Home Top Ad

Casamento marcado em Pitombas no sétimo episódio de 'Cine Holliúdy'

Share:

Divulgação Globo/Marcos Rosa
Um jantar cheio de pompa e circunstância marca a visita do governador do Estado (Batoré, em participação especial) a Pitombas. Marylin (Letícia Colin) logo descobre as verdadeiras intenções do prefeito Olegário (Matheus Nachtergaele) e da primeira-dama, Maria do Socorro (Heloísa Perissé), nessa aproximação com o  governador. Mas se livrar de um casamento arranjado com o filho do político não será o único problema que a mocinha terá que resolver: a chegada de uma antiga namorada de Francis a Pitombas vai dar o que falar. No papel de Formosa, a atriz Lorena Comparato fala sobre sua participação no sétimo episódio de 'Cine Holliúdy'. Confira a entrevista a seguir:

O que você achou do retorno da série à TV?
Lorena Comparato - Eu fiquei super feliz! 'Cine Holliúdy' é um projeto muito especial para mim. Minha personagem, a Formosa, é super legal e está emaranhada na trama de várias formas. Eu sou apaixonada por ela. O elenco e equipe dessa série são impecáveis. Tivemos excelentes momentos nas filmagens. Conheci pessoas maravilhosas e que eu levei para a vida. Comemoramos muito o retorno e dividimos a felicidade com todos que vêm falar com a gente celebrando a volta da série também.
Conte um pouco mais sobre a Formosa, sua personagem, por favor.
LC - Formosa é a filha da dona Belinha (Solange Teixeira) e do seu Lindoso (Carri Costa), os donos da mercearia da cidade de Pitombas. Formosa é uma moça sonhadora, que vive na sua própria realidade. Mas, para muitas pessoas, ela é considerada 'doidinha'. É recém saída de uma instituição psiquiátrica para se curar da obsessão que ela tem pelo Francis (Edmilson Filho), mas que ela jura ser amor. O triângulo dela com Francis e Marylin (Letícia Colin) é hilário.

Que lembranças você guarda com carinho da fase de gravações?
LC - Guardo todas as fases de gravações com muito carinho. Tivemos ensaios juntos em São Paulo, onde conheci o elenco, e fizemos uma preparação maravilhosa baseada nas técnicas de clown. Tive uma adequação linda com o elenco. Na época, eu estava fazendo outra personagem em paralelo, que era loira, e a Formosa era morena. Então, tinha todo um esquema para colorir o meu cabelo com uma tinta provisória, além de colocar peruca. Fazíamos muita bagunça.

A série homenageia os gêneros do cinema. Mais do que nunca, as famílias estão vendo muitos filmes, séries e programas de entretenimento. Como você avalia a importância da arte nesta fase de quarentena?
LC - Eu cresci numa família que sempre incentivou muito a arte, museus, filmes, a leitura. Tive o privilégio de estudar em uma escola onde o ensino da arte é considerado imprescindível para o desenvolvimento humano e é nisso que eu acredito. Fico triste que no nosso país não tenha tanto incentivo à arte, à cultura e à educação, porque realmente são as formas mais eficazes de diminuir a violência e melhorar a qualidade de vida das pessoas. Nessa quarentena, vimos a importância de ter uma valorização geral da arte e, principalmente, da saúde, da ciência e de cuidados básicos. A arte veio para ajudar as pessoas a se entreterem, a passar o tempo e também a refletir sobre a vida e sobre o mundo.

Como está sendo a sua quarentena, o que você tem feito? Acha que esse momento pelo qual estamos todos passando mudou seu olhar sobre a vida?
LC - Minha quarentena tem sido cheia de altos e baixos. A verdade é que a quarentena está difícil para todo mundo, para uns mais do que para outros. Eu só tenho a agradecer por ser muito privilegiada. Moro com a minha mãe num apartamento confortável, com sol, e sempre fui econômica, o que tem me ajudado neste momento. Acho que meu olhar sobre a vida não mudou durante a quarentena, pois sempre valorizei muito os pequenos prazeres, uma boa alimentação e qualidade de vida diária. Durante a quarentena, eu fiz 30 anos e me vi com mais vontade de sair de casa e ter meu próprio espaço em breve, mesmo amando estar passando esse tempo com a minha mãe. Com todas as circunstâncias adversas, tenho conseguido manter um bom fluxo de estudo e trabalho. Tenho feito esquetes e lives para as redes sociais e fui convidada para rodar um filme ainda neste ano.

O sétimo episódio de Cine Holliúdy

O prefeito Olegário (Matheus Nachtergaele) está de olho nas próximas eleições e acredita que pode "juntar a fome com a vontade de comer" ao sugerir sua enteada, Marylin (Letícia Colin), como pretendente de Pimpão (Denis Lacerda, em participação especial), filho do governador do Estado (Batoré, em participação especial). Mas Francisgleydisson (Edmilson Filho) fará de tudo para impedir esse casamento. O cinemista só não contava com a chegada de Formosa (Lorena Comparato), sua antiga namorada, a Pitombas.

A filha de seu Lindoso (Carri Costa) e dona Belinha (Solange Teixeira) se lança nos braços de Francis e começa a espalhar pelos quatro cantos pitombenses que foi pedida em casamento por ele. Seu Lindoso e dona Belinha pressionam o matrimônio o quanto antes, para a tristeza de Marylin e o desespero de Francis.

As sequências fazem parte do sétimo episódio de ‘Cine Holliúdy’, que vai ao ar na próxima terça-feira, dia 18, após ‘Fina Estampa’. A série de Marcio Wilson e Claudio Paiva tem direção artística de Patricia Pedrosa e direção de Halder Gomes e Renata Porto D’Ave. A série está disponível na íntegra para os assinantes do Globoplay.


Nenhum comentário

Comentários Ofensivos ou Irrelevantes e os que conter publicidades serão todos excluídos.