Header Ads

Investigação Discovery estreia a nova série "Caso O.J, Simpson: A Prova Esquecida"


A teoria vai ser colocada em teste em nova serie. (Imagem/Divulgação)
O “caso O.J. Simpson”, como ficou conhecida a investigação dos homicídios de Nicole Brown e Ronald Goldman, reúne elementos que justificam sua presença nos noticiários e na ficção, mesmo passados mais de vinte anos dos fatos: assassinatos sem solução e um ídolo do esporte no banco dos réus. Os assuntos relacionados ao “julgamento do século” estão longe do esgotamento.

A partir desta quarta-feira, 22 de fevereiro, às 21h35, o Investigação Discovery conduz o telespectador por uma nova teoria sobre as circunstâncias dos assassinatos brutais de Nicole e Ronald com a estreia de CASO O.J. SIMPSON: A PROVA ESQUECIDA (Is O.J. Innocent? The Missing Evidence). Os seis episódios de uma hora se concentram em levantar fatos, depoimentos e evidências, muitos deles encobertos por teorias da conspiração e com o potencial de colocarem fim ao mistério.

A série parte da versão formulada pelo investigador particular William C. Dear. Depois de passar as duas últimas décadas debruçado sobre o caso, ele construiu teoria que diverge  daquela que ocasionou a absolvição do réu. O.J. foi considerado inocente em 1995, depois de julgamento com duração de 135 dias. Junto à absolvição de O.J. pesa histórico de violência contra Nicole – circunstâncias controversas que gerariam as polêmicas acesas ainda hoje.

William crê que O.J. realmente não é o assassino de Nicole e Ronald, mas diz que O.J. sabe quem é o culpado pelo duplo homicídio: o próprio filho, Jason Simpson. Para construir essa versão, William revisou a cronologia dos fatos e amparou-se nas evidências levantadas à época, encontrando outras que sequer haviam sido exploradas, entre elas escritos pessoais de Jason.

Para testar a versão apresentada por William são recrutados dois especialistas com extensos trabalhos em equipes forenses: Derrick Levasseur é sargento com 13 anos de serviço e trabalho voltado a investigações complexas;  Kris Mohandie é psicólogo forense que trabalha para a polícia de Los Angeles por mais de uma década e contribuiu com o caso O.J. como parte das equipe de investigação.

Juntos, os dois fazem análise independente que testa ponto a ponto a teoria de William, colocando-a à prova em confronto com as evidências, materiais de arquivo e entrevistas. Entre os depoimentos que fazem parte da investigação estão os de Tanya Brown, irmã de Nicole, e Fred Goldman, pai de Ronald.

Em casos complexos e de grande repercussão, é normal que as principais linhas de investigação e as versões de defesa e acusação sejam repisadas ao longo dos anos. CASO O.J. SIMPSON: A PROVA ESQUECIDA vai além de especulações e capta o desenvolvimento da investigação do ponto de vista interno.


Nenhum comentário

Comentários Ofensivos ou Irrelevantes e os que conter publicidades serão todos excluídos.