Ad Code

Com sete votos, Adriano é o eliminado do 'No Limite'

Divulgação Globo/Fábio Rocha

Adriano entrou no jogo com uma estratégia controversa: queria se aliar aos mais fortes para enfrentá-los na final. “Acho que foi um grande erro”, avalia depois de deixar a disputa. O participante de Volta Redonda (RJ) se dizia bom de manipulação, mas acabou sentindo-se traído por quem acreditava ser seu aliado no jogo. “Roberta me surpreendeu muito porque ela me alertou sobre o Victor e, vendo o episódio de ontem, ela tinha razão. Eu a subestimei, acreditei que ela era minha adversária quando, na verdade, o meu adversário estava ao meu lado me chamando de amigo”, revela o eliminado da última terça-feira, dia 10. 
 
Na entrevista a seguir, Adriano comenta a sua experiência no programa, fala sobre a sua eliminação, suas estratégias, alianças e traições entre companheiros de jogo. 
 
Você tinha uma relação boa com a sua tribo e não levou nenhum voto no primeiro Portal. Como explica a sua eliminação? 
Quando cheguei, achei que pudesse criar uma estratégia de levar os mais fortes até o fim, mas foi um grande erro. Eu sou um cara que me dou bem com todo mundo. E essa minha diluição dentro do grupo, que era uma coisa positiva no início, começou a me prejudicar quando a tribo se dividiu. Eu fiquei sem saber o que fazer: ‘vou atrás da minha estratégia ou fico com quem eu fiz aliança?’ Eu deveria ter tido um pouco mais de sangue frio. Mas se eu tivesse mais sangue frio, não seria eu. 
 
Como você avalia a sua tribo? 
É uma tribo muito diversa, cada integrante tem características bem determinantes. Talvez isso tenha sido um problema porque fez com que não houvesse um líder. Foi quando eu e Kamyla sugerimos compartimentar as habilidades de cada um e, ao chegarmos nas provas e identificarmos de qual tipo seria, decidir quem ditaria as regras, de acordo com as habilidades necessárias. A tribo focou muito no quesito força e habilidade, deixando muitas vezes de lado questões como lógica e raciocínio, talvez porque alguns membros não consideravam importante. No quesito força bruta e agilidade, fomos imbatíveis. 
 
A convivência com pessoas tão diferentes foi um desafio para você? 
Nunca tive problemas em conviver com pessoas diferentes. Já viajei para diversos lugares e culturas. Sempre fiz amigos onde estive. Isso pode não ter sido bem visto por alguns integrantes da tribo, porque acreditavam que eu queria ser amigo de todo mundo. Mas quando me propus a participar do programa, fui com a intenção de viver a minha verdade. E é assim que sou. Não era estratégia, nem jogada, como alguns pensaram. Mas eu sou uma pessoa que se posiciona quando necessário e isso é uma característica bem marcante da minha personalidade.  Até porque, pela minha própria profissão, aprendi que muitas pessoas adoecem exatamente por não se posicionarem em suas vidas, nas mais diversas formas. 
 
Na sua lista de prioridades dentro do jogo, quem fica no topo? E no final? 
Acredito muito no potencial da Roberta, Charles e Negreska. São bem equilibrados nos quesitos força, habilidade e raciocínio. Roberta me surpreendeu muito porque ela me alertou sobre o Victor e, vendo o episódio de ontem, ela tinha razão. Eu a subestimei, acreditei que ela era minha adversária quando, na verdade, o meu adversário estava ao meu lado me chamando de “amigo”. Ontem vi que ele tentou me derrubar em vários momentos. Falou para um monte de gente que ia votar em mim enquanto eu achava que a gente tinha uma aliança. Eu não achava a Roberta forte, mas vi que ela é uma grande competidora e merece estar na final pela visão de jogo que tem. 
 
Como você avalia a sua experiência no programa, valeu a pena? Quais aprendizados você leva? 
O ‘No Limite’ foi uma das experiências mais diferentes que eu já tive, foi incrível. Ainda não consegui entender tudo o que aconteceu, mas, com o tempo, vou entender mais. Uma das coisas que eu aprendi no programa é a confiar menos nas pessoas. O ‘No Limite’ também me mostrou que nenhuma adversidade ou pretensão minha vai fazer com que eu traia meus princípios e minha verdade. Acho que esse é o meu maior aprendizado. 

'No Limite' tem exibição às terças e quintas, após ‘Pantanal’, com apresentação de Fernando Fernandes, direção de gênero de variedades de Boninho, direção artística de LP Simonetti e direção geral de Angélica Campos. O reality é mais uma parceria da Globo com a Endemol Shine Brasil, com base no ‘Survivor’, um formato original de sucesso. Ana Clara apresenta o ‘A Eliminação’ aos domingos, após o ‘Fantástico’.    

Postar um comentário

0 Comentários

Ad Code