Ad Code

TV Brasil apresenta maratona de filmes do comediante Amácio Mazzaropi

Divulgação

Para homenagear o humorista Amácio Mazzaropi, que faleceu há 41 anos, em 13 de junho de 1981, a TV Brasil exibe sucessos da filmografia do saudoso artista na sessão Cine Retrô, diariamente, a partir desta segunda (13), com clássicos da sétima arte que marcaram a produção cinematográfica nacional.

A faixa especial de filmes da emissora pública em tributo ao comediante apresenta grandes obras de segunda a sexta, às 22h30. A TV Brasil leva ao ar a sessão temática de sábado às 21h, enquanto no domingo as divertidas histórias de Mazzaropi estão programadas para o Cine Retrô, às 23h.

O aplicativo TV Brasil Play também oferece gratuitamente, sob demanda, alguns dos longas estrelados e dirigidos pelo humorista com personagens históricos que estão na coletânea do canal. Essas produções ficam disponíveis por sete dias na plataforma, após exibição na telinha.

O público ainda pode assistir ao vasto repertório artístico de Amácio Mazzaropi em horário alternativo na televisão. Os filmes apresentados pela TV Brasil durante a semana são reexibidos na programação da madrugada, às 3h45. A emissora ainda traz outra obra do artista na Sessão Família de quinta (16), às 14h, e na janela extra do Cine Retrô, na madrugada de domingo (19) para segunda (20), às 3h30.

Da telona para a telinha, os longas do ator e cineasta representam uma audiência significativa para a TV Brasil. Cativo e fiel, o público do comediante acompanha os filmes em suas faixas de exibição. Na época do lançamento, as produções lotaram salas de cinema pelo país e bateram recordes de bilheteria.

Além de ator, Mazzaropi também era cantor e cineasta. Com a expertise desenvolvida nos bastidores, ele ainda atuou como produtor e roteirista de alguns dos seus filmes. Ele esteve envolvido na realização de mais de 30 produções para o cinema entre as décadas de 1950 e 1980.

Calendário de sucessos do humorista

A primeira atração da TV Brasil na sequência que reverencia Amácio Mazzaropi é o longa "Jeca Contra o Capeta" (1975) nesta segunda (13), às 22h30. Considerada uma obra-prima da carreira de Mazzaropi, a comédia "Casinha Pequenina" (1963) está em cartaz na terça (14) e a trama "Jeca e seu Filho Preto" (1978) na quarta (15), ambas no mesmo horário.

O público tem a chance de conferir duas produções do humorista na quinta (16). A emissora exibe "O Puritano da Rua Augusta" (1965) na Sessão Família, à tarde, às 14h, e "O Jeca Macumbeiro" (1974) no Cine Retrô, à noite, às 22h30.

O próximo destaque é outro clássico de Amácio Mazzaropi. A comédia "O Grande Xerife" (1972) está na programação noturna da TV Brasil, na sexta (17), às 22h30. O final de semana traz mais três filmes do artista.

As risadas estão garantidas com a película "Jecão... Um Fofoqueiro no Céu" (1977), no sábado (18), às 21h. O filme "Um Caipira em Bariloche" (1973) está em horário nobre no domingo (19), às 23h. Para encerrar a série de homenagens, a emissora traz o longa "Betão Ronca Ferro" (1971) na madrugada de domingo (19) para segunda (20), às 3h30.

Além das comédias selecionadas para esta semana, a coletânea de produções do artista que a TV Brasil exibe em sua programação inclui outros clássicos de Amácio Mazzaropi. A relação de obras que o canal costuma mostrar contempla diversos destaques da filmografia do homenageado.

A emissora pública apresenta em sua grade atrações como "A Banda das Velhas Virgens" (1979), "Chofer de Praça" (1958), "Jeca Tatu" (1959), "Meu Japão Brasileiro" (1965), "No Paraíso das Solteironas" (1969), "O Corintiano" (1967), "O Jeca e a Freira" (1968), "O Lamparina" (1964), "O Vendedor de Linguiça" (1962), "Uma Pistola para Djeca" (1969) e "Zé do Periquito" (1960).

Carreira de êxito com personagem simples

Ícone da sétima arte no país, o comediante Amácio Mazzaropi faleceu aos 69 anos em 1981, mas até hoje é considerado um dos maiores atores brasileiros. Com histórias simples e um humor até espontâneo, o também diretor soube desenvolver o potencial de seus filmes que viraram referência na cinematografia nacional.

A trajetória do ator e cineasta reúne 32 filmes realizados entre 1952 e 1980. Em muitos deles, além dos papéis principais da trama, Mazzaropi ainda desempenha outras funções. Era comum ver o artista em ação como produtor, roteirista e até diretor. Ele assinava a condução das comédias ou colaborava com outro profissional. Também fazia a distribuição de seus longas-metragens pelo país.

Mazzaropi chegou a atrair mais de oito milhões de espectadores em uma única produção. Ele deu vida ao imortal e carismático estereótipo do homem do campo. Jeca, seu personagem marcante, era um caipira e ingênuo, mas com doses de malícia. A figura simplória conquistou a simpatia das massas populares que garantiam as sessões lotadas em todas as suas performances na telona. 

Os números musicais eram outra atração da filmografia de Mazzaropi. O próprio ator fazia questão de participar de muitos desses trechos das obras. Além disso, ele contou com grandes personalidades da cena artística para interpretar as faixas. Astros da música participavam com frequência de seus longas.

A estreia de Amácio Mazzaropi no cinema foi em "Sai da frente" (1952), trama em que interpretou Isidoro, um motorista de caminhão que deixa o carro desgovernado em plena cidade de São Paulo. A partir daí, o ator seguiu atuando em pequenas, médias e grandes produções.

Ele consolidava seu nome no cinema brasileiro, além de participar de programas de televisão e estar nos palcos do teatro. Aclamado pelo público, Mazzaropi nem sempre teve a devida consideração da crítica especializada.

Em 1958, Mazzaropi fundou a PAM Filmes (Produções Amácio Mazzaropi), em modernos estúdios no município de Taubaté, em São Paulo. Nas instalações, ele realizou 23 filmes. Os maiores sucessos foram "Jeca Tatu" (1959) e "Casinha Pequenina" (1963), ambos contabilizando oito milhões de pagantes cada.

A película "Chofer de Praça" (1958) marcou o primeiro trabalho da carreira do humorista com a atriz Geny Prado. A artista passou a desempenhar o papel de seu par constante em diversas produções ao longo da trajetória artística de Mazzaropi.

O último trabalho do saudoso comediante no cinema foi "O Jeca e a Égua Milagrosa", de 1980. No ano seguinte, o querido artista morreu aos 69 anos, vítima de um câncer na medula antes de concluir a obra "Maria Tromba Homem", longa que permaneceu inacabado.

Programação de filmes em homenagem à Amácio Mazzaropi na TV Brasil

Segunda (13/6)

Cine Retrô - 22h30 e 03h45

"Jeca Contra o Capeta" (1975)

Terça (14/6)

Cine Retrô - 22h30 e 03h45

"Casinha Pequenina" (1963)

Quarta (15/6)

Cine Retrô - 22h30 e 03h45

"Jeca e seu Filho Preto" (1978)

Quinta (16/6)

Sessão Família – 14h

"O Puritano da Rua Augusta" (1965)

Quinta (16/6)

Cine Retrô - 22h30 e 03h45

"O Jeca Macumbeiro" (1974)

Sexta (17/6)

Cine Retrô - 22h30 e 03h45

"O Grande Xerife" (1972)

Sábado (18/6)

Cine Retrô - 21h

"Jecão... Um Fofoqueiro no Céu" (1977),

Domingo (19/6)

Cine Retrô - 21h

"Um Caipira em Bariloche" (1973)

Domingo (19/6)

Cine Retrô - 3h30

"Betão Ronca Ferro" (1971)

Postar um comentário

0 Comentários

Ad Code