Ad Code

Vida e obra de Maya Angelou são tema de documentário inédito no Brasil

Divulgação Curta!

A trajetória da escritora americana Maya Angelou chega com exclusividade ao Curta! e ao Curta!On – Clube de Documentários. O documentário inédito ''Maya Angelou – Ainda Me Levanto'' conta a história da primeira mulher negra a estampar as faces de uma moeda nos Estados Unidos. Seu próprio relato — o fio-condutor do filme — é costurado a um acervo de fotos de seu cotidiano e vídeos de suas aparições públicas e complementado por entrevistas com grandes nomes da política e da cultura norte-americana, como Bill e Hillary Clinton e Oprah Winfrey.

O filme começa com uma série de imagens de Maya já como um ícone celebrado em vida, e exibe cenas de um momento histórico: quando ela recita seu poema “On the Pulse of Morning” na posse do ex-presidente Bill Clinton. Em seguida, inicia-se um mergulho em sua trajetória, abordando sua infância no sul dos EUA, região fortemente marcada pelos tempos da escravidão e segregação entre brancos e negros. Desses tempos, Maya recorda ter passado cinco anos sem falar por causa de uma violência sofrida. No entanto, enquanto vivia em silêncio, leu tudo o que pôde e passou a se interessar por poemas.  Para recitá-los, voltou a falar.

Lembrando de sua juventude em São Francisco, fala de seus primeiros amores, do fato de ter sido mãe aos 16 anos e ter trabalhado como dançarina e cantora até começar a escrever. Nos anos 1960, Maya se engaja no Movimento pelos Direitos Civis, e ela mesma conta sobre suas relações com Martin Luther King e Malcolm X, com quem trabalhou em Gana, na África. A partir daí, a vida de Maya passa a se confundir com a própria história dos Estados Unidos, vivendo ativamente a política e a arte negras que emergiam no país. No final da década, em 1969, ela publicaria seu primeiro livro.

A partir de então, uma bem-sucedida carreira na escrita vai se consolidando ao longo dos anos. É notório que toda sua vida é marcada pela questão racial: se, por um lado, o fato de ser negra trouxe dificuldades, foi a partir delas que ela “se levanta”. Levanta sua voz e conquista a admiração de quem a cerca. A estreia é na Sexta da Sociedade, 19 de agosto, às 21h30.

‘Mistérios do Arquivo’ mostra a tomada de Saigon pelos vietcongs e o fim da Guerra no Vietnã

Após 30 anos de guerra, em abril de 1975, Saigon — capital do então Vietnã do Sul — era tomada pelo exército norte-vietnamita e pelos vietcongs, consolidando a derrota dos Estados Unidos e encerrando o conflito. Repórteres ocidentais registraram esse momento histórico, e os bastidores dessa cobertura são tema do último episódio de “Mistérios do Arquivo”, série exibida no Curta! e no Curta!On – Clube de Documentários, com exclusividade.

O episódio, intitulado “1975: A Queda de Saigon”, foi dirigido por Serge Viallet, e mostra cenas dos funcionários da Embaixada dos Estados Unidos deixando o Vietnã às pressas, pilotos se arriscando a pular de aviões em movimento, além dos tanques comunistas — pertencentes ao exército vencedor da guerra — chegando aos jardins do palácio presidencial. A evacuação de civis e militares norte-americanos, bem como a de cidadãos do Vietnã do Sul, em tese havia sido planejada, mas acabou acontecendo de forma atabalhoada — e a série se propõe a explicar como tudo aconteceu. A estreia do episódio é na Sexta da Sociedade, 19 de agosto, às 23h30.

Segunda da Música (MPB, Jazz, Soul, R&B) – 15/08

22h30 – ''Todas as Melodias'' (Documentário)  

Luiz Melodia tinha música até no nome. Nasceu no Rio de Janeiro, mais precisamente no Morro de São Carlos, no Estácio, no dia 7 de janeiro de 1951. Apesar de ter crescido no meio do samba, não era um sambista. Não rejeitou suas origens musicais, mas foi além. Assimilou uma musicalidade que absorvia vários estilos e criou uma forma muito particular de composição. O filme tem o ritmo e a força de sua poesia urbana. Através de shows memoráveis, entrevistas com pessoas importantes na vida do músico e contando com a participação do biografado de forma espontânea, apresenta a trajetória deste artista que carregava um estilo inquieto, elegante, sofisticado e carismático. Direção: Marco Abujamra Duração: 90 min. Classificação: Livre. Horários alternativos: 16 de agosto, terça-feira, às 02h30 e às 16h30; 17 de agosto, quarta-feira, às 10h30; 20 de agosto, sábado, às 16h; 21 de agosto, domingo, às 22h30.

Terça das Artes (Visuais, Cênicas, Arquitetura e Design) – 16/08

23h30 – ''Memórias do Grupo Opinião'' (Minissérie em 3 episódios) – Parte final

A minissérie apresenta a história do Grupo Opinião, uma trupe carioca de teatro criada em 1964 para fazer resistência ao regime militar através de produções artísticas. Considerado a primeira resposta da esquerda à ditadura, o grupo reuniu artistas como Nara Leão, Maria Bethânia, João do Vale e Millôr Fernandes. Duração: 25 min. Classificação: 12 anos. Horários alternativos: 17 de agosto, quarta-feira, às 03h30 e às 17h30; 18 de agosto, quinta-feira, às 11h30; 20 de agosto, sábado, às 20h; 21 de agosto, domingo, às 10h.

Quarta de Cinema (Filmes e Documentários de Metacinema) – 17/08

21h – ''Segundo Take'' (Série) – Ep.: ''Carlota Joaquina, Princesa do Brazil, com Tata Amaral''

A série “Segundo Take” tem como proposta recriar cenas antológicas do cinema brasileiro sob o olhar de outros profissionais. A cada episódio, diretores e atores dividem com o público suas paixões cinematográficas e seu processo criativo ao refilmarem uma grande cena. Neste episódio, a diretora Tata Amaral convida a atriz e dramaturga Cláudia Schapira para, juntas, recriarem a personagem Carlota Joaquina, do filme de Carla Camurati que foi um marco da retomada do cinema brasileiro, “Carlota Joaquina, Princesa do Brazil” (1995). Direção: Julia De Simone. Duração: 26 min. Classificação: 12 anos Horários alternativos: 18 de agosto, quinta-feira, às 01h e às 15h; 19 de agosto, sexta-feira, às 09h00; 20 de agosto, sábado, às 19h30; 21 de agosto, domingo, às 09h30.

Quinta do Pensamento (Literatura, Filosofia, Psicologia, Antropologia) – 18/08

21h30 – ''Frágil Equilíbrio'' (Documentário)

O documentário narra três histórias que se desenrolam em três continentes, com personagens que vivem dramas relacionados a problemas do mundo contemporâneo. Uma das linhas narrativas mostra pessoas fugindo de países africanos em colapso e tentando entrar ilegalmente na Europa; paralelamente, vemos a dura situação de um trabalhador espanhol desassistido pelo Estado, que gastou todas as suas economias para cuidar da mulher com câncer, e o triste cotidiano de workaholics japoneses, que dedicam todo o seu tempo ao trabalho. Os comentários críticos de José “Pepe” Mujica, ex-presidente do Uruguai, costuram um elo entre as três narrativas, abordando temas como a crise dos refugiados e as relações trabalhistas.  Direção: Guillermo García Lopez. Duração: 81 min. Classificação: Livre. Horários alternativos: 19 de agosto, sexta-feira, às 01h30 e às 15h30; 21 de agosto, domingo, às 15h15; 22 de agosto, segunda-feira, às 09h30.

Sexta da Sociedade (História Política, Sociologia e Meio Ambiente) – 19/08

21h30 – ''Maya Angelou – Ainda Me Levanto'' (Documentário)

Este filme inédito celebra a Dra. Maya Angelou, tecendo suas palavras com fotografias e vídeos de arquivo tão raros quanto íntimos, que retratam momentos ocultos de sua vida exuberante durante alguns dos momentos mais marcantes da história dos Estados Unidos. Desde sua criação no sul norte-americano da Era da Depressão até seu trabalho com Malcolm X em Gana e seu discurso de posse para o presidente Bill Clinton, o filme nos leva a uma incrível jornada pela vida de uma verdadeira poeta, autora e ícone norte-americana. Duração: 114 min. Classificação: 14 anos. Horários alternativos: 20 de agosto, sábado, às 1h30 e às 12h30; 21 de agosto, domingo, às 19h; 22 de agosto, segunda-feira, às 15h30; 23 de agosto, terça-feira, às 09h30.

23h30 – ''Mistérios do Arquivo'' (Série) – Episódio: ''1975: A Queda de Saigon''

Nossa memória televisiva do último ato após 30 anos da Guerra do Vietnã é composta por imagens tiradas em Saigon no final de abril de 1975 por repórteres ocidentais. Partidas apressadas da Embaixada dos Estados Unidos, helicópteros empurrados de volta ao mar, pilotos se arriscando a pular de aviões em movimento, tanques comunistas aparecendo nos jardins do palácio presidencial, etc. Qual é a razão dessa retirada às pressas, uma vez que estava tudo planejado, organizado há muito tempo? Duração: 30 min. Classificação: Livre. Horários alternativos: 20 de agosto, sábado, às 3h30 e às 10h30; 21 de agosto, domingo, às 18h; 22 de agosto, segunda-feira, às 17h30; 23 de agosto, terça-feira, às 11h30.

Sábado – 20/08

22h30 – ''Paulo César Pinheiro – Letra e Alma''

Poeta, escritor, compositor e referência incontestável da rica produção cultural brasileira, Paulo César Pinheiro fala sobre suas origens, referências literárias, seu encontro com a poesia e o que lhe deu "régua e compasso". Autor de vasta e rica produção, entre músicas, livros, peças teatrais e de parcerias memoráveis, que já atravessam cinco gerações, o poeta não dá sinais de que a genial inspiração possa se esgotar. Duração: 85min. Classificação: Livre. 

Domingo – 21/08

21h – ''O Bom Cinema'' (Documentário)

O documentário resgata a história da Escola Superior de Cinema, primeira faculdade brasileira dedicada à Sétima Arte e que serviu de berço para cineastas da Boca do Lixo e do Cinema Marginal. Fundada por um padre jesuíta, a escola funcionou entre 1965 e 1972, em São Paulo, e ficou marcada por desavenças entre alunos ligados à contracultura e uma diretoria defensora “da moral e dos bons costumes”.  Direção: Eugênio Puppo. Duração: 81 min. Classificação: 12 anos. 

Postar um comentário

0 Comentários

Ad Code