Header Ads

Canal Brasil - Destaques de filmes de 18 a 24 de setembro


Destaques da programação Canal Brasil. (Imagem/Divulgação)
Confira os filmes em destaques da programação do Canal Brasil de 18 a 24 de setembro.

SEGUNDA-FEIRA, 18 DE SETEMBRO

“É TUDO VERDADE”: MARTÍRIO (2017) (77’) – 2ª PARTE
Horário: Segunda, dia 18, às 22h
 Classificação: 12 anos
Inédito e exclusivo
 Direção: Vincent Carelli, Ernesto de Carvalho e Tita Almeida

Sinopse: A produção faz uma extensa contextualização de como os Guarani Kaiowá foram e continuam sendo exterminados brutalmente ao longo dos anos sem qualquer intervenção do poder público, preocupado quase exclusivamente com os interesses de empresários do agronegócio nas terras demarcadas para os indígenas. O diretor menciona os massacres ocorridos desde a Guerra do Paraguai, passando pelo ciclo do mate, as políticas humanitárias e integracionistas de Marechal Rondon na metade do século, as interferências do Estado Novo de Getúlio Vargas, o regime militar e os governos democráticos. Com grande material de arquivo e imagens recentes produzidas especialmente para o documentário, é possível acompanhar como a violência contra a tribo evoluiu e como seus destinos foram traçados nos corredores de Brasília – em discursos higienistas sobre como os indígenas atrapalham a chamada evolução.

A obra conquistou os Candangos de prêmio especial do júri e do júri popular no Festival de Brasília; melhor documentário na Mostra Internacional de São Paulo; melhor longa-metragem no Festival de Cinema de Mar del Plata (Argentina); e melhor filme na Janela Internacional de Cinema do Recife.

TERÇA-FEIRA, 19 DE SETEMBRO

ERA UMA VEZ (2008) (118’)
Horário: Terça, dia 19, às 22h
Classificação: 14 anos
Direção: Breno Silveira

Sinopse: Dé (Thiago Martins) é nascido e criado na comunidade do Cantagalo, localizada entre Copacabana e Ipanema, duas nobres vizinhanças da zona sul carioca, um ambiente hostil e de poucas oportunidades. Filho de Bernadete (Cyria Coentro), uma empregada doméstica, e abandonado pelo pai que nunca conheceu, o jovem perdeu os dois irmãos após envolvimento com narcotraficantes locais – Beto foi assassinado pelos bandidos e Carlão (Rocco Pitanga) acabou expulso do lugar pelos criminosos e preso pelas autoridades. O jovem está decidido a levar uma vida honesta e começa a trabalhar em um quiosque na Praia de Ipanema. Lá, ele se encanta por Nina (Vitória Frate), uma jovem de família rica e moradora de um prédio com vista para a orla. O fascínio é rápido e mútuo, e eles dão início a um namoro apaixonante.

Poucos quilômetros separam fisicamente os personagens, mas a distância entre seus universos é gigantesca. O relacionamento entre o menino da favela e a moça da alta sociedade abre uma série de preconceitos e críticas veladas de ambas as partes. Ele representa a descoberta de um homem puro e de rara sensibilidade, enquanto ela é a definição de amor à primeira vista. As questões sociais, já problemáticas para um casal de realidades tão distintas, ganham contornos ainda mais dramáticos quando Carlão sai da cadeia e elabora um plano para matar o assassino de Beto e tomar o controle do tráfico de drogas na comunidade. A cidade maravilhosa vai mostrar sua faceta partida entre morro e asfalto e a violência vai tomar conta de uma história de paixão incandescente entre dois jovens.

QUARTA-FEIRA, 20 DE SETEMBRO

MARÉ, NOSSA HISTÓRIA DE AMOR (2008) (105’)
Horário: Quarta, dia 20, às 22h
Classificação: 12 anos
Direção: Lúcia Murat

Sinopse: O filme conta a história de Analídia (Cristina Lago)  e Jonatha (Vinícius D'Black), dois jovens moradores da Maré, favela carioca que das palafitas dos anos 60 passou por diversos planos de urbanização chegando hoje a uma população de cerca de 140 mil pessoas. A Maré é dividida hoje entre dois grupos que dominam o tráfico de drogas e que talvez se odeiem mais do que à própria polícia. Quem mora num lado da comunidade não pode ter contato com o outro, sob pena de punição.
Analídia é prima do chefe do tráfico de um dos lados e Jonatha é amigo de infância do chefe do outro lado. Ambos estudam num grupo de dança patrocinado por uma ONG, que fica exatamente no meio dos dois grupos e é dirigido pela ex-bailarina Fernanda (Marisa Orth).

QUINTA-FEIRA, 21 DE SETEMBRO

BUDAPESTE (2009) (113’)
Horário: Quinta, dia 21, às 22h
Classificação: 16 anos
Direção: Walter Carvalho

Sinopse: José Costa (Leonardo Medeiros) é um ghost writer de grande sucesso. Ele vai para Istambul (Turquia) para uma convenção internacional e no retorno ao Brasil é obrigado a fazer um pouso forçado em Budapeste (Hungria) após uma ameaça de bomba no voo. Sua estada na capital húngara dura apenas alguns dias, mas ele se apaixona pela cidade e pelo idioma local.

Na volta pra casa o autor começa a murmurar palavras em húngaro durante o sono, e busca uma válvula de escape redigindo autobiografias de clientes, buscando encontrar nas histórias de terceiros uma saída para o tédio de seu cotidiano. Seu principal sucesso é o livro O Ginógrafo, sobre as aventuras amorosas do alemão Kaspar Krabbe (Antonie Kamerling) no Brasil. Só que Vanda (Giovanna Antonelli), sua mulher, se apaixona por Krabbe, o que faz com que Costa se sinta traído.

SEXTA-FEIRA, 22 DE SETEMBRO

“CINEMÃO”: O HOMEM DO FUTURO (2011) (106’)
Horário: Sexta, dia 22, às 22h
Classificação: 10 anos
Direção: Claudio Torres

Sinopse: João (Wagner Moura) é um cientista genial, mas extremamente infeliz. Ele credita sua tristeza à humilhação causada por Ricardo (Gabriel Braga Nunes) em uma festa de faculdade. Nesse dia, ele foi do céu ao inferno, conquistando e logo depois perdendo seu grande amor, a bela Helena (Alinne Moraes). O acontecimento o traumatizou gravemente, e ele trabalha em um experimento capaz de o enviar ao passado. Prestes a ser demitido por Sandra (Maria Luisa Mendonça), ele tem a ajuda do amigo Otávio (Fernando Ceylão) para voltar no tempo.

João retorna duas décadas e aterrissa exatamente no dia que gostaria de alterar em sua história. Sua versão mais velha é totalmente diferente do tímido estudante de física, rapaz cândido e com gagueiras em momentos de estresse. O cientista relata o futuro para o menino que, mesmo relutante em aceitar suas instruções, segue à risca o roteiro narrado por sua personalidade futura e consegue evitar o vexame público prestes a acontecer. Depois de alterar com sucesso o caso mais humilhante de sua vida, o pesquisador considera sua tarefa pronta e volta à atualidade. O retorno o obriga a amadurecer e entender a linha cronológica de sua história sem mágoas, compreendendo a importância do sofrimento e desistindo da ideia de uma existência perfeita, composta somente por felicidade.

SÁBADO, 23 DE SETEMBRO

CÃO SEM DONO (2007) (82’)
Horário: Sábado, dia 23, às 22h
Classificação: 16 anos
Direção: Beto Brant e Renato Ciasca

Sinopse:  Inspirado no livro “Até o dia em que o cão morreu” de Daniel Galera, Cão sem Dono narra a história de homem de 25 anos que vive acompanhado apenas de um cachorro que adotou na rua. Quando uma modelo surge em sua vida, seu isolamento é quebrado. O porteiro do prédio e um motoboy também interagem com o jovem. A morte, enfim, surgirá como um fator de destruição, mas ao mesmo tempo como alternativa concreta à apatia.

DOMINGO, 24 DE SETEMBRO

“CONE SUL”: “Família Rodante” (2005) (99’)
- Horário: Domingo, dia 24, às 22h
- Classificação: 12 anos
- Direção: Pablo Trapero

Sinopse: Emilia (Graciana Chironi) é uma mulher de 84 anos, matriarca de uma grande família de Buenos Aires. Todos os entes se reúnem no dia de seu aniversário para homenageá-la em uma festa simples. Numa das ligações que recebe, ela recebe um convite para ser madrinha do casamento de uma neta em Currientes, província próxima à fronteira com o Brasil. Emocionada, ela faz uma proposta com tudo para dar errado e convoca toda a família à cerimônia. Para piorar, a jornada de mais de mil quilômetros entre a capital e o interior é realizada em um trailer velho e quebrado, sem muitas chances de passar incólume pelas estradas de asfalto e terra batida.

Nenhum comentário

Comentários Ofensivos ou Irrelevantes e os que conter publicidades serão todos excluídos.