Home Top Ad

Milton Cunha e Aílton Graça celebram o 'Desfile Número 1 Brahma'

Share:

Divulgação Globo/Mauricio Fidalgo

''Que saudade. Da Praça Onze e dos grandes carnavais”. Ecoado na Marquês de Sapucaí em 1990, e reeditado na avenida em 2019 pela São Clemente, o enredo “E o Samba Sambou” fala sobre a saudade de carnavais passados. Nada mais atual no ano em que a pandemia de coronavírus impediu a festa das escolas de samba no Rio de Janeiro e em São Paulo. Para lembrar este e outros grandes sambas que marcaram época e prestar um tributo à maior festa popular do país, a TV Globo se uniu à Brahma e à agência África em um projeto inédito e para exibir os melhores momentos de 30 desfiles inesquecíveis do Rio e de São Paulo. O carnavalesco Milton Cunha e o ator Aílton Graça serão os apresentadores do ‘Desfile Número 1 Brahma’, com 15 escolas no sábado, dia 13, após o ‘Altas Horas’, e 15 no domingo, dia 14, após o ‘BBB’. 
 
A escolha dos sambas foi feita por uma curadoria especializada, com apoio das Ligas do Rio e de São Paulo e das próprias escolas de samba. Milton Cunha se emociona ao falar da homenagem. “O desfile das escolas de samba é a melhor vitrine brasileira para exposição do artista popular. Esses tambores estão silenciosos há onze meses, as bandeiras enroladas e tudo isso precisa aparecer. Não será possível produzir algo novo, mas poderemos apreciar e reviver as emoções proporcionadas por sambas inesquecíveis. Nesses dois dias, faremos um resgate da pulsante cultura do povo, para inspirar todo o Brasil a não perder a alegria. Não podemos sair de casa agora, mas, em breve, estaremos todos pulando e curtindo novamente grandes e inesquecíveis carnavais” diz o carnavalesco. 
 
Para o ator Aílton Graça, o Carnaval é uma manifestação cultural que dá força ao brasileiro nos momentos mais difíceis. “A música, nesse período de quarentena, foi grande companhia para todos nós. O Carnaval é uma manifestação plural, que faz muita falta para quem curte e vive as grandes celebrações. A exibição dos desfiles de Rio e São Paulo ajuda a matar a saudade do samba, da festa e dos momentos felizes. Não tenho dúvida que as pessoas vão arrastar os móveis da sala, abrir espaço em casa, botar o braço para fora da janela e gritar o nome da sua respectiva escola. Certamente será uma forma de celebração à vida e um grito de esperança de que a vacina chegue logo, para que possamos fazer o Carnaval ao vivo e a cores novamente”. 
 
Além de conferir desfiles memoráveis, o público pode escolher o seu favorito no Gshow. Na votação online, será eleito o melhor de cada estado, e o resultado será anunciado ao final da transmissão de domingo. Uma competição simbólica onde o maior vencedor é o samba brasileiro.
 
O ‘Desfile Número 1 Brahma’ tem direção geral de L.P. Simonetti e direção de gênero de Boninho. O especial vai ao ar neste sábado de Carnaval, dia 13, após o ‘Altas Horas’, e no domingo, dia 14, após o ‘BBB’, com desfiles de escolas dos dois estados.
 
Desfiles de São Paulo
 
1. Águia de Ouro (2020) – “O Poder do Saber”

2. Mancha Verde (2019) – “Oxalá Salve a Princesa”
 
3. Mocidade Alegre (2014) – “Andar com Fé Eu Vou... Que a Fé Não Costuma Falhar”

4. Acadêmicos do Tatuapé (2018) – “Maranhão: Os Tambores Vão Ecoar na Terra da Encantaria”
 
5. Unidos de Vila Maria (2017) – “Aparecida – a Rainha do Brasil – 300 Anos de Amor e Fé no Coração do Povo Brasileiro”
 
6. Dragões da Real (2017) – “Dragões Canta Asa Branca”
 
7. Rosas de Ouro (2005) – “Mar de Rosas”
 
8. Tom Maior (2009) – “Uma Nova Angola se Abre Para o Mundo. Em Nome da Paz, Martinho da Vila Canta a Liberdade” 
 
9. Império de Casa Verde (2005) – Brasil, se Deus É Por Nós, Quem Será Contra Nós”
 
10. Barroca Zona Sul (2020) – “Benguela, a Barroca Clama a Ti, Teresa”
 
11. Gaviões da Fiel (2003) – “Cinco Deusas Encantadas na Corte do Rei”
 
12. Colorado do Bras – 2019 – “Hakuna Matata, Isso É Viver”
 
13. Vai-Vai (2008) – “Vai-Vai Acorda Brasil”
 
14. Acadêmicos do Tucuruvi (2011) – “O Xente, o que Seria da Gente Sem Essa Gente, São Paulo, a Capital do Nordeste”
 
 
Desfiles do Rio de Janeiro
 
1. Acadêmicos do Salgueiro (1993) - “Peguei um Ita no Norte” (Explode Coração) 
 
2. Mocidade Independente de Padre Miguel (1990) - “Vira Virou, a Mocidade Chegou” 
 
3. Unidos do Viradouro (1998) - “Orfeu – O Negro do Carnaval” 
 
4. Beija-Flor (1989) - “Ratos e Urubus, Larguem a Minha Fantasia” 
 
5. Portela (2017) - “Quem Nunca Sentiu o Corpo Arrepiar ao Ver Esse Rio Passar” 
 
6. Unidos da Tijuca (2010) - “É Segredo” 
 
7. Imperatriz Leopoldinense (1989) - “Liberdade! Liberdade! Abra as Asas Sobre Nós” 
 
8. Estação Primeira de Mangueira (2016) - “Maria Bethânia, a Menina dos Olhos de Oyá” 
 
9. Unidos de Vila Isabel (1988) - “Kizomba, Festa da Raça” 
 
10. Mocidade Independente de Padre Miguel (1985) - “Ziriguidum 2001” 
 
11. Beija-Flor (2011) - “A Simplicidade de um Rei” 
 
12. Acadêmicos do Grande Rio (2017) - “Ivete do Rio ao Rio” 
 
13. Unidos do Viradouro (2020) -  “Viradouro de Alma Lavada”  
 
14. Império Serrano (2004 – reedição do samba de 1964) - “Aquarela Brasileira”  
 
15. Paraíso do Tuiuti (2018) – “Meu Deus, Meu Deus, Está Extinta a Escravidão?”
 
16. São Clemente (2019 reedição do samba de 1990) - “E o Samba Sambou”


Nenhum comentário

Comentários Ofensivos ou Irrelevantes e os que conter publicidades serão todos excluídos.