Header Ads

HBO estreia a terceira temporada da série nacional 'PSI'

Nova temporada da série nacional PSI. (Imagem/Reprodução)
Estreia em 09 de abril, na HBO, a terceira temporada da produção original brasileira PSI, indicada ao Emmy® Internacional na categoria de Melhor Série em 2015. Todo domingo, às 21h, o canal exibirá um episódio inédito com as novas aventuras e casos acompanhados pelo psiquiatra Carlo Antonini (Emílio de Mello, indicado ao Emmy® Internacional na categoria de Melhor Ator), como o de uma paciente que quer cometer suicídio assistido e de outra que se converteu ao Islamismo.

Criada por Contardo Calligaris, também roteirista e diretor-geral, a série segue um formato diferente das temporadas anteriores, sendo agora composta por cinco histórias, divididas em 10 episódios.

Na primeira história, o psiquiatra Carlo Antonini sente dificuldade em aceitar o desejo de uma jovem com uma doença terminal: cometer um suicídio assistido. No segundo caso da trama, o psiquiatra irá aceitar o pedido de uma paciente acumuladora que precisa lidar com a iminente morte da mãe. Ele acabará descobrindo um segredo familiar guardado há muito tempo, capaz de mudar a relação de sua paciente com o passado.

A dificuldade em aceitar as escolhas de suas pacientes permanece na terceira história. Carlo não sabe como lidar com a conversão ao islamismo de uma adolescente que se trata com ele. Ainda que ele tenha encorajado a garota a viver o que deseja, ele não se conforma com a possibilidade desse desejo se manifestar por meio de uma conversão religiosa.

O quarto caso apresenta um paciente que traz para o consultório a possibilidade de ter sido o autor de um crime do qual não é capaz de se lembrar com clareza. Essa dúvida faz com que Carlo se lance em uma investigação para descobrir se o seu paciente é ou não culpado pela morte de um homem.

Por fim, na quinta história, o psiquiatra irá se internar em uma clínica de reabilitação junto a sua futura nora, depois de vê-la tendo um surto psicótico. Sua tarefa será ajudá-la a integrar o destino dos seus antepassados judeus à própria história - tarefa quase impossível (não só para ela).

Nenhum comentário

Comentários Ofensivos ou Irrelevantes e os que conter publicidades serão todos excluídos.

Tecnologia do Blogger.