Ad Code


'Guerras Culturais' chega ao Globoplay com recortes inéditos sobre a disseminação de notícias falsas no Brasil

Divulgação

A investigação sobre a origem e ascensão da disseminação de notícias falsas no Brasil será desdobrada no podcast 'Guerras Culturais – Uma disputa pela alma do Brasil', a partir de entrevistas e áudios inéditos que foram documentados durante o acontecimento de eventos históricos no país. Apresentado pelo pesquisador, filósofo e colunista, Pablo Ortellado e pela jornalista Elisa Martins, o podcast chega com exclusividade ao Globoplay nesta segunda-feira, dia 29. Com publicações diárias, o projeto é produzido em parceria com o jornal O Globo e conta com sete episódios publicados diariamente de forma sequencial, com o último da temporada chegando às plataformas de áudio no dia 4 de setembro. 

O termo ‘Guerras Culturais’ é um tema que permeia uma série de valores considerados tradicionalistas. No Brasil, a temática começou a ganhar popularidade em 2010 com a difusão da internet e das redes sociais. Assuntos como movimento antivacina e a educação sexual das crianças ganharam ênfase política quando passaram a migrar de uma conotação social para uma questão moral. Visando um debate consciente sobre o tema, Pablo e Elisa, mapearam os principais pontos que alcançaram repercussão nesses últimos anos e trazem no podcast suas origens e disseminações.   

“Fazer o podcast foi uma experiência rica e desafiadora, porque narrar uma história em áudio é bem diferente de escrever um artigo acadêmico ou um artigo de opinião no jornal. No podcast, tivemos dois objetivos. O primeiro foi transformar explicações em histórias, passar do formato dissertativo pro narrativo. O segundo foi apresentar explicações que eram abstratas e científicas em uma linguagem clara e simples, sem perder a precisão. Foi muito bom ter a colaboração da Elisa que, além de fazer todo o trabalho de reportagem da série, foi rigorosa na exigência de clareza no emprego da linguagem”, comenta Pablo Ortellado. 

Primeiro episódio   

O programa de estreia aborda a origem das guerras culturais, termo idealizado pelo sociólogo americano James Hunter. Pablo Ortellado e Elisa Martins resgatam essa caracterização acadêmica, por meio de entrevistas com James Hunter e Andrew Hartmann, além de exemplificar a leitura de um “Marxismo Cultural” com pensadores, como: Michael Minnicino, dos Estados Unidos, e Olavo de Carvalho, do Brasil. Durante o podcast, será possível conferir mais detalhes sobre o relatório desenvolvido pela jornalista Dale O’Leary, referente as conferências da Organização das Nações Unidas, além do documento dos bispos peruanos de 1998. Eventos recentes, como a pandemia da Covid-19, serão mencionados traçando um paralelo com a identidade histórica das temáticas.
   
Um original Globoplay, o “Guerras Culturais” é uma produção do Jornal O Globo. Para ouvir o primeiro episódio, clique aqui.

ENTREVISTA COM O PESQUISADOR E FILÓSOFO PABLO ORTELLADO: 

1 – Como foi a experiência de conduzir as narrativas do podcast ‘Guerras Culturais’ com a Elisa Martins? 
Pablo Ortellado: Foi muito bom ter a colaboração da Elisa que, além de fazer todo o trabalho de reportagem da série, foi rigorosa na exigência de clareza no emprego da linguagem. 

2 – Quais os diferenciais desse projeto em termos de estudos e conteúdos que já foram trabalhados sobre essa temática? 
Pablo Ortellado: Esse podcast não é um produto que dissemina um conteúdo que existe em outra forma - em livro, por exemplo. A gente não tem em português um bom livro apresentando e explicando a origem e a dinâmica das guerras culturais, muito menos um livro explicando como essas guerras culturais se desenvolvem no Brasil. Assim, esse podcast passa a ser a referência em qualquer formato para quem quer entender o que são as guerras culturais e como elas chegaram ao país.   

Postar um comentário

0 Comentários

Ad Code