Home Top Ad

"Papo de Segunda" debate a fome no Brasil e a volta da campanha Natal Sem Fome

Share:

Reprodução

No "Papo de Segunda", Fábio Porchat e seus companheiros João Vicente, Chico Bosco e Emicida, recebem o empresário e fundador da Central Única das Favelas, a CUFA, Celso Athayde no sofá virtual do programa. Juntos, batem um papo descontraído sobre a síndrome do eleitor, a volta da campanha Natal Sem Fome e as contradições da vida. Com transmissão ao vivo, a atração vai ao ar hoje, às 22h30, no GNT.

Após o primeiro dia de eleições, os apresentadores e o convidado abrem os debates falando sobre como a pressão da escolha e o medo do resultado afetam o psicológico dos eleitores. Eles discutem de que forma esse medo e ansiedade podem também afetar a sobriedade das escolhas numa eleição. Em vídeo, o filósofo Wilson Gomes entra para enriquecer o tema.

Em seguida, os meninos falam sobre a campanha Natal Sem Fome, que volta depois de três anos em suspensão. E não à toa. Segundo o IBGE, em 2018 o Brasil retornou ao Mapa Da Fome, título que não ostentava desde 2014. Para fazer parte da estatística, é preciso ter mais de 5% da população em situação de insegurança alimentar. A partir do depoimento de Kiko Afonso, diretor executivo da ONG Ação da Cidadania, o "Papo" debate o retrocesso que esse índice representa e reflete como promover ações eficazes para ajudar as vítimas da fome. Juntos, se questionam como o terceiro maior produtor de alimentos do mundo - o Brasil - não consegue alimentar seu próprio povo.

Para encerrar, os apresentadores aproveitam o meme "enfim, a hipocrisia" para discutir as contradições da vida. Ateus desfrutam do feriado católico e celebram o Natal, veganos que matam pernilongos, os comunistas de iPhone, os liberais que recebem auxílio emergencial, são apenas alguns exemplos das hipocrisias cotidianas. Eles conversam sobre as nossas dificuldades em alinhar crença e prática, mantendo a coerência entre nossas ações e os valores que carregamos.


Nenhum comentário

Comentários Ofensivos ou Irrelevantes e os que conter publicidades serão todos excluídos.