''Eu praticamente deixei de ser goleiro para ser o jogador que foi chamado de macaco'', diz Aranha no Estação Livre

Divulgação Tânia Cai/TV Cultura

O Estação Livre desta sexta-feira (11/6) recebe o ex-goleiro Aranha para falar sobre racismo no esporte. O programa inédito, apresentado por Cris Guterres, também aborda o preconceito dento do universo do futebol feminino. Para falar sobre o tema, a atração conta ainda com a presença de Adilson Moreira, que é doutor em Direito Constitucional. A atração vai ao ar a partir das 22h, na TV Cultura.

Mário Lúcio Duarte Costa, mais conhecido como Aranha, foi considerado o melhor goleiro do Campeonato Paulista em 2008, mas começou treinando em uma escolinha de futebol em sua cidade natal, Pouso Alegre, em Minas Gerais. No programa, ele comenta: "Eu praticamente deixei de ser goleiro para ser o jogador que foi chamado de macaco".

Para falar sobre a discriminação racial nos diferentes esportes populares do Brasil, Cris Guterres conversa com o professor Adilson Moreira, doutor em Direito Constitucional, que conta com um histórico acadêmico que sempre foi voltado para a garantia dos Direitos Humanos e estudos antidiscriminatórios. Para Adilson, "o objetivo fundamental da narrativa da democracia racial é impedir o estabelecimento de qualquer tipo de conexão entre a opressão negra e o privilégio branco".

Reportagens

A primeira reportagem do programa fala sobre Rogério Clementino, primeiro negro a integrar uma equipe brasileira de hipismo e participar no Adestramento na história das Olimpíadas.

O Estação Livre segue para os esportes aquáticos e conta a história de Edvaldo Valério e de Etiene Medeiros. Edvaldo, um garoto que cresceu na periferia da capital baiana e foi o primeiro homem negro a ganhar uma medalha da natação brasileira nos Jogos Olímpicos. E Etiene, que começou a nadar para anemizar a asma e que atualmente é recordista mundial dos 50 metros costas em piscina curta tendo alcançado o triunfo em Doha 2014.

Sobre o preparamento físico dos atletas, o fisioterapeuta da equipe profissional de basquete do Corinthians Rafael Garcia conta sobre a sua atuação na área.

A edição também faz uma reflexão sobre o racismo no futebol feminino. Uma reportagem com Jordana Araújo, que é comentarista da FPF TV e CBF TV, e Alia Santana, que já conquistou dois campeonatos baianos junto ao seu time São Francisco do Conde-BA, jogam uma luz nesse tema.

Para finalizar, o público conhece Marcelo Carvalho, ele é jornalista, escritor e fundador do Observatório da Discriminação Racial no Futebol.
Anderson Ramos

Um site sobre TV paga com as principais noticias envolvendo o setor, e suas principais operadoras. Além das novidades dos canais e streamings! facebook twitter instagram

Postar um comentário

Comentários Ofensivos ou Irrelevantes e os que conter publicidades serão todos excluídos.

Postagem Anterior Próxima Postagem