Animal Planet estreia a nova série ''Planeta Misterioso''

Divulgação

Os biomas são resultados de uma sequência de eventos geológicos que, ao longo de milhões de anos, formaram os habitats povoados por flora e fauna adaptadas às respectivas condições. A partir de quinta-feira, 4 de novembro, às 20h30, o Animal Planet investiga o percurso evolutivo de espécies exóticas de cinco biomas extraordinários com a série PLANETA MISTERIOSO (Mysterious Planet), já exibida pelo Discovery.

Cada um dos episódios foca em uma região diferente. A produção faz uma viagem no espaço e no tempo para mostrar o que torna esses lugares tão especiais e como eles moldaram as criaturas neles habitam.

Das exuberantes florestas da Indonésia aos áridos desertos andinos; do Caribe às grandes altitudes da Etiópia; a série empreende jornadas que, com ajuda de alta tecnologia na captação de imagens e de animações que recriam o passado geológico terrestre, reconstituem os principais eventos que deram origem às faunas locais.

As câmeras registram de perto animais exóticos, espécies únicas que representam os resultados belos e estranhos do processo evolutivo. As respostas para a profusão da vida nesses habitats selvagens estão nas forças geológicas que ainda hoje moldam nosso planeta: da movimentação das placas tectônicas e a mudança na configuração dos continentes, ao poder que emana do centro da Terra e chega à superfície na atividade explosiva dos vulcões.

No episódio de estreia, a série visita um arquipélago misterioso, paraíso escondido em águas tropicais entre Ásia e Austrália: a Indonésia. Ali, cada ilha tem fauna com seus próprios atrativos e funciona como verdadeiro laboratório evolutivo. Cercadas pela vastidão dos oceanos, as ilhas isolam a fauna que precisa se adaptar ao território limitado, aos recursos disponíveis e às interações entre espécies que vão se modificando mutuamente. Grandes migrações não são possíveis para os animais terrestres, então é comum o surgimento de espécies únicas, encontradas apenas em determinadas ilhas ou conjunto delas.

Assim acontece em Komodo, lar do lagarto gigantesco que chega a medir mais de três metros de comprimento e pesar 120 quilos. Ali, essas criaturas dividem território com búfalos, espécie levada à ilha por humanos, há apenas algumas centenas de anos. Mesmo com três vezes o tamanho dos dragões, os búfalos perecem quando a mordida dos dragões cumpre sua função: a saliva é anticoagulante.

Ainda na estreia, a série mostra como o arquipélago da Indonésia se formou ao longo dos milhões de anos. A contiguidade das porções de terra e a separação lenta destas explicam a existência dos dragões e de muitas outras espécies, como os simpáticos e ameaçados “Macaca nigra” de Sulawesi. 
Anderson Ramos

Um site sobre TV paga com as principais noticias envolvendo o setor, e suas principais operadoras. Além das novidades dos canais e streamings! facebook twitter instagram

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do O Universo da TV.

Postagem Anterior Próxima Postagem