Charles Chaplin e seu personagem mais célebre são tema de documentário no canal Curta!

Divulgação/Curta!

O documentário ''O Nascimento de Carlitos'', da Arte France e da Steamboat Films, chega com exclusividade ao Brasil pelo canal Curta!. O filme conta a mirabolante história de vida de Charles Spencer Chaplin e a criação de seu célebre personagem “Vagabundo”, também conhecido como “Carlitos”.

A própria biografia de Chaplin parece um roteiro de cinema: ele nasceu e cresceu em um dos bairros mais pobres de Londres, passou por orfanatos e teve um pai alcoólatra e uma mãe com problemas mentais, a ponto de ser internada em hospitais psiquiátricos. No entanto, foi graças aos pais, ambos artistas, que ele desenvolveu o gosto pelo teatro.

No filme, o biógrafo de Chaplin, David Robinson, conta que a primeira experiência do comediante no palco foi aos 5 anos, quando foi correndo socorrer sua mãe ao vê-la perder a voz durante uma canção. O menino cantou em seu lugar e agradou ao público, que lhe atirou moedas. Para gargalhadas gerais, ele parou de cantar, recolheu as moedas e, só então, retomou a música.

A carreira de Chaplin começou quando tinha 19 anos e ingressou numa companhia teatral de comédia, a Cia. Fred Karno. Dali, migrou para o cinema e, já em seu segundo filme, inventou o personagem que o tornaria famoso, o “Vagabundo” — traduzindo do inglês “The Tramp” —, no Brasil ficaria famoso como “Carlitos” e na Europa como “Charlot”.

Em seu figurino: um chapéu coco, um casaco apertado, calças largas, sapatos compridos, bengala e bigode. Tornou-se um ícone absoluto do cinema mudo e até hoje é reverenciado como um dos maiores nomes da sétima arte. O documentário, dirigido por Serge Bromberg e Eric Lange, acompanha o progresso de Carlitos, filme após filme, e como o sucesso mudou a sua vida. A exibição é na Quarta do Cinema, 1º de dezembro, às 22h55.

Nos dez anos da morte de Sócrates, Curta! relembra jogador e a Democracia Corinthiana

Narrado por Rita Lee e dirigido por Pedro Asbeg, o documentário “Democracia em Preto e Branco” volta à grade do Curta! para celebrar a memória e o legado do jogador Sócrates, conhecido como “Doutor Sócrates”, morto há dez anos, no dia 4 de dezembro. O longa conta um pouco da trajetória do atleta, além de abordar o movimento ideológico-futebolístico Democracia Corinthiana, fundado por ele e por outros jogadores do Corinthians, como Walter Casagrande Jr.

Em um contexto de luta pela volta das eleições diretas no Brasil, na década de 1980, Sócrates liderou um grupo de atletas, como o próprio Casagrande e o lateral Wladimir, na construção de um clube mais democrático em sua administração. Tudo era decidido por votação, das contratações aos locais de concentração. Em uma configuração totalmente auto-organizada, o grupo causou polêmica e desagradou militares e cartolas por subverterem os modelos tradicionais de gestão.

O longa, produzido pela TV Zero, também mostra o panorama esportivo, musical e político de uma época em que o país fervilhava em meio a greves e protestos, que contavam com a participação ativa de Sócrates e Wladimir. Entre os depoentes, há futebolistas e corintianos ilustres, como o ex-presidente Lula, Marcelo Rubens Paiva, Marcelo Tas, Edgar Scandurra, Frejat, Serginho Groisman, Paulo Miklos e Juca Kfouri, cujos relatos são ilustrados com imagens de arquivo de jogos, de manifestações e de shows. A exibição é no sábado, 4 de dezembro, às 22h15.

Segunda da Música (MPB, Jazz, Soul, R&B) – 29/11

20h – “Balanço Black” (Série) – Ep. “Black Rio”

O episódio narra o apogeu dos bailes black e da indústria do soul brasileiro, com a popularização do "Movimento Black Rio” em meio à ditadura militar. Outro tema central do episódio é o surgimento da revolucionária Banda Black Rio, formada por grandes nomes da música instrumental brasileira, quase todos negros, como o líder Oberdan Magalhães. Direção: Flavio Frederico. Duração: 26 min. Classificação: 12 anos. Horários alternativos: 30 de novembro, terça-feira, às 0h e às 14h; 01 de dezembro, quarta, às 08h; 04 de dezembro, sábado, às 18h.

Terça das Artes – 30/11

20h – "Immersive.World” (Série) – Ep.: “Arte Fora da Caixa: Imersão e Museus”

Museus internacionais cada vez mais apostam no poder de obras imersivas para atrair a atenção do público. É o caso do New Museum, em Nova York, que tem dado espaço para instalações e performances imersivas, como a da artista Marta Minujín. O episódio mostra também o Mattress Factory, em Pittsburgh, considerado o primeiro museu imersivo do mundo. Direção: Guto Barra. Duração: 25 min. Classificação: Livre. Horários alternativos: 01 de dezembro, quarta-feira, às 0h e às 14h; 02 de dezembro, quinta-feira, às 08h; 04 de dezembro, sábado, às 21h40.

Quarta de Cinema (Filmes e Documentários de Metacinema) – 01/12

22h55 – “O Nascimento de Carlitos” (Documentário)

Como pode uma criança de rua, nascida em um dos bairros mais carentes de Londres, se tornar o homem mais famoso do mundo em apenas alguns anos? O documentário "O Nascimento de Carlitos", uma produção com a Chaplin Association, explora o mistério desse sucesso quase instantâneo e esse legado que segue vivo há mais de um século. O documentário revive a história de sucesso de Charles Chaplin, mostrando o nascimento de um artista cujo personagem, por si só, resume o que há de mais brilhante, expressivo e criativo no cinema. Duração: 61 min. Classificação: Livre. Horários alternativos: 02 de dezembro, quinta-feira, às 3h e às 17h; 03 de dezembro, sexta-feira, às 11h; 04 de dezembro, sábado, às 15h45.

Quinta do Pensamento (Literatura, Filosofia, Psicologia, Antropologia) – 02/12

22h30 – “Sobre Sete Ondas Verdes Espumantes” (Documentário)

Um roadmovie poético construído através da obra do escritor Caio Fernando Abreu. Santiago, Amsterdã, Berlim, Colônia, Paris, Londres, Porto Alegre e São Paulo: as cidades que testemunharam a vida breve do poeta, dramaturgo e escritor Caio Fernando Abreu (1948-1996) são revisitadas e servem de cenário para a apresentação de fragmentos de suas obras e de lembranças de seus amigos, como Maria Adelaide Amaral, Grace Gianoukas e Adriana Calcanhotto. Direção: Bruno Polidoro e Cacá Nazario. Duração: 74min. Classificação: Livre. Horários alternativos: 03 de dezembro, sexta-feira, às 02h30 e 16h30; 05 de dezembro, domingo, às 15h25; 06 de dezembro, segunda-feira, 02h.

Sexta da Sociedade – 03/12

22h30 - “A Mãe de Todas as Lutas” (Documentário)

"A Mãe de Todas as Lutas" é um documentário que recorre à memória para vislumbrar um futuro de mudanças sob a ótica feminina. O filme acompanha as trajetórias de Shirley Krenak e Maria Zelzuita, mulheres que estão no front da luta pela terra no Brasil. Shirley traz a missão de honrar a sabedoria das guerreiras Krenak, da região de Minas Gerais. Maria Zelzuita é uma das sobreviventes do Massacre de Eldorado dos Carajás, no Pará. O filme não pretende dar respostas, apenas deixar uma pergunta: "que tipo de adubo você quer ser para a Mãe Terra?", conforme questiona Shirley Krenak. Direção: Susanna Lira Duração: 71 min. Classificação: 14 anos. Horários alternativos:  04 de dezembro, sábado, às 2h30 e às 12h10; 05 de dezembro, domingo, às 19h20; 06 de dezembro, segunda, às 16h30.

Sábado – 04/12

22h15 – “Democracia em Preto e Branco” (Documentário) – 10 anos de morte do jogador Sócrates

Tendo como pano de fundo o lendário movimento Democracia Corinthiana, o nascimento das bandas de rock brasileiras e a campanha das Diretas Já, “Democracia em Preto e Branco” mostra, com locução de Rita Lee, como o esporte, a política e a música se encontraram para mudar o rumo da história do país nos anos 1980.  Entre os entrevistados, estão Sócrates, Walter Casagrande, os ex-presidentes Lula e Fernando Henrique Cardoso, Marcelo Rubens Paiva, Marcelo Tas, Edgar Scandurra, Frejat, Serginho Groisman e Paulo Miklos. Direção: Pedro Asbeg. Duração: 94 min. Classificação: 10 anos. 

Domingo – 05/12

20h50 – "Cássia Eller" (Documentário)

Morta aos 39 anos, em 2001, Cassia Eller foi uma das grandes vozes femininas da MPB. Extrovertida no palco, fora dele se dizia uma pessoa tímida. Esse traço de sua personalidade, a relação com as drogas, o sucesso, a gravidez inesperada, a pressão da fama e a morte precoce são alguns temas abordados no documentário "Cassia Eller", de Paulo Henrique Fontenelle. Escolhido pelo público como melhor documentário na Mostra Internacional de Cinema São Paulo de 2014, a produção traz depoimentos de familiares, como a companheira Maria Eugênia Martins e o filho Chicão, hoje mais conhecido como o músico Chico Chico; de jornalistas como Tárik de Souza e Arthur Dapieve; e de artistas como Zélia Duncan, Nando Reis e Oswaldo Montenegro. Tudo mesclado a imagens de shows, ensaios, entrevistas e cenas da intimidade da cantora. Diretor: Paulo Henrique Fontenelle. Duração: 113 min. Classificação: 12 anos. Duração: 71 min. Classificação: Livre. 
Anderson Ramos

Um site sobre TV paga com as principais noticias envolvendo o setor, e suas principais operadoras. Além das novidades dos canais e streamings! facebook twitter instagram

Postar um comentário

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do O Universo da TV.

Postagem Anterior Próxima Postagem