Home Top Ad

Mistérios e diversidade na Serra do Roncador no 'Globo Repórter' desta sexta-feira

Share:

Divulgação Globo
Em uma área  de mais de 800 quilômetros, a Serra do Roncador vai do Vale dos Sonhos, no Mato Grosso, até a Serra do Cachimbo, no Pará. Seu nome vem dos ruídos gerados pelos ventos e pela movimentação das águas. O ‘Globo Repórter’ desta sexta-feira, dia 17, reapresenta a viajem do repórter Francisco José pela região, que revela as belezas naturais de um dos lugares mais preservados do país, considerado uma das maiores biodiversidades do mundo. São mais de seis mil espécies de árvores e plantas, mais de 900 de aves e cerca de 30 de mamíferos, como onças pintadas e tamanduás.
 
“Muita gente é atraída pelos mistérios da Serra do Roncador. Há quem acredite que existe uma cidade perdida no interior da montanha e até discos voadores sobre essa grande cordilheira do Brasil central. Nossa aventura inclui longas caminhadas pela floresta, descobrindo belas cachoeiras, até chegar ao refúgio das araras nos paredões da serra”, conta Francisco José.
 
Acompanhada por experientes guias da região, a equipe do ‘Globo Repórter’ percorre trilhas tortuosas e escorregadias, explora penhascos e visita cavernas. Chega até a cachoeira Jatobá, com mais de 80 metros de queda d’água, e a uma cachoeira com água mineral e piscinas naturais, em uma área preservada, com acesso controlado. A Serra do Roncador também é rica em ervas medicinais. O chá da casca da sucupira é usado pelos nativos para o tratamento de artrite e artrose; e o chá de douradinha combate doenças renais. A canela de velho diminui as dores nas articulações e a agoniada seria um grande aliado das mulheres, ajudando a diminuir as cólicas menstruais.
 
O ‘Globo Repórter’ vai ao ar na noite de sexta-feira, dia 17, logo após a novela ‘Fina Estampa’.


Nenhum comentário

Comentários Ofensivos ou Irrelevantes e os que conter publicidades serão todos excluídos.