Home Top Ad

Caio Blat e Luisa Arraes em sua versão dramatúrgica mais completa

Share:

Divulgação Globo/Sergio Zalis
Nascida para ser gravada remotamente, a série ‘Amor e Sorte’, que estreia em setembro, na TV Globo, traz quatro histórias completamente diferentes, mas com uma temática em comum: os relacionamentos durante o isolamento social forçado pela pandemia. Idealizada por Jorge Furtado, além de falar sobre este cenário e as transformações que vieram com ele, a série também tinha como premissa fundamental que os episódios fossem gravados com atores que passavam o período de quarentena juntos. Os três episódios gravados remotamente têm direção artística de Patrícia Pedrosa. O quarto foi gravado também com suas peculiaridades de um isolamento, mas presencialmente, com direção artística de Andrucha Waddington. 
No episódio 'A Beleza Salvará o Mundo', Caio Blat e Luisa Arraes são Manoel e Teresa. Um engenheiro químico aspirante a diretor de cinema e uma atriz, que se conhecem justamente no fim de semana em que o isolamento social começa e resolve fazer um filme. “A grande mensagem desse episódio é que ciência e arte, juntas, podem salvar o mundo. É uma comédia romântica deste casal quarentenado, que vai descobrindo junto como é fazer cinema, querendo resolver todos os problemas da humanidade dentro do seu pequeno universo", define o autor. 
Caio e Luisa escreveram o roteiro ao lado de Jorge Furtado. Além disso, sob orientação da diretora artística, Patrícia Pedrosa, dirigiram a si mesmos durante as gravações, que foram acompanhadas remotamente pelas equipes de direção, direção de fotografia, produção, produção de arte, caracterização, figurino, continuidade, som, tecnologia e outras áreas. Todos dentro da casa de Luisa, onde o episódio foi gravado, através de uma plataforma de vídeo, que possibilitou a comunicação entre eles durante todo o período. Câmeras, microfones, luzes, objetos da produção de arte, figurino e alguns produtos para caracterização foram enviados para o casal, devidamente higienizados, e dias antes da gravação ser iniciada. 
“Era engraçado, terminar de jantar e ter cerca de 20 pessoas de certa forma entrando na nossa casa (risos). Foi o máximo, uma verdadeira faculdade de Cinema. Aprendemos de tudo um pouco, ficamos muito felizes e vimos o valor real de cada função no set”, comenta Luisa. "Nós três, eu, Jorge e Caio, sabíamos que estávamos passando por um momento tão inédito, com tanto medo, que queríamos que as pessoas falassem sobre isso. Queríamos conectar as pessoas nesse mesmo assunto. E foi a paixão pela experiência nova que nos motivou a ir por esse caminho", conclui a atriz. 

Caio também reforça como foi importante viver a função dos colegas. "Foi uma grande oportunidade superar esse momento do nosso setor. Inventamos uma maneira de continuar criando. Conhecer de perto todas as funções do set, ver como cada uma delas é importante, fazer um trabalho tão colaborativo foi um grande aprendizado”, destaca Caio Blat. "Um momento muito incrível foi quando a estação de trabalho chegou aqui em casa, com os equipamentos todos, e a gente ligou aquilo e viu a carinha da equipe toda. Foi muito legal! Muito lindo! Realmente deu uma dimensão dos desafios que a gente estava enfrentando. Ao mesmo tempo em que ficamos apavorados com o que a pandemia podia trazer, surgiu este desafio cheio de surpresas. Com outro conceito de privacidade, de comunicação, de encontro", destaca o ator.

Para a diretora artística, Patrícia Pedrosa, a experiência que Caio e Luisa têm no setor foi um bônus na gravação remota. "Foi incrivelmente fácil gravar com a Luisa e o Caio porque eles sabem muito e são atores muito experientes. Isso foi fundamental para que o projeto desse certo. Eles sabem tudo, são diretores, autores, atores e ainda fazem uma câmera incrível. Desde o primeiro dia de teste, sabia que tudo daria certo. Dia após dia, os dois foram incansáveis. Achei a dedicação e o empenho deles muito bonito. Agradeço por toda a parceria e ao Jorge pela pelo convite, porque para mim foi um grande presente da quarentena", celebra Patrícia. 
Sobre ‘Amor e Sorte’     
Jorge Furtado, autor de diversos programas de TV – entre os mais recentes, ‘Mister Brau’, ‘Sob Pressão’ e ‘Todas as Mulheres do Mundo’ -, foi impulsionado pelos momentos adversos da atualidade para a criação de ‘Amor e Sorte’. As grandes transformações que aconteceram e ainda acontecem neste período foram sua inspiração. Ao lado dele, mais uma vez, está a diretora artística Patricia Pedrosa, que assinou também a direção artística de ‘Cine Holliúdy’, ‘Shippados’ e ‘Todas as Mulheres do Mundo’.  
Serão quatro episódios independentes, com estreia na TV Globo em setembro. Lázaro Ramos e Taís Araujo são os personagens do episódio assinado por Alexandre Machado, autor de produções icônicas, como ‘Os Normais’ e ‘Shippados’, no primeiro trabalho após a partida de seu grande amor e parceira de profissão, Fernanda Young. Neste episódio, ele traz o questionamento das ideologias pré-quarentena e sua existência – ou não – durante a pandemia.  
   
Caio Blat e Luisa Arraes protagonizam texto deles próprios e do Jorge Furtado, que fala sobre um relacionamento recém-iniciado. Emilio Dantas e Fabiula Nascimento protagonizam a história de um casal que caminha para o divórcio quando o isolamento começa, com texto assinado pelas autoras Jô Abdu e Adriana Falcão, que têm em comum séries de sucesso no currículo como ‘A Grande Família’.  
   
O quarto episódio promete surpreender o público em cenas protagonizadas por Fernanda Montenegro e Fernanda Torres, interpretando mãe e filha que precisam lidar com o isolamento e seus fantasmas do passado. O texto é de Antônio Prata - que tem tratado sobre o tema da quarentena semanalmente com seus leitores e seguidores - ao lado de Chico Mattoso, Fernanda Torres e Jorge Furtado. O episódio conta ainda com a direção de Andrucha Waddington, marido de Fernanda e um dos grandes nomes do audiovisual brasileiro, à frente de filmes como ‘Casa de Areia’ e do seriado ‘Sob Pressão’. A captação ficou por conta dele e dos filhos, Pedro e Joaquim. O episódio é o único que não se enquadra na produção remota e terá uma estética diferenciada, já que contava com uma equipe presencial junto ao elenco.  
No caso dos outros casais, os atores operam seus kits individuais de equipamento e são dirigidos à distância por Patricia Pedrosa. Neste momento em que as funções no "set" se misturam e se adaptam, Luisa Arraes, Caio Blat e Lázaro Ramos fazem uma dobradinha com Patrícia na direção de seus respectivos episódios e o diretor Ricardo Spencer completa a equipe de direção no episódio de Emilio e Fabiula. 
‘Amor e Sorte’ é uma série em quatro episódios, criada por Jorge Furtado. O episódio 'A Beleza Salvará o Mundo' tem roteiro de Luisa Arraes, Caio Blat e Jorge Furtado, direção artística de Patrícia Pedrosa e direção de Luisa Arraes e Caio Blat. Estão no episódio Luisa Arraes, Caio Blat, Drica Moraes, Johny Massaro e Arlete Sales. 


Nenhum comentário

Comentários Ofensivos ou Irrelevantes e os que conter publicidades serão todos excluídos.