Globo e SporTV transmitem as finais por aparelhos da ginástica artística, com presença de quatro brasileiros

Divulgação Globo/Sergio Zalis

Na primeira edição dos Jogos Olímpicos em Tóquio, em 1964, uma mulher negra fez história no esporte brasileiro. Aída dos Santos, quarta colocada no salto em altura, era a única representante nacional do sexo feminino competindo no Japão. A primeira a disputar uma final olímpica. Após 57 anos, na mesma cidade-sede, outra brasileira negra marcou seu nome para a eternidade: Rebeca Andrade conquistou a medalha de prata no individual geral da ginástica artística, um feito inédito na modalidade entre as mulheres. E pode ser apenas o começo. A partir deste domingo, dia 1, começam as provas individuais por aparelhos, que vão até terça-feira. O Brasil estará disputando cinco finais, duas no masculino e três no feminino – Rebeca compete no salto e no solo. Todas as provas têm transmissão da Globo e do SporTV.
 
 A primeira destas cinco disputas, a do salto, acontece a partir das 5h55 (de Brasília) deste domingo, dia 1 de agosto. Rebeca é uma das favoritas para ganhar medalha no aparelho. Na TV Globo, a transmissão contará com narração de Galvão Bueno e comentários de Daiane dos Santos e Diego Hypólito. Já no SporTV2, Luiz Carlos Jr. narra e Daniele Hypólito e Jade Barbosa comentam. Na segunda-feira, dia 2, Rebeca retorna ao ginásio para apresentar seu “Baile de Favela” no solo. No mesmo dia, Arthur Zanetti busca sua terceira medalha consecutiva em Jogos Olímpicos nas argolas – foi ouro em 2012 e prata em 2016 –, algo jamais atingido por um ginasta. Fechando o dia, Caio Souza estará na decisão do salto. Na terça-feira, dia 3, é a vez de Flavia Saraiva encerrar a participação brasileira na ginástica artística em Tóquio, na final da trave. “Eu acredito muito nestas finais. Arthur Zanetti nas argolas tem chances reais de obter sua terceira medalha olímpica. A Rebeca tem muita chance no salto, inclusive até de levar o ouro. É uma final no aparelho em que ela se sente mais segura. No solo ela também pode pegar medalha. Como já levou uma de prata, acredito que ela vai entrar muito segura. E temos a Flavia Saraiva na trave e o Caio Souza no salto. São aparelhos com alto índice de erros, então todos que estão competindo têm chances”, avalia o comentarista Diego Hypólito, medalhista de prata no solo nos Jogos Olímpicos Rio-2016.

 Vem da ginástica também um dos temas mais comentados da primeira semana em Tóquio. Cotada para ser o grande nome dos Jogos, a americana Simone Biles desistiu de disputar as finais por equipes e a individual geral alegando que precisava priorizar sua saúde mental. No ‘Fantástico’ deste domingo, a repórter Ana Carolina Raimundi explica como a pressão psicológica pode ser letal na carreira de um atleta, até mesmo no caso de multicampeões. Outro exemplo de protagonista do esporte que recentemente admitiu a exaustão mental foi a tenista japonesa Naomi Osaka, atual número 2 do ranking feminino, que desistiu de disputar a edição deste ano do torneio de Roland Garros, na França, e foi eliminada precocemente na chave de simples em Tóquio. 
 
Também na noite de domingo, será a vez de Isaquias Queiroz, dono de três medalhas do Rio-2016, estrear na canoagem de velocidade. Pouco depois das 22h, ele inicia a disputa das eliminatórias do C2 1000, em parceria com Jacky Godmann. Mais cedo, no ‘Esporte Espetacular’, o baiano de Ubaitaba conversa com o repórter Pedro Bassan sobre o sonho de aumentar o número de medalhas em sua galeria – além desta prova, competirá no C1 1000, que é individual. 
 
No esquenta para mais um dia intenso de disputas na capital japonesa, Marcelo Barreto e Bernadinho recebem no ‘Ohayo’ desta sexta-feira, dia 30, no SporTV, os comentaristas Flávio Canto, Serginho, Hortência e Renata Mendonça, para uma conversa sobre as disputas do judô, vôlei, basquete e futebol. No ge, está disponível um levantamento sobre o perfil de todos os atletas da delegação brasileira em Tóquio. Um mapa detalhado com o DNA do Time Brasil, dividido por gênero, cor, orientação sexual, características físicas, local de nascimento, entre outras curiosidades, como qual o nome mais comum, quantos possuem tatuagens e o número dos que já precisaram passar por procedimentos cirúrgicos.  
 
BATE-BOLA – DIEGO HYPÓLITO 
 
Como você tem acompanhado o momento da Simone Biles e quais os ensinamentos ela dará nestes Jogos Olímpicos?
É um alerta que ela dá ao mundo sobre a saúde mental. Nós estamos vivendo um momento de pandemia que impactou muita gente. Quase todo mundo perdeu um familiar ou amigo por conta desta doença. O caso da Simone Biles mostra que precisamos nos preocupar mais com as pessoas. Vivemos em um mundo imediatista, com uma cobrança forte por resultados, em qualquer área de trabalho, e ela mostrou que é humana, uma pessoa normal, que tem os seus problemas e dificuldades.  
 
O que representa para você, um dos principais nomes da ginástica artística brasileira, ver uma mulher conquistar a primeira medalha olímpica no esporte?
É muito emocionante ver esta medalha saindo para a Rebeca. A ginástica brasileira começou a ganhar medalha em campeonatos mundiais em 2001, com a prata da Daniele Hypólito. Depois vieram o ouro da Daiane dos Santos, em 2003, e os dois bronzes da Jade. Há muito tempo elas vêm buscando essa medalha olímpica. São muitas pessoas envolvidas neste resultado da Rebeca. O mais importante foi sentirmos que, independentemente do resultado, o feito já estava acontecendo. A Rebeca conseguiu dar a volta por cima após graves lesões. Uma pessoa que vem de uma raiz muito humilde, uma situação de pobreza, assim como a Daiane, minha irmã e eu. Tinha por trás uma mãe de muita fé. Fez três cirurgias de ligamento cruzado. Já vi vários atletas que passaram por isso uma vez e que não conseguiram voltar. Imagine três vezes e ainda conquistar uma medalha olímpica? Espero que ao fim da participação dela em Tóquio, cada cirurgia que ela precisou passar seja transformada em uma medalha. 

Tudo sobre os Jogos de Tóquio
 
Confira a programação dos Jogos Olímpicos na agenda do ge: https://ge.globo.com/agenda/olimpiadas/#/olimpiadas. Apresentado por Karine Alves e Felipe Diniz, o podcast “Resumão ge”, disponível no ge, no Globoplay e nas principais plataformas de áudio, terá três edições por dia, de segunda-feira a sexta-feira, às 6h, às 12h e às 18h, além de resumos especiais no sábado e no domingo.  
 
O Globoplay oferece gratuitamente as 200 horas de transmissões da TV Globo, o ‘Ohayo Tóquio’ ao vivo, as íntegras das cerimônias de abertura e encerramento e vídeos curtos com os melhores momentos e medalhas de atletas brasileiros. Assinantes do Globoplay + Canais ao vivo também acompanham as 840 horas de transmissão dos quatro canais SporTV e todos os sinais de competições oferecidos pelo Comitê Olímpico Internacional, com todas as provas, sem exceção. Para quem perdeu algum evento ou levou um drible do fuso horário e não conseguiu ficar acordado durante a madrugada, os assinantes terão ainda dois resumos diários com os destaques dos Jogos e, no conteúdo sob demanda, a íntegra das cerimônias, das medalhas de atletas brasileiros e de grandes finais. https://globoplay.globo.com/categorias/toquio-2020/
 
Para informações sobre as transmissões de seus quatro canais, o SporTV lançou o “Chama no Zap”. Com uma mensagem de Whatsapp para o número (21) 999-160-539, é possível saber em qual canal e a que horas será transmitida cada disputa olímpica dos próximos três dias. As consultas podem ser feitas por modalidade, evento ou programa. Quem responde as dúvidas são os comentaristas Flávio Canto, Fabi, Carlão, Nalbert, Hortência e Marcelinho Machado.  
 
DESTAQUES DA PROGRAMAÇÃO OLÍMPICA (horário de Brasília / programação prevista, pode passar por alterações)
 
1 de agosto – Domingo
 
5h55 – Ginástica Artística: Salto feminino (final) – TV Globo e SporTV2
 TV Globo – Narração: Galvão Bueno / Comentários: Daiane dos Santos e Diego Hypólito; SporTV2 – Narração: Luiz Carlos Jr. / Comentários: Daniele Hypólito e Jade Barbosa

7h30 – Handebol masculino: Brasil x Alemanha – TV Globo e SporTV3
 TV Globo – Narração: Cleber Machado / Comentários: Diogo Hubner; SporTV2 – Narração: Daniel Pereira / Comentários: Alex Aprille
 
22h05 – Canoagem de velocidade: C2 1000 masculino (eliminatórias) – SporTV
 
23h – Handebol feminino: Brasil x França – TV Globo e SporTV3
 
2 de agosto – Segunda-feira
 
0h06 – Canoagem de velocidade: C2 1000 masculino (quartas de final) – Globoplay

5h – Ginástica Artística: Argolas masculino (final) – TV Globo e SporTV2
 
6h – Ginástica Artística: Solo feminino (final) – TV Globo e SporTV2
 
 6h54 – Ginástica Artística: Salto masculino (final) – TV Globo e SporTV2
 
 9h54 – Vôlei feminino: Brasil x Quênia – TV Globo e SporTV2
 
 23h54 – Canoagem de velocidade: C2 1000 masculino (semifinal) – SporTV3
   
3 de agosto – Terça-feira
 
0h20 – Atletismo: 400 metros com barreiras masculinos (final) –  SporTV
 
 5h48 – Ginástica Artística: Trave feminino (final) – TV Globo e SporTV
 
 7h15 – Atletismo: Arremesso de peso masculino (eliminatórias) – SporTV2
 
7h20 – Atletismo: Salto com vara (final) – SporTV2
Anderson Ramos

Um site sobre TV paga com as principais noticias envolvendo o setor, e suas principais operadoras. Além das novidades dos canais e streamings! facebook twitter instagram

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do O Universo da TV. OBS: Comentários Ofensivos ou Irrelevantes e os que conter publicidades serão todos excluídos.

Postagem Anterior Próxima Postagem