TV Brasil - Programação de Filmes de 13 a 19 de setembro

A Gangue Zip Zap
Divulgação

Confira a programação de filmes de 13 a 19 de setembro na TV Brasil.

Segunda-feira, 13 de setembro

Sessão Família – A Gangue Zip Zap
13h00, na TV Brasil

Título original: Zipi y Zape y el club de la canica. País: Espanha. Ano: 2013. Gênero: infantil, família e aventura. Direção: Oskar Santos. Roteiro: Oskar Santos e Jorge Lara. Elenco: Javier Gutiérrez, Raúl Rivas, Daniel Cerezo, Claudia Veja, Marcos Ruiz, Fran García.

Após serem punidos na escola, os irmãos gêmeos Zip (Raúl Rivas) e Zap (Daniel Cerezo) são enviados para um centro de educação conhecido pela rigidez de seus métodos corretivos. Muito severo, Falconetti (Javier Gutiérrez) é o diretor do centro que repudia qualquer forma de lazer e entretenimento.

Zip e Zap, cansados dessa situação, formam um grupo cujos princípios incluem a coragem, a amizade e a inteligência. Desse modo, conseguem desafiar os desmandos do diretor e se divertir.

O filme "A Gangue Zip Zap" é uma adaptação para o cinema dos quadrinhos "Zipi y Zape", do espanhol José Escobar Saliente.

O longa-metragem conquistou o Troféu Especial da Juventude no Festival de Seattle 2014. A produção foi indicada, ainda, ao Prêmio Goya nas categorias Melhor Roteiro Adaptado, Direção de Produção, Efeitos Visuais e Direção Artística.

Reprise. 97 min.
Classificação Indicativa: Livre.
Horário: 13h00

Segunda-feira, 13 de setembro

Cine DOC – Imaterial
22h30, na TV Brasil

País: Brasil. Ano: 2019. Gênero: documentário. Direção: Shinji Shiozaki e Felipe Santiago.

O documentário "Imaterial" traça um panorama sobre a prática do skate e propõe uma reflexão a respeito da ocupação da cidade. A ideia é discutir a influência do esporte como objeto de inspiração artística.

Dirigida por Shinji Shiozaki e Felipe Santiago, a produção aborda o trabalho de artistas e de atletas brasileiros que movimentam a cena do skate de rua contemporâneo.

O longa-metragem nacional aborda a perspectiva artística do esporte e o modo como o skate define todo um estilo de vida.

Pessoas que atuam na interseção entre o skate e a arte revelam como tiveram contato com essa prática e de que modo esse esporte dá forma a seus trabalhos e a suas vidas.

Filmado ao longo de quatro anos, o documentário reúne imagens e depoimentos de skatistas amadores e profissionais, na cidade de São Paulo. Participam das gravações esportistas como Alexandre Vianna, Guilherme Guimarães, Klaus Bohms, Flavio Samelo e Erica Maradona, entre outros.

Exibido no Surf Skate Film Festival 2020, em Milão, o documentário brasileiro "Imaterial" conquistou o prêmio do júri no Tokyo Lift Off Film Festival 2020.

Reprise. 86 min.
Classificação Indicativa: Livre.
Horário: 22h30

Terça-feira, 14 de setembro

Sessão Família – Brasil Animado
13h00, na TV Brasil

País: Brasil. Ano: 2010. Gênero: animação. Direção: Mariana Caltabiano. Elenco: Eduardo Jardim, Fabiano Perez, Mariana Caltabiano, Fernando Meirelles, Gisele Bündchen e Daiane dos Santos.

Primeiro filme nacional em 3D, o longa-metragem "Brasil Animado" (2010) conta a história de uma dupla de cachorros chamados Stress e Relax que são opostos extremos. Enquanto um é empresário e só pensa em dinheiro, o outro é diretor de cinema e vive insistindo para que o amigo invista em seus projetos.

A ideia da vez é procurar um jequitibá-rosa, a árvore mais antiga do Brasil. Stress fica animado com a possibilidade de ganhar dinheiro com essa raridade. O problema é que eles não sabem exatamente onde o importante vegeral está.

Os dois partem em viagem pelos quatro cantos do país em busca do "Grande Jequitibá-Rosa" sem mapa, sem bússola e sem noção. Relax quer se divertir e conhecer a cultura de diferentes regiões do Brasil, já Stress está ansioso para encontrar o jequitibá para enriquecer com a promoção da árvore.

O resultado é uma comédia com ingredientes para agradar adultos e crianças. Para divertir ainda mais o público, o longa traz versões animadas em 3D de personalidades como a modelo Gisele Bündchen, o cineasta Fernando Meirelles e a ginasta Daiane dos Santos.

O filme "Brasil Animado" combina o uso de live-action e animação tradicional, mesma tecnologia utilizada em produções consagradas do cinema americano como as celebradas animações "Uma Cilada para Roger Rabbit" (1988) e "Space Jam" (1996).

Estreia de Mariana Caltabiano como diretora, o longa-metragem mescla computação gráfica e cenas gravadas em cenários reais A produção foi registrada em cidade como Rio de Janeiro, Salvador, Porto Seguro, Foz do Iguaçu, Porto de Galinhas, Olinda, Ouro Preto, Tiradentes, Diamantina, Fortaleza, Canoa Quebrada, Jericoacoara, Gramado, Caxias do Sul, São Paulo, Brasília, Florianópolis e Amazônia.

Reprise. 75 min.
Classificação Indicativa: Livre
Horário: 13h00

Terça-feira, 14 de setembro

Cine Retrô – O Vendedor de Linguiça
22h30, na TV Brasil

País: Brasil. Ano: 1962. Gênero: comédia musical. Direção: Glauco Mirko Laurelli. Argumento e produção: Amácio Mazzaropi. Elenco: Amácio Mazzaropi, Geny Prado, Roberto Duval, Maximira Figueiredo, Amilton Fernandes, Carlos Garcia, David Neto, Maria Helena Rossignolli, Anita Sorrento.

O humorista Amácio Mazzaropi interpreta o personagem Gustavo, um vendedor de linguiça que, para conquistar sua freguesia, tem de ralar muito. Em meio a problemas com a família, vizinhos, e cachorros que adoram roubar suas linguiças, o comediante vive um banquete de situações engraçadas que vão fazer o público chorar de tanto rir.

O vendedor ambulante de linguiças sai todos os dias com seu filho Dudu (Carlos Garcia) a bordo de um pequeno caminhão e percorre os bairros da periferia de São Paulo oferecendo seu produto.

Flora (Maximira Figueiredo), filha de Gustavo, trabalha como empregada doméstica para patrões ricos e quando eles viajam, resolve passear pela cidade usando as roupas daquela família.

Durante esse passeio, a moça conhece o milionário Pierre (Amilton Fernandes) e ambos começam um namoro. Flora pega outras roupas dos seus empregadores a e dá ao pai e ao irmão Dudu, para fazer com que eles se passem por uma família rica.

A mentira é descoberta e todos vão parar na polícia enquanto Pierre sabe da verdade sobre a namorada através dos jornais. Mesmo assim ele quer continuar o namoro, mas a família dele tenta impedi-lo.

Entre as canções que fazem parte dos números musicais do filme estão "O Linguiceiro" e "Mocinho Lindo", interpretadas por Mazzaropi; "Olhar de saudade", cantada por Pery Ribeiro; "Não ponha a mão", entoada Elza Soares; e "Poema do adeus", na voz de Miltinho.

Reprise. 95 min.
Classificação Indicativa: 12 anos.
Horário: 22h30

Terça-feira, 14 de setembro

Cine Retrô – Chofer de Praça
03h45, na TV Brasil (madrugada de terça, dia 14/9, para quarta-feira, dia 15/9)

País: Brasil. Ano: 1958. Gênero: comédia. Direção: Milton Amaral. Elenco: Amácio Mazzaropi, Geny Prado, Celso Faria, Ana Maria Nabuco, Carmen Morales, Maria Helena Dias, Roberto Duval, Elk Alves, Benedito Liendo. Participação especial: Lana Bittencourt e Agnaldo Rayol.

No filme "Chofer de Praça" (1958), o saudoso ator e cineasta Amácio Mazzaropi é o protagonista da trama e também acumula as funções de produtor e roteirista. A partir dessa obra, o humorista passa a colaborar frequentemente com os diretores.

A comédia "Chofer de Praça" foi o primeiro trabalho de Mazzaropi com a atriz Geny Prado. A artista foi seu par constante ao longo da carreira. Os números musicais do longa são apresentados por artistas como Lana Bittencourt e Agnaldo Rayol que fazem participação especial na produção.

Na trama dirigida por Milton Amaral, Amácio Mazzaropi interpreta o humilde Zacarias, que se muda com a mulher Augusta para uma vila em São Paulo com o objetivo de arrumar um emprego e ajudar o filho Raul a pagar a faculdade de Medicina. O sonho do sujeito é ver o rapaz formado.

Disposto a fazer o possível e o impossível para ajudar a família, o protagonista consegue um trabalho como chofer de praça. Zacarias começa a dirigir um modelo de carro antigo, muito barulhento e fumacento, que rapidamente vira motivo de muitas piadas e de viagens repletas de trapalhadas.

Reprise. 97 min.
Classificação Indicativa: 10 anos
Horário: 03h45 (madrugada de terça, dia 14/9, para quarta-feira, dia 15/9)

Quarta-feira, 15 de setembro

Sessão Família – Big Pai, Big Filho
13h00, na TV Brasil

Título original: The Son of Bigfoot. País: Bélgica, França. Ano: 2017.  Gênero: animação, infatil. Direção: Jeremy Degruson, Ben Stassen.

Adam, um garoto de treze anos que não tem muitos amigos, parte em uma jornada ousada para desvendar o mistério por trás de seu pai, há muito desaparecido. Ele rapidamente descobre que seu pai não é outro senão o lendário Pé Grande, que se escondeu na floresta por anos para proteger a si mesmo e sua família da HairCo., uma empresa de grande porte ansiosa para realizar experimentos científicos com seu DNA especial.

Enquanto pai e filho começam a recuperar o tempo perdido, Adam logo descobre que ele também é dotado de super poderes inimagináveis. Porém, mal sabem eles que a HairCo. está prestes a encontrá-los, pois descobriu os rastros deixados por Adam ao longo do caminho.

Reprise. 92 min.
Classificação Indicativa: Livre.
Horário: 13h00

Quinta-feira, 16 de setembro

Sessão Família – Casinha Pequenina
13h00, na TV Brasil

País: Brasil. Ano: 1963. Gênero: comédia. Direção: Glauco Mirko Laurelli. Elenco: Amácio Mazzaropi, Geny Prado, Roberto Duval, Tarcísio Meira, Edgard Franco, Astrogildo Filho, Guy Loup, Luis Gustavo, Marly Marley, Marina Freire, Ingrid Tobias.

Considerado a obra-prima de Amácio Mazzaropi, o filme "Casinha Pequenina" traz um elenco de estrelas e marca a estreia de Tarcísio Meira no cinema. A trama tem o fim da escravidão como pano de fundo e mostra a luta contra os interesses dos senhores de engenho.

Na época do Brasil colonial, um rico fazendeiro dono de escravos inclui seu humilde empregado em uma tramoia. O colono de bom coração e sua família entram num plano para o patrão se livrar de uma dupla de mulheres vigaristas que o chantageiam, por causa de um assassinato cometido pelo fazendeiro no passado.

Apesar desse planos, o filho do colono se envolve com uma das mulheres e renega as acusações que um amigo seu procura esclarecer.

Reprise. 95 min.
Classificação Indicativa: 12 anos
Horário: 13h00

Quinta-feira, 16 de setembro

Cine Retrô – Pistoleiro Bossa Nova
22h30, na TV Brasil
03h45, na TV Brasil (madrugada de quinta, dia 16/9, para sexta-feira, dia 17/9)

País: Brasil. Ano: 1960. Gênero: comédia, faroeste. Direção: Victor Lima. Roteiro: Victor Lima. Elenco: Ankito, Grande Otelo, Renata Fronzi, Renato Restier, Aurélio Teixeira, Ana Maria Nabuco, Rildo Gonçalves, Consuelo Leandro, Lyris Castelani, Carlos Tovar, Arlindo Costa, Annabela, Wilson Grey.

O assustado e inofensivo pipoqueiro Inocêncio (Ankito) está com os nervos abalados e procura um lugar calmo que não tenha barulho. Ele viaja com o amigo Pexinxa (Grande Otelo) de trem para a distante cidade de Desespero, no interior.

O local é considerado uma área pacata por Sérgio (Rildo Gonçalves), um passageiro com quem eles fazem amizade. Uma companhia teatral mambembe também está na mesma composição que eles. Inocêncio logo é atraído por Lili (Renata Fronzi), a estrela dos espetáculos da trupe.

Durante o percurso, o trem é atacado por bandidos mascarados a cavalo, que tentam roubar a carga de munição que estava em um dos vagões. Quando Cachimbo (Aurélio Teixeira), um dos ladrões, avista Inocêncio, ele o confunde com o famoso Pistoleiro Vingador e foge em seguida, acompanhado dos demais facínoras.

Inocêncio e Pexinxa descem na estação de um vilarejo em que todos também o identificam como o valente que havia partido. Sósia do Pistoleiro Vingador, ele assume o papel do justiceiro. A dupla de camelôs resolve então tirar vantagem dessa fama inesperada.

Eles querem aproveitar a oportunidade já que todos os tratam bem. Covardes, Inocêncio e Pexinxa encontram-se em uma cidade constantemente atacada por aquele perigoso bando de marginais. Ainda assim, estava tudo sob controle até que o misterioso chefe da quadrilha de meliantes não gosta da "volta" do Pistoleiro e tenta capturá-lo, criando diversas dificuldades para Inocêncio que não sabe nem atirar.

A situação se agrava ainda mais para os dois com a presença de Pequenina, uma filha valente de cangaceiro e que era amante do verdadeiro Pistoleiro. Ela aparece na região, vai atrás de Inocêncio e cria uma rixa com Lili.

Inédito. 102 min.
Classificação Indicativa: 14 anos.
Horário: 22h30, na TV Brasil
Horário: 03h45, na TV Brasil (madrugada de quinta, dia 16/9, para sexta-feira, dia 17/9)

Sexta-feira, 17 de setembro

Sessão Família – Meu Maior Amigo
13h00, na TV Brasil

Título original: Cool dog. País: Estados Unidos. Ano: 2010. Gênero: aventura. Direção: Danny Lerner. Elenco: Jackson Pace, Cameron Ten Napel, Ryan Akin, Michael Paré, Jen Kober, David Jensen, Dane Rhodes, Christa Campbell, David Dahl.

O menino Jimmy (Jackson Pace) vive em uma pequena cidade nos Estados Unidos com sua família e seu querido cachorro de estimação, Rinty. Um dia, o pai do garoto é promovido e a família precisa se mudar para Nova York. Contudo, para transtorno deles, o prédio para o qual se mudam não aceita cães e Jimmy precisa deixa Rinty para trás.

O garoto se despede do querido pastor-alemão e deixa seu novo endereço na coleira do companheiro. Rinty, porém, não pretende deixar o seu dono e parceiro sozinho na cidade grande. O cãozinho embarca numa viagem repleta de surpresas para cruzar o país até encontrar seu maior amigo Jimmy em Nova York.

Reprise. 88 min.
Classificação Indicativa: Livre
Horário: 13h00

Sexta-feira, 17 de setembro

Cine Nacional – Eu Sou Brasileiro
22h30, na TV Brasil
03h45, na TV Brasil (madrugada de sexta-feira, dia 17/9, para sábado, dia 18/9)

País: Brasil. Ano: 2019. Gênero: drama. Direção: Alessandro Barros. Elenco: Daniel Rocha, Fernanda Vasconcelos, Cristiana Oliveira, Letícia Spiller, Zezé Motta, Felipe Folgosi, Marcella Rica, Miguel Rômulo.

O drama "Eu Sou Brasileiro" conta a história do jovem Léo (Daniel Rocha) que passou a vida tentando ser famoso e se tornar um jogador de futebol bem-sucedido. Ele quer melhorar a condição financeira de sua família que enfrenta dificuldades na rotina do subúrbio.

Humilde, o rapaz trabalha como garçom e joga num time de futebol da quarta divisão de Indaiatuba, no interior de São Paulo. Léo Ele namora uma mulher interesseira, mora com a mãe costureira (Cristiana Oliveira) e a sua melhor amiga é a graciosa vizinha (Fernanda Vasconcellos).

Na intenção de dar a volta por cima na vida, ele arrisca uma última grande chance quando um olheiro estrangeiro vai assistir a uma partida. De repente, Léo percebe que sua oportunidade pode ser desperdiçada por causa de um acidente em campo. O rapaz tenta superar as dificuldades, reconstruir os laços com a família e celebrar o verdadeiro amor.

Com grande elenco, formado por personalidades da dramaturgia como Fernanda Vasconcelos, Cristiana Oliveira, Letícia Spiller, Zezé Motta e Felipe Folgosi, o longa-metragem nacional ainda tem a participação especial do ex-jogador Cafu e da jornalista Leda Nagle.

Reprise. 85 min.
Classificação Indicativa: 10 anos.
Horário: 22h30, na TV Brasil
Horário: 03h45, na TV Brasil (madrugada de sexta-feira, dia 17/9, para sábado, dia 18/9)

Sábado, 18 de setembro

Cine Retrô – Jeca contra o Capeta
18h30, na TV Brasil

País: Brasil. Ano: 1975. Gênero: comédia. Direção: Amácio Mazzaropi e Pio Zamuner. Elenco: Amácio Mazzaropi, Geny Prado, Roberto Pirilo, Néa Simões, Fausto Rocha Jr, Rose Garcia, Jair Talarico, Leonor Navarro, Jorge Pires, Aparecida de Castro, José Mauro Ferreira, José Velloni, Carlos Garcia, Cavagnole Neto, Macedo Netto, Rui Elias, Luiz Carlos de Oliveira, Almerinda dos Santos.

Em uma pequena cidade do interior, a notícia da aprovação do divórcio alegra a viúva Dionísia (Néa Simões) que tem a ideia fixa de conquistar o caipira Poluído (Amácio Mazzaropi). Este, porém, é bem-casado e feliz. O caipira se vê obrigado a enfrentar a rica fazendeira que é obcecada por ter seu amor.

Uma morte controversa ronda o povoado e as suspeitas sobre o assassinato envolvem a família de Poluído. O filho dele é acusado injustamente pelo crime. Perseguido, o caipira foge para o campo. Perversa, a proprietária rural faz chantagem pelo homem por quem é apaixonada. A viúva Dionísia quer obrigá-lo a se divorciar da esposa na expectativa de que Poluído se case com ela.

Paródia tupiniquim do clássico filme de terror americano "O Exorcista" (1974), a comédia brasileira "Jeca contra o capeta" (1975) fez sucesso e obteve bastante repercussão no país. A gozação de Amácio Mazzaropi com a temática provoca risadas despretensiosas há várias gerações.

Campeão de bilheteria, o longa-metragem levou multidões para as salas de cinema. A trama de humor conquistou o público e teve números impressionantes para a sétima arte nacional na época, com mais de dois milhões e meio de espectadores.

Reprise. 95 min.
Classificação Indicativa: 12 anos
Horário: 18h30

Domingo, 19 de setembro

Sessão Família – Meu Querido Elfo
17h00, na TV Brasil

Título original: Domovoy. País: Rússia. Ano: 2019. Gênero: aventura, fantasia. Direção: Evgeniy Bedarev. Elenco: Sergey Chirkov, Ekaterina Guseva, Dmitriy Bedarev, Dmitriy Belotzerkovskiy, Mikhail Bespalov, Olga Ostroumova-Gutschmidt, Alexandra Politic, Anastasiya Abadzhidi.

A trama russa de contos de fadas acompanha uma família que acaba de comprar um flat em um arranha-céu de Moscou. Eles não sabem que uma criatura mítica – um elfo doméstico – vive na residência há mais de um século.

A arquiteta Vika (Ekaterina Guseva), mãe solteira da pequena Alina (Alexandra Politic), precisa encarar o misterioso ser dotado de poderes mágicos que se esconde e há anos usa truques contra os inquilinos no apartamento do antigo e imponente edifício.

O elfo Domovoy (Sergey Chirkov) é contra moradores no local por causa de uma maldição imposta por uma bruxa contratada pela agente imobiliária para tirá-lo da residência. Agora, os novos donos da casa tentam fazer amizade com ele. A criatura mantém a propriedade e seu tesouro protegidos da perigosa feiticeira.

Assim, além de travar uma verdadeira batalha contra o habitante indesejado, mãe e filha também precisam resistir às investidas da bruxa Mama Fima (Olga Ostroumova-Gutschmidt). A feiticeira quer se apossar da preciosidade escondida pelo elfo sob o assoalho do flat.

Com direção de Evgeniy Bedarev, o filme russo de aventura e fantasia leva às telas a figura do "Domovoy", criatura típica do folclore eslavo. Esse espírito doméstico é semelhante a um elfo, porém ainda mais travesso.

Reprise. 90 min.
Classificação Indicativa: 12 anos
Horário: 17h00

Domingo, 19 de setembro

Cine Retrô – Chico Fumaça
03h30, na TV Brasil (madrugada de domingo, dia 19/9, para segunda-feira, dia 20/9)

País: Brasil. Ano: 1957. Gênero: comédia. documentário. Direção: Victor Lima. Roteiro: Victor Lima e Alípio Ramos. Elenco: Amácio Mazzaropi, Domingos Terras, Celeneh Costa, Carlos Tovar, Nancy Montez, Roberto Duval e Wilson Grey.

Chico Fumaça (Amácio Mazzaropi), assim conhecido por sua paixão pelos trens, é um caipira de Jequitibá, interior de Minas Gerais. Endividado, Chico perde sua vaca de estimação para o dono do armazém, Seu Elias (Domingos Terras), e vê o sonho de se casar com Inocência (Celeneh Costa) se distanciar ainda mais.

A sorte de Chico muda quando sua fixação por trens lhe permite evitar um descarrilamento. Um dos passageiros a sobreviver é um importante político, Dr. Japércio Limoeiro (Carlos Tovar).

Agradecido, Limoeiro resolve levar Chico para o Rio de Janeiro, então capital da República, a fim de lhe entregar uma recompensa. O político deseja, principalmente, usar a figura de Chico Fumaça em sua própria campanha para deputado.

No Rio, Chico se mete em várias confusões, conhece a vida noturna da capital e passeia pelas atrações cariocas. Também conhece uma quadrilha de vigaristas e uma vedete, que lhe tentam aplicar um golpe.

Chico precisará se superar para sobreviver às malícias da cidade grande e retornar à Jequitibá para se casar com sua noiva.

Considerado o maior ator de comédia do cinema brasileiro, Mazzaropi produziu obras que se tornaram fenômenos de público por mais de três décadas. "Chico Fumaça" foi o último filme de Mazzaropi realizado pela Cinedistri. O artista, que já era famoso no cinema nacional, criou sua própria produtora, a PAM Filmes, no ano seguinte.

Além de grande elenco, o longa-metragem também conta com números musicais: "Onde Ela Mora" (Getúlio Macedo e Lourival Faissal), com Cauby Peixoto; "Saudade da Bahia" (Dorival Caymmi), com o Trio Nagô; "Nova Ilusão" (Luiz Bittencourt e José Menezes), com Neusa Maria; "Agora é Cinza" (Alcebíades Barcelos e Armando Vieira Marçal), com Mara Abrantes; e "Linda Flor" (Henrique Vogeler, Luiz Peixoto e Marques Porto), com Zezé Gonzaga.

Reprise. 81 min.
Classificação Indicativa: Livre.
Horário: 03h30 (madrugada de domingo, dia 19/9, para segunda-feira, dia 20/9)
Anderson Ramos

Um site sobre TV paga com as principais noticias envolvendo o setor, e suas principais operadoras. Além das novidades dos canais e streamings! facebook twitter instagram

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do O Universo da TV. OBS: Comentários Ofensivos ou Irrelevantes e os que conter publicidades serão todos excluídos.

Postagem Anterior Próxima Postagem