Home Top Ad

TV Brasil apresenta três shows em tributo a Aldir Blanc neste sábado

Share:

Divulgação TV Brasil
Em homenagem ao compositor e escritor Aldir Blanc, que faleceu nesta segunda (4), aos 73 anos, no Rio de Janeiro, a TV Brasil exibe uma programação especial com três apresentações exclusivas que resgatam o repertório do letrista neste sábado (9), a partir das 22h30, na faixa Shows Mais Brasil.

Para celebrar a obra do artista, o canal começa o tributo com o espetáculo "Dorina canta sambas de Aldir & ouvir" que foi gravado no histórico estúdio 3 da emissora pública para o programa Todas as Bossas, em 2017. A cantora festejou os 70 anos do autor com sucessos como "O Bêbado e a Equilibrista".

Em seguida, às 23h30, o destaque é a performance do cantor, violonista e compositor João Bosco, principal parceiro artístico de Aldir Blanc, no show do álbum "Mano Que Zuera". Com clássicos da dupla, o registro de 2018, no Espaço Cultural BNDES, é a atração do programa Cena Musical.

Logo depois, à meia-noite, o sambista Moacyr Luz toca hits que compôs com Aldir Blanc. O especial foi gravado para o Todas as Bossas na comemoração de 60 anos do bamba no Espaço Cultural BNDES, também em 2018.

Os três shows podem ser acompanhados na íntegra no site da TV Brasil em http://tvbrasil.ebc.com.br/. As apresentação também já estão no aplicativo EBC Play, disponível nas versões Android e iOS, e no site http://play.ebc.com.br.

Clássicos de Aldir Blanc na voz de Dorina

A sambista Dorina entoa músicas de Aldir Blanc no programa Todas as Bossas deste sábado (9), às 22h30, na TV Brasil. A apresentação reúne vasto repertório do compositor que é considerado um dos maiores letristas do cancioneiro nacional.

Durante o show "Dorina canta sambas de Aldir & ouvir", oitavo disco da artista, ela revisita a obra do amigo ao interpretar clássicos como "O Mestre-Sala dos Mares", "Pretinho Básico", "Saindo à francesa", "O Ronco da Cuíca", "De Frente pro Crime", "Navalha", "Suave Veneno" e "Restos de um Náufrago".

As canções que marcaram a carreira de Aldir Blanc são fruto do trabalho ao lado de outros grandes astros como João Bosco. Ele também atuou em conjunto com personalidades como Moacyr Luz e Moyseis Marques, além dos saudosos Luiz Carlos da Vila e Wilson das Neves.

No palco do lendário estúdio 3, onde já se apresentaram astros da MPB desde os tempos da TVE/RJ, Dorina é acompanhada por Paulão 7 Cordas e Ramon Araújo nos violões e Rodrigo Reis na percussão. O show ainda tem as participações especiais de Clarice Grova e Fátima Guedes nos vocais.

Performance intimista de João Bosco

Parceiro de primeira hora de Aldir Blanc, o mineiro João Bosco assina diversos sucessos com o célebre cronista carioca. No espetáculo do disco "Mano Que Zuera", ele combina lançamentos e hits da carreira que o público confere às 23h30, no programa Cena Musical, da TV Brasil.

Títulos que os parceiros produziram em sua vasta trajetória na MPB estão no repertório da apresentação com destaque para "Incompatibilidade de gênios", "Nossas últimas viagens", "Coisa feita", "João do Pulo", e "Corsário".

Em tom intimista, voz e violão, João Bosco revela seu espírito jovial em um show gravada pela emissora pública no Espaço Cultural BNDES. O álbum "Mano Que Zuera", divulgado em 2017, quando João Bosco celebrava 45 anos de estrada na música, foi o primeiro projeto com inéditas desde 2009.

Moacyr Luz entoa parcerias com Aldir Blanc

O repertório de obras compostas por Moacyr Luz com Aldir Blanc embala o programa Todas as Bossas que a TV Brasil exibe na sequência, à meia-noite. O show foi gravado no Espaço Cultural BNDES, em 2018, quando o sambista festejava 60 anos.

O cantor e compositor solta a voz em sucessos como "Saudades da Guanabara" e "Pra que pedir perdão?", além de faixas como "Anjos da Velha Guarda", "Mico preto", "Coração do agreste", "Medalha de São Jorge" e "Cabô meu pai".

Moa, como é carinhosamente chamado pelos amigos, tem uma trajetória marcada por parcerias com grandes nomes da música brasileira. O bamba se apresenta na produção da emissora pública com Carlinhos 7 Cordas no violão e os percussionistas Nego Álvaro e Júnior de Oliveira.