bate um papo sobre essa trajetória na série especial "Os Setentões", quadro do programa esportivo No Mundo da Bola que a TV Brasil exibe nesta sexta (1), às 19h30.

Durante a entrevista exclusiva para o jornalista Sergio du Bocage, o craque recorda divertidas histórias de sua carreira repleta de conquistas em campo como atleta e no banco de reservas como treinador no futebol brasileiro e também nos gramados do exterior.

Recorde pelo Brasil e consagrado no Barcelona

Único atleta a marcar cinco gols em apenas um jogo da seleção brasileira, em 1957, no Campeonato Sul-Americano daquele ano, quando o Brasil goleou a Colômbia por 9 a 0, Evaristo de Macedo obteve diversas marcas expressivas na carreira.

Aos 86 anos, ele é o segundo maior goleador brasileiro da história do Barcelona, clube que defendeu entre 1957 e 1962, com 105 gols, atrás apenas de Rivaldo. A equipe já teve diversos astros do país no elenco, com destaque para Romário, Ronaldo Fenômeno, Ronaldinho Gaúcho e, mais recentemente, Neymar.

Pelo Barça, Evaristo levantou diversos títulos. As principais conquistas foram a Copa do Rei de 1958-1959, o Campeonato Espanhol nas temporadas de 1958-1959 e 1959–1960 e o renomado Troféu Ramón de Carranza em 1962.

Venerado na Espanha, o ídolo também jogou pelo rival Real Madrid entre 1962 e 1964. Na equipe merengue também venceu o Campeonato Espanhol. Ele foi tricampeão durante a estadia no clube madrilenho.

Evaristo de Macedo começou a carreira como jogador no Flamengo, único time pelo qual atuou como profissional no país, após ser juvenil no Madureira. Em sua primeira passagem pela Gávea, disputou as temporadas de 1953 a 1957.

Depois de brilhar no continente europeu, Evaristo voltou ao clube de coração para defender as cores do rubro-negro de 1964 a 1966. Pelo Flamengo, conquistou a Taça dos Campeões Estaduais Rio-São Paulo em 1956. Também venceu o Campeonato Estadual de 1953, 1954, 1955 e 1965.

Trajetória como técnico de futebol

Na descontraída conversa com Sergio du Bocage, o veterano lembra de episódios da sua carreira no banco de reservas como treinador de clubes do futebol brasileiro e também de times do exterior. Fora das quatro linhas, Evaristo dirigiu, a partir de 1970, cerca de 15 times no país e no exterior, além das seleções do Brasil, Iraque e Qatar, até 2006, quando se aposentou.

Ele começou a carreira de treinador no Bahia em 1970 e foi o técnico da equipe também em 1988 quando o clube conquistou o título do Campeonato Brasileiro. Aquele elenco tinha craques como Bobô na vitória sobre o Internacional.

Evaristo de Macedo conduziu importantes equipes do futebol nacional em décadas de carreira como Flamengo, Vasco da Gama, Bangu, Bahia, Grêmio, Corinthians, Santa Cruz, Vitória, Atlético Paranaense e Cruzeiro.

Como técnico da seleção brasileira, Evaristo de Macedo não teve uma trajetória longa no comando da Amarelinha. Dirigiu o elenco canarinho em 1985, pouco antes das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 1986, no México. Ele classificou a seleção brasileira para o Mundial, mas acabou sendo substituído no cargo por Telê Santana. Naquele ano, treinou a seleção do Iraque na Copa do Mundo.

Início da carreira e Jogos Olímpicos de 1952

Evaristo de Macedo se destacava dentro de campo por virtudes como velocidade, visão de jogo, inteligência na criação de jogadas e capacidade técnica diferenciada. Com apenas 19 anos, ele foi convocado para a seleção brasileira que disputou as Olimpíadas de Helsinque, em 1952, quando ainda atuava pelo juvenil do Madureira. No ano seguinte, Evaristo começou sua vitoriosa trajetória no Flamengo.

Durante o animado papo para o programa esportivo da TV Brasil, o convidado recorda a experiência dentro e fora dos gramados ao enumerar treinadores que foram referências para seu trabalho como técnico.

Ele debate temas que marcaram a profissão como a influência externa da imprensa no trabalho. A dispensa de atletas das equipes é um tema levantado por Evaristo de Macedo que também analisa o perfil dos jogadores daquela época e da geração atual ao refletir sobre os desafios de se conduzir um time.

Entre as muitas histórias que ele lembra no decorrer da conversa com Sergio du Bocage, uma delas se refere à inesquecível dupla de ataque do Santos formada por Pelé e Coutinho, craque do clube alvinegro e da seleção.

Como foi técnico no chamado "mundo árabe", Evaristo fala sobre sua expectativa para a Copa do Mundo de 2022 no Qatar onde até hoje é ídolo. O veterano discute a mudança do calendário para a competição no Oriente Médio que será em novembro em vez de junho e julho como é o usual. Também destaca o papel do astro Neymar e o compara com Romário.

Evaristo de Macedo ainda conta como se sentia ao treinar o Flamengo, seu clube do coração e dá um depoimento emocionante sobre o amigo Mário Jorge Lobo Zagallo, também veterano que está com 88 anos.