Ad Code

'Profissão Repórter' desta terça-feira mostra casos de vítimas de golpes que sofreram aumento de 175% durante a pandemia

Divulgação Globo

O avanço da tecnologia é capaz de mudar o mundo rapidamente. Desenvolvimentos que há uns anos pareciam histórias de pescador permitem que hoje o mundo inteiro esteja conectado. Mas também existe o lado negativo desta história. Os crimes virtuais no Brasil cresceram 175% durante a pandemia. É sobre este assunto que o 'Profissão Repórter' aborda na noite desta terça-feira, dia 26. Um dos personagens do programa é o auxiliar de educação Claudinei de Jesus Oliveira, que aos 50 anos entrou para a estatística das vítimas dos golpes mais comuns na internet, o do boleto falso. 
 
Morador de Sorocaba, no interior de São Paulo, Claudinei decidiu comprar um carro maior à prestação depois que as filhas gêmeas nasceram e a família aumentou. Em dificuldades financeiras, ele atrasou duas parcelas do financiamento. Ao tentar regularizar a situação, acabou caindo no golpe e pagou boletos falsos enviados por estelionatários. Resultado: além de continuar inadimplente, teve o carro apreendido. A repórter Sara Pavani foi à cidade acompanhar o caso da família Oliveira, que fez uma vaquinha virtual e agora tenta arrecadar dinheiro para pagar a dívida do automóvel e evitar que ele vá a leilão.
 
No dia 30 de junho ocorreu a nona fase da Operação Luz na Infância, que combate crimes de abuso e de exploração sexual de crianças e adolescentes na internet. Policiais civis de 13 estados cumpriram 163 mandados de busca e apreensão e prenderam dezenas de pessoas. Em São Paulo, as repórteres Danielle Zampollo e Nathalia Tavolieri acompanharam a ação da polícia na casa de um dos suspeitos, um homem de 37 anos acusado de armazenar e compartilhar mais de mil fotos e vídeos com conteúdo relacionado à pornografia infantil. 
 
Um novo delito, com nomenclatura em inglês, também vem crescendo. O stalking passou a ser considerado crime a partir de abril de 2021. É o ato de perseguir alguém reiteradamente ameaçando sua integridade física ou psicológica, prejudicando a locomoção, liberdade ou privacidade do outro indivíduo. De acordo com dados do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, no ano passado, o primeiro da aplicação da lei, mais de 27 mil mulheres registraram boletins de ocorrência como vítimas dessa violação. Para retratar essa realidade, o repórter Guilherme Belarmino e o repórter cinematográfico Alex Gomes foram a Teresina, no Piauí, contar uma história de stalking que resultou em prisão. Há três anos, a modelo Rayanne Adorno registrava queixas de seu ex-companheiro, o francês Malik Roy. Em julho deste ano, ele foi denunciado pelo Ministério Público do Piauí por injúria racial, violência doméstica e stalking, sendo preso em Santa Catarina no dia 15 de julho. A reportagem também ouviu advogados especialistas em direito digital e acompanhou vítimas indo denunciar o crime pela primeira vez na delegacia. 
 
O 'Profissão Repórter' desta terça-feira começa logo depois de 'Filhas de Eva'.

Postar um comentário

0 Comentários

Ad Code